CONECTE CONOSCO

TEATRO

Espetáculo “EU, MULHER!” estreia em Araçatuba neste sábado

Após a estreia, o grupo vai circular por cidades da região, levando o espetáculo e atividades formativas, tudo de forma gratuita

Publicado em

A atriz Geovanna Leite dá vida à "mulher que virou festa" na montagem que reúne três monólogos - Fotos: Rafaela Cândido


O Grupo EMPODERA de Teatro convida toda a comunidade a prestigiar o espetáculo “Eu, Mulher!” que fará sua estreia no próximo sábado, dia 15, às 19h30, no Centro Cultural Casa Maré, em Araçatuba. A peça que foi compartilhada ao público em abril de 2018 na Oficina de Macacos, passou por um intenso processo reestruturação e agora fará a sua estreia oficial, com muitas novidades. A entrada é gratuita. Classificação 18 anos.

Dividida em três monólogos, a peça narra o drama de três mulheres: a primeira, que sufocou (Brunna Lima); a segunda, que foi para a rua (Larissa Lacava); e a terceira, que virou festa (Geovanna Leite). Todas elas dão vazão aos seus pensamentos na tentativa de se empoderarem da própria existência, em meio a uma sociedade tradicional e conservadora. Três monólogos, três histórias distintas que, juntas, compõem “Eu, Mulher!”.

Para o grupo, todas as transformações ocorridas na peça serviram para potencializar ainda mais o trabalho. De acordo com o diretor e dramaturgo Heitor Gomes, o grupo havia chegado num limite de investigação de dramaturgia e esboço de cena que para lapidar, dependeria de verba de financiamento.

“Decidimos fazer a inscrição para o edital do Proac e pleitear essa verba. Fomos selecionados e então conseguimos trazer novos profissionais para o projeto, a fim de finalizar elementos estéticos e observar como influenciavam nas cenas delineadas”.

Brunna Lima em cena no papel da “mulher que sufocou”

DESAFIO

Para a atriz Brunna Lima, a retomada do projeto e reformulação da peça foi um grande desafio. “Todas as cenas tiveram readaptações, com nova sonoplastia, iluminação, cenário, figurinos, dentre outros elementos. As cenas acontecem em novos espaços alternativos. Acho que o público vai se surpreender bastante”, adiantou.

A atriz Larissa Lacava falou sobre a retomada dos estudos. “O aprofundamento teórico se baseou no encontro das nossas experiências pessoais que viraram dramaturgia pelas mãos do Heitor, junto com o estudo de histórias populares sobre arquétipos femininos que são contadas no livro ‘Mulheres que correm com os lobos’. Muitos desses elementos entraram na cena”, comentou.

Já a atriz Geovanna Leite citou as atividades realizadas pelo projeto junto à comunidade, como a oficina de dramaturgias femininas e a roda de conversa sobre a mulher no teatro. “Essas atividades compartilhadas, somadas à nossa volta à sala de ensaio, aprofundamento teórico e a chegada de novos profissionais, serviram para lapidar e potencializar o que tínhamos”, disse.

NOVA EQUIPE

As cenas do espetáculo “Eu, Mulher!” foram potencializadas com a adesão de uma nova equipe ao projeto, formada por Rodrigo Santiago na iluminação, Lucas Antunes na sonoplastia, Letícia Nascimento na direção musical, Maria Eduarda Viana na cenografia e figurino, Mônika Norte na operação de som, luz e participação em cena.

Para Heitor Gomes, cada artista foi deixando seu rastro e fez com que esse espetáculo se potencialize e crescesse com olhar de todos, multiplicando as vozes para que elas ressoem em Araçatuba e região. “Porque o intuito do EMPODERA também é dar mais espaço, mais ressonâncias para essas vozes plurais”, acrescentou.

A atriz Geovanna Leite disse que se sentiu completamente acolhida por toda a equipe. “Essa galera nova veio para somar, uma sensação de acolhimento e união de forças. Principalmente entre mulheres e homens, porque é assim que tem que ser: todo mundo lado a lado”, ressaltou.

Larissa Lacava interpreta a “mulher que foi para a rua”

CENÁRIO CULTURAL

Segundo analisou Gomes, mais que potencializar as cenas, a chegada da nova equipe tem muito a contribuir para a consolidação do cenário cultural de Araçatuba e região. “Convidamos artistas que estão iniciando no meio teatral e outros que estão há anos nesta estrada. São profissionais de Araçatuba, Birigui, Penápolis e intercâmbio com São Paulo. Queremos fortalecer essa rede de parcerias e desconstruir esse olhar de competitividade entre os artistas locais”, comentou.

Heitor acredita que diante o sucateamento da Cultura e da Educação, a união dos artistas é fundamental. “Estamos vivendo um momento difícil e quanto mais estivermos juntos, torcendo pelo sucesso de um grupo, contribuindo para o trabalho do outro, mais conseguimos dar visibilidade para a Cultura. Queremos mostrar que estamos produzindo cultura, teatro. Que o teatro no interior é feito por pessoas dedicadas, esforçadas, que buscam amadurecer o seu trabalho. E que acima de tudo, o teatro existe e resiste!”, concluiu.

CIRCULAÇÃO

Após a estreia do “Eu, Mulher!” em Araçatuba, no dia 15, o Grupo EMPODERA vai circular por mais quatro cidades da região, levando o espetáculo, além da oficina de dramaturgia feminina e a roda de conversa, tudo de forma gratuita para a população.

Em Birigui, o grupo fará apresentações e atividades formativas nos dias 22 e 23 de junho; em Penápolis, nos dias 13 e 14 de julho; em Rio Preto, nos dias 14 e 15 de setembro. Próximas datas e locais serão divulgados conforme disponibilidade dos municípios.

Todas as atividades integram o projeto “Eu, Mulher – Teatro e Empoderamento no Noroeste Paulista”, realizado com recursos do Programa de Ação Cultural – ProAc, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. O grupo ainda conta com apoio das prefeituras dos municípios parceiros no projeto, além da Oficina de Macacos e Casa Maré, de Araçatuba.

Ficha Técnica:

Direção e Dramaturgia: Heitor Gomes / Assistência de Direção: Rodrigo Santiago / Atrizes e colaboradoras de dramaturgia: Brunna Lima, Larissa Lacava e Geovanna Leite / Sonoplastia: Lucas Antunes / Iluminação: Rodrigo Santiago / Operação de luz, som, participação em cena: Mônika Norte / Preparação de canto: Letícia Nascimento / Figurino e adereço de cena: Duda Viana / Arte gráfica e ilustrações: Adrian Christian / Fotografia: Rafaela Cândido / Assessoria de Imprensa: Thaísa Fernanda / Produção executiva: Rodrigo Santiago / Assistência de produção: Mônika Norte / Produção geral: Heitor Gomes e Larissa Lacava.

 

Serviço:

Estreia de “EU, MULHER!”

Dia 15 de junho, às 19h30

Centro Cultural Casa Maré (Rua Argentina, 435 – Araçatuba/SP)

Classificação 18 anos.

Duração 60 minutos.

Gratuito!

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte: Thaísa Fernanda/Assessoria de Imprensa
Anunciante

Saúde

Os quatro sintomas que você sentirá antes de um ataque cardíaco

Publicado em

Inicialmente pode sofrer aquilo que os médicos chamam de ‘ataque silencioso’.Investigadores da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, afirmam que é comum que ataques cardíacos tenham os seus sintomas não reconhecidos, principalmente quando falamos do ‘ataque silencioso’ – ou enfarte do miocárdio –, que apresenta um risco sério de morte. E, quando o assunto é sobreviver a um ataque cardíaco, há uma forte relação com o tempo que se leva para socorrer a vítima.

Só nos Estados Unidos, estima-se que 200 mil pessoas sofram ataques cardíacos todos os anos sem que se apercebam. Esse tipo silencioso de ataque corresponde a 25% do total de ataques do coração, ou seja: trata-se de realmente um sério problema de saúde.

Nesse sentido o cardiologista Chauncey Crandall elaborou, e partilhou com a revista TIME, algumas dicas para fazer com que, caso venha a passar por essa situação, consiga facilmente reconhecer os sinais e pedir ajuda a tempo.

Crandall explica que o corpo humano avisa dias, semanas e até meses antes de que está prestes a sofrer um ataque cardíaco. O problema é que esses sinais são vagos, silenciosos e podem, inclusive, ser completamente indolores; muitas pessoas nem se apercebem que estão de facto relacionados com o coração.

Sintomas

De acordo com o cardiologista, é necessário estar atento à presença de quatro sinais específicos e não têm nada a ver com o que costuma ver nos filmes, ou seja quando alguém coloca a mão no peito, sente-se mal e cai ao chão; embora esse tipo de ataque exista, é o menos comum.

Crandall explica ainda que a diferença entre um ataque cardíaco e um acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame, é qual artéria é bloqueada: a que irriga o cérebro ou a que irriga o coração.

Como tal deve estar atento aos seguintes sintomas:

Dor no peito: É sem dúvida o sintoma mais comum. É importante, porém, que saiba que existem dois tipos preocupantes de dores no peito: a primeira é aquela que sente por todo o corpo; a segunda, que ocorre apenas nas regiões esquerda e central, podendo percorrer o braço esquerdo. Essa dor pode dar-se de maneiras diferentes: ir e vir várias vezes, com uma dor breve; mais dor e maiores intervalos. O desconforto, menos ou mais intenso, vai existir de qualquer forma.

Falta de ar: Mesmo se não tiver dores no peito, a falta de ar pode ser um forte indicador de ataque cardíaco. Um estudo publicado no Reino Unido indica que, entre as pessoas que sofreram ataques cardíacos, três em cada cinco tinham falta de ar – o que inclui pacientes que não apresentaram dor alguma no peito.

A falta de ar pode aparecer antes ou durante um ataque cardíaco. Na presença desse sintoma, não deixe de procurar um médico.

Indigestão ou azia: Tal ocorre porque o corpo nem sempre sente a dor diretamente. As células nervosas do estômago estão localizadas perto do coração, o que faz com que essas duas situações – azia e ataque cardíaco – possam ser confundidas.

Náuseas e vômitos: Estas duas características são geralmente classificadas como atípicas quando o assunto é ataque cardíaco, mas explica que já percebeu a ocorrência desses sintomas em muitos dos seus pacientes.

É importante entender que, nesse caso, os sinais ocorrem juntamente com outros, e quase nunca sozinhos. É lógico que deve sempre ficar atento antes de entrar em desespero. Na dúvida, consulte um médico para saber como está a saúde do seu coração.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

SAÚDE

Correr ou pedalar: qual exercício emagrece mais?

Os dois são eficientes, mas cada um tem a sua peculiaridade

Publicado em

A dúvida de qual exercício optar para ajudar no processo de emagrecimento é muito frequente. Quando comparamos o treino de corrida e de bike é possível constatar que os dois são eficientes, porém, cada um com sua peculiaridade. Aos detalhes!

A bike possui uma resistência do pedal que não temos durante a corrida. Isso gera uma sobrecarga mecânica constante, como fazer um ciclo de fase concêntrica empurrando (anterior da coxa) e puxando (posterior). Assim, mantém-se um nível metabólico mais elevado.

É claro que, em uma corrida, especialmente com sprints máximos, conseguimos atingir alto nível de acidose metabólica e acúmulo de resíduos. Porém, tudo isso às custas de um estresse mecânico alto e maior impacto para articulações em geral.

Se o objetivo é gerar um gasto calórico alto e atingir uma frequência cardíaca mais elevada, na bicicleta será mais difícil de conseguir, uma vez que a fadiga periférica (cansaço das pernas) irá limitar a parte central (coração) a atingir seu ponto máximo de trabalho.

Então, é comum as pessoas correrem e atingirem “facilmente” uma frequência cardíaca alta – e não conseguir o mesmo resultado na bike.

Mesmo mantendo intensidades iguais, a incidência de microlesões no tecido muscular é mais evidenciada na corrida. Porém, o ciclismo gerou mais respostas de acidose e acúmulo de resíduos, enquanto a corrida teve maior gasto calórico e ÉPOC (consumo excessivo de oxigênio após o exercício) associado.

É importante lembrar que as sobrecargas articulares serão diferentes e, por isso, é fundamental analisar individualmente qual dos dois exercícios seria mais adequado, principalmente para pessoas com problemas ortopédicos.

Busque ajuda de um profissional qualificado para te orientar!

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

ALERTA

Saques do FGTS: Caixa dá dicas para evitar golpes contra o trabalhador

Banco não envia e-mail, não pede senha e nem dados pessoais para trabalhadores

Publicado em

A Caixa Econômica Federal registrou mais de 12 milhões de transações nesses primeiros dias de saques de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo o governo federal, devem injetar R$ 40 bilhões na economia até março de 2020.

Para evitar que as pessoas sejam vítimas de golpistas, o banco publicou em seu site dicas de segurança.

Dicas de segurança

Evite fornecer a senha ou número do Cartão Cidadão, pois golpistas procuram entrar em contato com os clientes se passando por empregados das centrais de cartões ou do banco, para obter informações e, assim, aplicar golpes.

Não acesse links em nome da Caixa, pois o banco não envia links por e-mail, SMS ou WhatsApp. “Se você receber mensagens desse tipo, desconfie”. Não faça pré-cadastro para saque do FGTS. Golpistas têm se passado pela Caixa no WhatsApp. Não responda. Em caso de dúvida, procure os canais oficiais do banco.

A área de segurança da Caixa mantém ainda, uma página atualizada com dicas e informações sobre os principais golpes praticados pelos fraudadores.

O banco alerta que não envia mensagens sobre saques das contas vinculada FGTS; não solicita senhas, dados ou informações pessoais do trabalhador; não pede confirmação de dispositivo ou ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.

O banco orienta que os trabalhadores busquem informações sobre FGTS disponíveis nos canais oficiais da Caixa, na internet, no endereço fgts.caixa.gov.br, no app FGTS ou no telefone 0800-726-0207, ou direto em suas agências.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
85