CONECTE CONOSCO

POLÍTICA

Gustavo Montezano é escolhido para presidência do BNDES

Montezano é o atual secretário especial adjunto de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia. Levy pediu demissão após ter sido criticado por Bolsonaro.

Publicado em

Foto: Divulgação/Ministério da Economia


O ministro Paulo Guedes escolheu o engenheiro e economista Gustavo Henrique Moreira Montezano para presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) em substituição a Joaquim Levy, que pediu demissão neste domingo.

Montezano é o atual secretário especial adjunto de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia.

Na presidência do BNDES terá como prioridades privatizações, desinvestimentos, Infraestrutura, saneamento e reestruturação financeira de estados e municípios.

De acordo com integrantes do governo, o substituto de Joaquim Levy também deverá ter como objetivos devolver à União parte dos recursos emprestados ao BNDES, além de buscar investimentos no exterior e abrir o que o presidente Jair Bolsonaro chama de “caixa preta” do banco – empréstimos feitos a países como Venezuela e Cuba para investimento em infraestrutura.

Ele é mestre em Economia pela Faculdade de Economia e Finanças do Ibmec-RJ e graduado em Engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia (IME-RJ). Foi sócio do Banco Pactual, pelo qual atuou como diretor-executivo da área de commodities em Londres e anteriormente como responsável pela área de crédito, resseguros e “project finance”. Iniciou carreira como analista do Opportunity, no Rio de Janeiro.

Levy pediu demissão neste domingo (16), um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dito que ele estava com a “cabeça a prêmio”.

Bolsonaro deu um ultimato a Levy: afirmou que ele seria demitido se não demitisse o diretor de Mercado de Capitais do banco, Marcos Barbosa Pinto. O diretor foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Após a declaração de Bolsonaro, o próprio Barbosa Pinto pediu demissão – e depois Levy.

Joaquim Levy tomou posse em janeiro como presidente do BNDES. Ainda no ano passado, quando Levy foi escolhido para o cargo, Bolsonaro disse que quem havia “bancado” a indicação dele era Paulo Guedes, atual ministro da Economia.

Levy foi ministro da Fazenda no segundo mandato de Dilma Rousseff e deixou o cargo após 11 meses.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
G1
Anunciante

Paraná

Caminhonete com mais de 30 pessoas cai em ribanceira; 5 morrem

Publicado em

Uma caminhonete com cerca de 31 pessoas caiu em uma ribanceira de aproximadamente 80 metros às margens da PR-092, entre Cerro Azul e Doutor Ulysses, na Região Metropolitana de Curitiba, no fim da tarde deste domingo (13), de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

Cinco pessoas morreram e 26 ficaram feridas, sendo 10 em estado grave, conforme informação da PRE divulgada às 22h deste domingo. Quatro vítimas morreram no local e uma no hospital. Entre elas, segundo a polícia, estão o motorista e um pastor.

De acordo com a polícia, o trecho da rodovia onde aconteceu o acidente, na altura do km 124, não tem asfalto – e é de difícil acesso. Conforme a PRE, o grupo de pessoas de Cerro Azul retornava de um culto evangélico, em Doutor Ulysses.

A polícia informou que a forma como as pessoas estavam sendo transportadas, na carroceria de uma caminhonete, é irregular.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

RIO DE JANEIRO

Família morta em acidente na Dutra ia mostrar filha de 29 dias a parentes

Colisão na Rodovia Presidente Dutra deixou cinco pessoas da mesma família mortas. Motorista de carreta que invadiu a pista também morreu

Publicado em

Um acidente neste sábado (12/10/2019) na Rodovia Presidente Dutra (RJ), na altura de Resende, resultou na morte de cinco pessoas da mesma família, incluindo uma bebê de apenas 29 dias. Simone da Silva Vilhaça Dias, 37 anos, e Felipe Dias da Silva, 32 anos, estavam em viagem para apresentar a filha recém-nascida a parentes. No momento da colisão, os três faziam um passeio com a mãe de Felipe, Rosilane Dias Cornelio Meier, e o marido dela, o suíço Max Meier.

O carro da família foi atingido por uma carreta que invadiu a pista contrária. Anderson Marcelo, condutor do carro fora de controle, também morreu. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, ele teve uma amostra de sangue recolhida para verificar se dirigia sob influência de álcool.

Simone e Felipe moravam na cidade do Rio de Janeiro e estavam em sua primeira viagem após o nascimento da filha. Publicações das redes sociais da mulher sugerem uma família feliz. “Alice veio para alegrar ainda mais a nossa família, com uma saúde perfeita”, escreveu no Facebook.

Filha de motorista pede empatia
Após o acidente, a fillha de Anderson defendeu o pai e pediu respeito à dor da família. “Meu pai tem 3 filhos, tem uma família, eu sinto muito pela família das outras pessoas e eu só queria que o resto tivesse um pouco de empatia, porque meu pai também é vítima”, disse.

O acidente foi registrado às 13h40, na altura do quilômetro 293, e chegou a provocar 7,5 quilômetros de congestionamento.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
80