CONECTE CONOSCO

Evento

Parada LGBT de 2019 movimentou R$ 403 milhões em SP, diz prefeitura

Valor é 40% maior do que o apontado na edição de 2018 do evento, R$ 288 milhões.

Publicado em

Nacho Doce / Reuters


A Prefeitura de São Paulo afirmou nesta sexta-feira (28) que a 23ª edição da Parada LGBT movimentou R$ 403 milhões na economia da cidade. O evento aconteceu no último domingo (23) e reuniu 3 milhões de pessoas na Avenida Paulista, segundo os organizadores.

O valor é 40% maior do que os R$ 288 milhões de movimentação econômica registrados pela prefeitura na edição de 2018 do evento.

Segundo levantamento feito pela Secretaria Municipal de Turismo, a Parada de 2019 também registrou aumento de 78% no número de visitantes em relação a 2017, último ano de estudo.

O gasto médio do turista aumentou de R$ 1.112 em 2017, para R$ 1.634 em 2019, o que representa alta de 46,9%.

Como foi o evento

Considerada a maior do mundo, a 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo reuniu 3 milhões de pessoas no domingo (23) na Avenida Paulista, segundo os organizadores. Ao todo, 19 trios elétricos desfilaram por cerca de sete horas de apresentações.

O público se animou com a atração internacional Mel C, ex-integrante das Spice Girls, e também com shows brasileiros como Iza, Karol Conká, Gloria Groove, Aretuza Love, Luisa Sonza, Lulu Santos e outros.

O “esquenta” da Parada foi marcado por um casamento coletivo que aconteceu no início da manhã em um cartório itinerante na Avenida Paulista. Depois, os quatro casais participaram da abertura em cima de um trio elétrico, onde a a drag queen Tchaka exaltou a importância de respeitar os casais homoafetivos.

O tema deste ano foram os “50 anos de Stonewall”, um conflito que aconteceu em 1969 em um bar nos Estados Unidos e foi um marco para o ativismo da comunidade LGBT. Políticos discursaram durante a abertura e houve manifestações do público contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), 18 pessoas foram presas por roubo e 14 celulares foram apreendidos.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte: G1
Anunciante

serviço

Parar de fumar é tarefa difícil e muitas vezes exige ajuda

Publicado em

Quem quer parar de fumar geralmente enfrenta muitos desafios. Nem sempre tentar sozinho é uma tarefa fácil, por isso, muitas vezes é importante procurar ajuda médica.

De acordo com a psicóloga e especialista no assunto Ivone Charran, aproximadamente 5% dos fumantes conseguem abandonar o cigarro sozinhos, sem tratamento ou acompanhamento médico. “O restante, ou 95%, precisam de ajuda especializada”, afirma.

O consumo de tabaco só traz prejuízos à saúde. Entre os inúmeros malefícios para os fumantes, está o aumento significativo das chances de morte por acidente vascular cerebral, doenças respiratórias e odontológicas.

Segundo dados do Incor, a cada ano 6 milhões de pessoas morrem em todo o mundo por doenças atribuídas ao cigarro. No Brasil, cerca de 130 mil pessoas morrem todos os anos vítimas de doenças relacionadas ao fumo, o que representa 13% do total de óbitos do país.

“O tabaco mata mais que todas as outras drogas juntas”, garante o psiquiatra Montezuma Pimenta Ferreira, do Ambulatório de Tabagismo do Hospital das Clínicas de São Paulo. “Sem contar, é claro, que muitas vezes essa dependência anda de mãos dadas com outras, como alcoolismo e o vício em outras drogas”, completa.

Para ajudar a parar com o vício e evitar recaídas, trocar o cigarro por algo que dê prazer, como as atividades físicas, pode ajudar. Elas são capazes de melhorar a qualidade de vida e atuam como uma válvula de escape.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

BAURU

Vira-lata que ficou famoso depois de destruir quarto da dona ganha charge na web

Internautas compartilham nas redes sociais desenhos divertidos do cão "Chico", de oito meses, que mora em Bauru (SP). Vídeo da dona mostrando quarto como ‘cenário de guerra’ teve milhares de visualizações.

Publicado em

A história do vira-lata de oito meses que ficou famoso na internet nesta quinta-feira (18) depois de destruir o quarto da dona, em Bauru (SP), vem fazendo a alegria dos internautas que começaram a compartilhar charges do animal.

Numa delas, o cartunista e ilustrador Guilherme Bandeira, de São Paulo, desenhou o cãozinho em uma conversa com um “diabinho”, que seria o mentor da ação do animal de destruir o quarto da dona, mordendo o colchão, a cama e até o controle da televisão. Na charge, o diabinho diz que Chico teria “exagerado” na destruição.

A dona conta que no dia da destruição foi ao cinema e duas horas depois voltou para casa e encontrou o Chico deitado no colchão destruído. O outro cachorro, o Luke, não aparece no vídeo, mas estava embaixo da cama.

Apesar de ter falado que iria se livrar dele, a dona afirma que foi apenas uma brincadeira e que está acostumada a ter a casa revirada pelo pet. “Adotei cachorro e cresceu dinossauro”, diverte-se a dona de Chico.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

MÚSICA

Festival Pandemia reúne bandas de rock neste sábado na praça João Pessoa

Publicado em

A banda Tormenta Metal traz em seu repertório o thrash metal com letras em português e tom questionador - Fotos: Divulgação

O Sesc Birigui realiza, neste sábado (20), mais uma edição do Pandemia Rock, festival que reúne bandas que tocam este gênero musical. Será na praça João Pessoa, em Araçatuba, das 18h às 22h.

O grupo araçatubense Pepper Stone, formado por Viviane Nukamoto, Beatriz Freitas e Juliana Romão, vem se destacando no cenário musical por ser a única banda a ter somente mulheres em Araçatuba e região

A primeira banda a se apresentar é a araçatubense Pepper Stone, com clássicos do rock and roll, levando ao público sucessos de Joan Jett, Janis Joplin, Bon Jovi, Led Zeppelin, AC/DC, Metallica, The Camberries, The Police, Creedence e Beatles.

O grupo vem se destacando no cenário musical sendo a única banda a ter somente mulheres em Araçatuba e região.

Já a banda Gagged, que vem ganhando espaço no circuito independente, aposta no estilo hardcore dos anos 1990.  O show traz o lançamento do segundo álbum “Sobre Nós”, com músicas como “Cidade Sem Lugar” e “Teu Olhar”.

A banda Gagged aposta no estilo hardcore dos anos 1990 e traz músicas de seu segundo álbum, “Sobre Nós”

O festival conta ainda com a participação da banda “Tormenta Metal”, que traz em seu repertório thrash metal com letras em português e tom questionador. A banda promete um clima hardcore carregado de energia.

Os shows não são recomendados para menores para menores de 16 anos.

SERVIÇO

Festival Pandemia Rock

Neste sábado (20), às 18h

Praça João Pessoa, Araçatuba

 

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
93