CONECTE CONOSCO

FALEI E PONTO!

Poucos projetos e muitos aplausos: Câmara exagera nas homenagens em véspera de ano eleitoral

Publicado em

Os vereadores Arlindo Araújo e Jaime José da Silva conversam durante a sessão que teve muitas homenagens e poucos projetos - Foto: Angelo Cardoso/Câmara Municipal de Araçatuba


Só aplausos

A Câmara Municipal de Araçatuba exagerou nos votos de aplauso na sessão desta segunda-feira (13). Eram 22h e o plenário ainda estava discutindo e apreciando as sucessivas homenagens propostas pelos vereadores. O excesso foi tamanho que o chamado pequeno expediente, em que os vereadores usam a tribuna para falar de assunto de livre escolha, teve de ser adiado para a próxima sessão.

Se vê de tudo

Teve até voto de aplauso para a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, proposto pelo vereador Jaime José da Silva (PTB). A justificativa foi a instalação dos bolsões de motos, criados por lei aprovada pela própria Câmara. A homenagem contou com a presença do titular da pasta, Tadeu Consoni, que acumula a Secretaria de Planejamento e Habitação. A pergunta é: cumprir a lei é obrigação ou motivo de aplauso? Em véspera de ano eleitoral, se vê de tudo na política mesmo.

Medo de água fria

Escaldado, o vereador Almir Fernandes Lima (PSDB), que não conseguiu aprovar um único projeto este ano, adiou por nada menos que 30 sessões (isso mesmo, você não leu errado, são TRINTA sessões!) a apreciação de sua proposta que prevê parcerias entre empresas e a Secretaria Municipal de Educação. Como diz o ditado, “gato escaldado tem medo de água fria”.

Retirou

O vereador Alceu Batista (PV) retirou o projeto de lei que previa o fim da cobrança de ingressos na Exposição Agropecuária de Araçatuba. A justificativa foi que a organização não teria tempo hábil para providenciar entradas separadas para o público que vai ao recinto de exposições assistir aos shows, que pagariam pelas atrações, e para aqueles que quisessem apenas visitar o local, que ficariam isentos do pagamento da entrada.

Despedida

Marlene Mira se despediu da Câmara Municipal de Araçatuba nesta segunda-feira (13). Ela substituiu o vereador Cido Saraiva (MDB), que se licenciou em abril. O que causou estranheza foi o tom da despedida. A vereadora, que iniciou o curto mandato questionando o prefeito Dilador Borges (PSDB) em vários requerimentos de informação, saiu agradecendo o chefe do Executivo, por responder aos seus questionamentos. Como se ele não fosse obrigado por lei a enviar respostas quando questionado pelos parlamentares.

Despedida 2

Mesmo com o adiamento do pequeno expediente, Marlene Mira teve tempo de subir à tribuna, ainda que por poucos minutos, para se despedir da Câmara. Aproveitou para fazer novos agradecimentos a Dilador, aos seus colegas vereadores e a Deus.

Greve

Vários ônibus sairão de Araçatuba nesta terça-feira (14) com professores e munícipes que irão a São Paulo para participar da greve nacional da educação, prevista para esta quarta-feira (15). O movimento é contrário ao corte de verbas na educação básica e superior e à reforma da Previdência. Os vereadores Cláudio Henrique da Silva (PMN) e Denilson Pichitelli (PSL) marcam presença no ato, que será realizado na Avenida Paulista.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

Entrevista Exclusiva

VÍDEO: Vizinho tentou salvar idosa que morreu durante incêndio em Araçatuba

Testemunha contou como foi a tentativa de resgate da idosa que morreu carbonizada em Araçatuba

Publicado em

Ricardo Luciano Amorim dos Santos, 43 anos, contou ao Regional Press como foi a tentativa de resgate da idosa Edna Garcia, 85 anos, que morreu carbonizada durante um incêndio na casa dela, na noite desta segunda-feira (15), no bairro Vila Industrial, em Araçatuba.

Socorrido com queimadura na mão e suspeita de lesão em uma costela, Ricardo foi atendido no pronto-socorro municipal e liberado na madrugada de hoje (16).

Ele contou que, junto com outras testemunhas, chegou a ter contato com a idosa ainda viva em meio ao fogo que atingia a casa.

Ele disse que a moradora estava com graves queimaduras e que não foi possível retirá-la devido ao excesso de pele que se desprendia dos braços da vítima.

A tentativa de resgate durou até ocorrer uma explosão, possivelmente no botijão de gás. Paredes começaram a desmoronar e os vizinhos tiveram que sair. Ricardo ainda caiu e foi retirado do local pelos colegas.

Veja o vídeo com a íntegra da entrevista exclusiva que a testemunha deu ao Regional Press.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Urupês (SP)

Égua coberta por montanha de mato chama a atenção no interior de SP

Prefeitura informou que está investigando o caso e que vai tomar as providências cabíveis.

Publicado em

Moradora registrou a cena da égua coberta por montanha de mato em Urupês — Foto: Arquivo pessoal

Uma égua foi flagrada carregando uma ‘montanha’ de mato no bairro Jardim Novo Mundo, em Urupês, cidade a aproximadamente 170 km de Araçatuba.

A imagem foi enviada para a equipe da TV TEM nesta segunda-feira (15) por uma moradora, que afirma que se revoltou ao ver o animal com a grande quantidade de restos de podas. O mato, de acordo com ela, foi colocado na égua por um carroceiro.

Ainda de acordo com a mulher, que preferiu não se identificar, o caso foi registrado no sábado (13). Ela conta que questionou o homem sobre o peso e quantidade do material que a égua transportava, já que estava com a pata machucada.

Contudo, ele teria afirmado que o animal é idoso e já iria descarregar os restos de podas.

Maus-tratos

Conforme a TV TEM, procurou a Polícia Militar, que afirmou não ter recebido nenhum tipo de denúncia, mas explicou que vai tentar encontrar o carroceiro e que ele pode responder criminalmente por maus-tratos.

A Prefeitura de Urupês informou que está investigando o caso e que vai tomar as providências cabíveis.

Além disso, também disse que as carroças que circulam na cidade devem seguir as leis e que a do homem está desrespeitando as regras.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Interior de SP

Réu que disparou contra ex-enteada será submetido a novo julgamento

Publicado em

A 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo deu provimento a recurso interposto pelo Ministério Público e determinou que homem que tentou matar, a tiros, a filha de sua ex-companheira seja submetido a novo júri popular.

Segundo o relator da apelação, desembargador Vico Mañas, a decisão que afastou a qualificadora de feminicídio foi manifestamente contrária às provas dos autos.

O caso aconteceu no município de Amparo. Consta nos autos que, inconformado com o fim do relacionamento, o réu acusava a filha de sua ex-companheira de ser a responsável por sua mãe não aceitar reatar.

Determinado dia, abordou a ex-enteada e desferiu dois tiros em suas costas; a vítima caiu e o homem disparou o terceiro tiro acertando sua perna. A vítima foi socorrida e sobreviveu.

O tribunal popular descaracterizou a qualificadora de feminicídio e reconheceu o privilégio da ação por violenta emoção, o que resultou em diminuição da pena. Assim, o acusado foi sentenciado a 11 anos e um mês de reclusão, em regime inicial fechado.

“Contrariou manifestamente a prova dos autos o afastamento da qualificadora do feminicídio. Afinal, tratou-se de delito contra a mulher por razões da condição do sexo feminino, nos termos do art. 121, § 2º, VI, do CP, definido como tal a infração que envolva violência doméstica, conforme o art. 121, § 2º-A, I, do CP”, escreveu o relator em seu voto.

“Inegável que compete ao Tribunal do Júri dizer sobre a ocorrência ou não das qualificadoras atribuídas. Mas isto não representa que deva ser preservado o veredito quando manifestamente improcedente a compreensão exarada sobre tais circunstâncias, como na hipótese”, concluiu o magistrado.

O julgamento teve a participação dos desembargadores João Morenghi e Angélica de Almeida. A votação foi unânime.

Processo nº 0005404-10.2016.8.26.0022.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
89