CONECTE CONOSCO

ECONOMIA

Empresário de Birigui grava vídeo e implora socorro a Bolsonaro para melhorar economia

Publicado em

Empresário Carlos Alberto Mestriner, proprietário da indústria de calçados Klin, de Birigui (Foto: Reprodução de Vídeo)


O empresário Carlos Alberto Mestriner, proprietário da indústria de calçados Klin, de Birigui, gravou um vídeo em que pede socorro ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e uma ação urgente que “traga oxigênio à economia no curtíssimo prazo, para que o Brasil volte a respirar”.

Mestriner, que apoiou Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018, disse que a situação econômica, que já era ruim no final do ano passado, piorou muito nos primeiros seis meses de governo, ao contrário do que fora prometido e estava previsto.

Usando uma bandeira do Brasil no cenário, ele cita que dezenas de indústrias de calçados estão encerrando suas atividades ou reduzindo suas produções e milhares de trabalhadores estão perdendo o emprego. “Pais de famílias vendo as condições de suas famílias deteriorarem. A desesperança começa a tomar conta dessas pessoas”, afirmou.

O empresário diz, ainda, que o consumo está em queda livre, o que enfraquece o varejo e acarreta na diminuição das encomendas às indústrias de todos os setores. “Estamos alimentando uma bola de neve que só tende a aumentar e piorar”, disse.

Mestriner afirma, na mensagem, que está em Birigui, a capital do calçado infantil, “cidade onde mais de 83% votou na esperança, votou na mudança, votou em Bolsonaro”.

O vídeo, que circula pelas redes sociais, é endereçado também ao ministro da Economia, Paulo Guedes, senadores e deputados. Nele, o empresário fala também de uma queda de braço entre o Executivo e o Legislativo.

“Esta luta de egos está levando a corda a estourar para o lado mais fraco da sociedade, que é a do brasileiro mais humilde, o trabalhador”.

Ao final, Mestriner diz que os trabalhadores brasileiros não suportarão mais um mês sequer sem o que ele chamou de “oxigênio para que o Brasil volte a respirar”. “Na verdade, neste momento, o que estamos fazendo é pedindo, é implorando socorro”, finalizou.

Veja o vídeo:

(Confira o teor do vídeo na íntegra abaixo)

“Presidente Bolsonaro, ministro Paulo Guedes, caros senadores e deputados:

Hoje, o ambiente econômico se resume no seguinte: o consumo está em queda livre. Os consumidores não estão vendo luz no final do túnel. Com isso, o varejo está enfraquecendo dia após dia, acarretando em diminuição de encomendas às indústrias, e de todos os segmentos, refletindo no setor produtivo, inclusive no transporte. Está é a atual realidade do Brasil.

Tudo isso está levando o nosso país à total estagnação de sua economia. A economia do Brasil não está caminhando como deveria. A paralisação de todos os setores da economia nacional está levando ao desemprego generalizado pelo País afora. Estamos alimentando uma bola de neve que só tende a aumentar e piorar.

Aqui na região noroeste do Estado de São Paulo não é diferente. Estamos em Birigui, a capital do calçado infantil, cidade onde mais de 83% votou na esperança, votou na mudança, votou em Bolsonaro.

Sabemos perfeitamente das dificuldades enfrentadas por esta nova forma de governar e por isso tem nosso apoio. Porém, nesses primeiros seis meses de governo, a dura realidade que estamos vivendo é que estamos sentindo diretamente na pele, é que dezenas de indústrias do calçado estão encerrando suas atividades ou reduzindo suas produções.

Milhares de trabalhadores estão sendo desempregados. Pais de família vendo as condições de suas famílias deteriorarem. A desesperança começa a tomar conta dessas pessoas.

Apesar da dramática situação de perdas de emprego, o que se vê ainda é uma queda de braço entre o Executivo e o Legislativo, incluindo grande parte da mídia, sem contar com a esquerda, apostando no quanto pior, melhor.

Esta luta de egos está levando a corda a estourar para o lado mais fraco da sociedade, que é a do brasileiro mais humilde, o trabalhador. Justamente aquele que apoiou com esperança de dias melhores. No entanto, o que este brasileiro sente são os empregos, as oportunidades e a esperança desaparecerem, morrendo.

O que estava ruim até o final do ano passado, ao contrário do que era previsto e prometido, piorou, e muito. Esta infeliz queda de braço e a morosidade só estão conseguindo levar o Brasil a óbito.

As reformas precisam acontecer, sim. É necessário, é urgente, é urgentíssimo. Mas mais do que estas reformas estruturais, é preciso fazer alguma coisa agora com a máxima urgência possível, que traga oxigênio à economia no curtíssimo prazo, pra que o Brasil volte a respirar.

Nossa região, Birigui, o País e, principalmente, os trabalhadores brasileiros não suportarão mais um mês sequer sem este vital oxigênio.

Na verdade, neste momento, o que estamos fazendo é pedindo, é implorando socorro.”

Carlos Alberto Mestriner

Empresário no Setor Calçadista

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

economia criativa

Feira de Mangaio acontece neste domingo (22), em Araçatuba

O evento vai acontecer na praça do Bairro Jussara

Publicado em

No próximo domingo, 22 de setembro, a Praça Manoel da Silva Prates, em Araçatuba, mais conhecida como “Praça do Jussara”, terá uma movimentação diferente.

Entre 16h e 19h, o espaço será ocupado pela Feira de Mangaio, uma feira de economia criativa, que contará com expositores mostrando, comercializando ou até mesmo trocando artigos como artesanato, produtos naturais, roupas seminovas, discos de vinil, alimentos e livro, entre muitos outros.

Pequenos produtores, colecionadores, artesãos, artistas e pessoas de outros segmentos da comunidade participam do evento e o público tem livre acesso para circular e aproveitar os produtos.

As feiras de economia criativa são espaços de relação interpessoal, trocas de experiências e valores, que promovem oportunidades para aquecer a produção do setor criativo.

De acordo com a produtora cultural Flávia dos Santos, uma das responsáveis pelo projeto, a feira proporciona diversos benefícios à cidade e aos participantes.

“Ela dá visibilidade ao artesão, ao pequeno produtor… A ideia é viabilizar o encontro de quem produz a arte com o seu potencial consumidor, além de incentivar o consumo consciente e fortalecer a ideia de comprar dos pequenos empreendedores da cidade”, diz.

“O principal objetivo é dar visibilidade e promover as pessoas que movem a economia criativa da cidade, a arte, a cultura… E a nossa expectativa é que tenha um envolvimento da comunidade do bairro, desde consumidores até expositores (expositores do bairro Jussara, aliás, já aderiram à ideia)”, complementa a produtora.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone e Whatsapp (17) 99178-6229.

PROJETO

A Feira de Mangaio deste dia 22 é um dos eventos que integram o projeto “Mangaio na Cena”, aprovado pelo ProAC (Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo).

Além da feira, o projeto é composto também por um aplicativo e um portal de cultura e turismo. Ambos contêm a catalogação de toda a cadeia produtiva da economia criativa do município de Araçatuba. O app já está disponível para Android e IOS, com acesso gratuito pelo Play Store e Apple Store desde o início do mês de agosto. Já o portal entrará no ar no final de setembro.

O projeto “Mangaio na Cena”, inscrito e aprovado dentro do módulo “Economia Criativa”, do ProAC Municípios, está sendo colocado em prática, além de Flávia dos Santos e Thiago Mosaico, pelos produtores culturais Rafael Batista e João Gabriel Avanso.

Serviço

Feira de Mangaio

Dia: 22 de setembro, domingo

Horário: Das 16h às 19h

Local: Praça Manoel da Silva Prates, no bairro Juçara, Araçatuba

Entrada gratuita

Informações: (17) 991786229 (Flávia)

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

LEGISLATIVO

Plenário de Araçatuba arquiva proposta que restringe homenagens a servidores

Publicado em

Foto: Angelo Cardoso

Por maioria de votos – 8 contrários e 7 favoráveis – o Plenário rejeitou hoje (16), em primeira discussão, o projeto de resolução do vereador Dr. Flávio Salatino (MDB) que altera regras para propor homenagens a servidores públicos que atuam no município. Com isso, a proposta foi arquivada.

Na justificativa da matéria, o autor defende que o reconhecimento pelo Legislativo deve ocorrer por atos feitos por funcionários nos períodos em que não estejam a serviço da administração pública e que essas ações não sejam inerentes às atribuições do cargo.

Durante a 28ª sessão ordinária do ano, os parlamentares também rejeitaram por maioria de votos o parecer contrário da Comissão Permanente de Justiça e Redação ao projeto de lei do vereador Rivael Papinha (PSB) que cria no município a Patrulha Maria da Penha a fim de garantir as medidas protetivas a mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Com isso, a matéria segue tramitando normalmente na Câmara.

Por fim, os vereadores Denilson Pichitelli (PSL) e Professor Cláudio (PMN) obtiveram a reconsideração do Plenário para receber os projetos de lei apresentados pelos dois vereadores. Dessa forma, as duas propostas seguem tramitando no Legislativo.

Pichitelli propõe a criação de um serviço de notificação obrigatória de vítimas de acidentes de trânsito no município. Já o vereador Professor Cláudio busca alterar a Lei Municipal referente à proibição da venda e utilização de cerol no município, aumentando o valor da multa cobrada. (Fonte: Assessoria de Comunicação: João de Paula)

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

TRAGÉDIA

Ônibus com trabalhadores rurais cai em ribanceira, mata um e deixa 22 feridos

Publicado em

Uma pessoa morreu e outras 22 ficaram feridas em um acidente envolvendo um ônibus de trabalhadores rurais, que caiu em uma ribanceira na madrugada desta terça-feira (17). O acidente ocorreu em uma estrada vicinal que liga os municípios de Luiziânia e Santópolis do Aguapeí.

O veículo levava os trabalhadores para uma usina de açúcar e etanol. De acordo com o Corpo de Bombeiros, José Marinaldo, de 42 anos, chegou a ser socorrido ao hospital de Clementina, mas não resistiu aos ferimentos. Outras 22 pessoas ficaram feridas e continuam internadas.

A hipótese é que o ônibus teria saído da pista e capotado na ribanceira. Ambulâncias de Clementina ajudaram no transporte dos feridos. As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil.

Com informações do Jornal Interior

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
85