CONECTE CONOSCO

FLAGRANTE

Policiais do TOR recuperam carro furtado e apreendem centenas de tijolos de maconha

Publicado em

Foto: Divulgação


Policiais rodoviários do TOR (Tático Ostensivo Rodoviário) da 4ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Rodoviária prenderam um homem em flagrante e recuperaram um veículo GM Cobalt, furtado, além de apreender centenas de tijolos de maconha, na manhã desta quarta-feira, em Castilho, região de Andradina. A droga pesou 880, 5 quilos.

Os policiais faziam patrulhamento pela rodovia Gerson Dourado de Oliveira quando deram sinal de parada ao condutor do veículo GM Cobalt, que não obedeceu e fugiu. Houve acompanhamento e o motorista entrou em meio a um canavial, abandonou o veículo e fugiu a pé.

No carro os policiais localizaram, sobre o banco traseiro, no porta-malas e no interior das portas traseiras, grande quantidade de maconha.

Ao consultar os dados do veículo, constataram que o carro havia sido furtado em São Paulo no mês passado. Após realização de buscas no canavial o acusado foi localizado e detido em flagrante, sendo apresentado na delegacia de Andradina, onde ficou à disposição da Justiça.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

ECONOMIA

Em meio à crise, Birigui recebe R$ 20 milhões de investimentos

Previsão é de gerar 750 empregos até o fim do ano com a instalação de novas empresas e a ampliação de outras

Publicado em

Em meio à crise econômica e às dificuldades da indústria calçadista, Birigui contabiliza, este ano, R$ 20 milhões em investimentos na economia local. Os números refletem a instalação de novas empresas na cidade, algumas já em funcionamento, outras em processo de implantação. A estimativa é de gerar perto de 750 empregos diretos até o fim do ano.

A movimentação prevista inclui aquisição de móveis e equipamentos, construção e reformas. A atração de investimentos para o município faz parte de uma estratégia para diversificar a economia da cidade, até então dependente, sobretudo, da indústria calçadista.

O setor vem sentindo os impactos da crise econômica. Nos primeiros seis meses, dez empresas calçadistas fecharam as portas em Birigui e, somente nos últimos dois meses, 3 mil pessoas perderam os empregos. As estatísticas são reflexo da perda do poder de compra do consumidor, o que impacta na redução da produção das indústrias.

De outro lado, o município atraiu novos investimentos, como o do Grupo Votorantim, que está instalando um centro de distribuição de cimento, em uma área de cerca de oito mil metros quadrados, localizada no km 525 da Marechal Rondon.

A empresa deverá gerar 40 empregos diretos e agregar dez caminhões pequenos trucados para a distribuição dos produtos no Noroeste Paulista e Mato Grosso do Sul.

Outro empreendimento é da Mundo Móveis, empresa fabricante de estofados em geral, que tem previsão de gerar, inicialmente, 200 empregos diretos, chegando a 400 quando a produção estiver a todo vapor.

A empresa está selecionando 50 tapeceiros; 50 pessoas com conhecimento em costura (de preferência em máquina reta) e 20 marceneiros. Há vagas para o escritório também.

FORNOS

A indústria metalomecânica Tecnopizza, que está em processo de instalação na antiga área da calçadista Classipé, que encerrou as atividades neste ano, vai produzir fornos elétricos para pizzarias. A previsão é de contratar 60 funcionários, entre motoristas, auxiliares de escritórios e para a linha de produção.

ÁREAS

O titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Nelson Giardino, disse que além dos novos empreendimentos, o município distribuiu, desde o início da atual gestão, 122 mil metros quadrados de área nos distritos industrial 1 e 2, para 60 empresas em fase de expansão.

Hoje, a Secretaria possui 138 vagas abertas de emprego pelas empresas em processo de instalação na cidade. “Nosso desafio é atrair investimentos para diversificar a nossa economia. Já estamos em negociação com mais uma empresa, que é líder de mercado na área de matéria-prima para calçado, indústria automobilística e vestuário em geral”, afirmou, sem citar nomes.

“O governo municipal está trabalhando incansavelmente para que novas indústrias e empresas de grande porte invistam em Birigui, que conta com uma excelente mão de obra”, afirmou o prefeito Cristiano Salmeirão (PTB).

Ele cita, ainda, que o município investiu na nova UBS do Jandaia, no Ambulatório de Saúde da Criança, Centro Oftalmológico e Centro de Ortopedia, além de ter recebido investimentos privados da rede Lojas Cem, Móveis Casa Verde e rede Montreal Magazine, entre outras empresas que empreenderam na cidade.

SERVIÇO

Os currículos para as vagas disponíveis nas empresas de Birigui podem ser enviados para a Sedecti, que fica na Rua Nilo Peçanha, 301, Centro. O telefone é (18) 3641-6270.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

REGIÃO

Procon lacra supermercado por venda de produtos com prazo vencido em Lins

A rede possui 13 lojas em 6 municípios da região, e em Araçatuba.

Publicado em

Foto: J. Serafim/Divulgação

O Procon, órgão estadual de defesa do consumidor, determinou nesta sexta-feira (19) a interdição temporária de uma das unidades do Supermercado Amigão instaladas em Lins (SP). A loja lacrada é a que fica na Rua Olavo Bilac, no centro da cidade. As informações são do portal G1.

Uma equipe do Procon foi até o estabelecimento às 7h e lacrou os caixas com uma fita. A lacração vale por 12 horas: começou às 7h30 e se estende até 19h30 desta sexta.

Foto: J. Serafim/Divulgação

A justificativa do órgão é a reincidência de infrações cometidas pelo supermercado. Segundo o Procon, nos últimos três anos foram registradas 35 infrações contra o consumidor pela venda de produtos com prazo vencido. Os processos geraram multas que chegam a R$ 112 mil.

A empresa pode recorrer através de liminar. Outros estabelecimentos instalados no mesmo prédio do supermercado, como banco, lotérica e lojas, mantiveram o funcionamento normal.

Conforme a equipe de reportagem do portal G1, entrou em contato com a rede de supermercados, que ainda não se manifestou sobre a interdição.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Solidariedade

Aracanguá vende peças produzidas por alunas do Fundo Social

Publicado em

A presidente do Fundo Social de Solidariedade de Santo Antônio do Aracanguá, Valdete Aparecida Miguel, apresentou, na quarta-feira na sede do Departamento de Desenvolvimento Social, a exposição de peças exclusivas que estão à venda, produzidas por alunas que frequentam as oficinas desenvolvidas pela prefeitura, na sede e nos distritos de Vicentinópolis e Major Prado.

São coleções artesanais em tecidos, com bordados e crochê, em peças como: jogos de toalhas de mesa e de banho, pano de prato, guardanapos, kit de cozinha composto por caminhos de mesa e sousplat de crochê, dentre outros.

Segundo Valdete, todos os produtos foram criados e produzidos pelas 50 alunas dos diversos cursos de capacitação, oferecidos gratuitamente pelo Fundo Social de Solidariedade e têm preços diferenciados.

Valdete explica que, quem gosta de produtos artesanais e deseja comprar peças, deve procurar a sede do Fundo Social, que fica na Avenida Pedro Junqueira de Andrade, 753 ou ligar para o telefone (18) 36391441.

Mas, quem preferir personalizar ou confeccionar outros tipos de peças, também tem a opção de comprar no local para ser personalizada ou levar o tecido e pagar somente pelo serviço de bordado ou crochê. Tudo com qualidade e preços baixos.

“Temos várias opções para atender quem gosta deste tipo de trabalho manual. Quem preferir comprar, a gente já tem pronto pra vender, mas para quem prefere um produto personalizado, também estamos prontos pra atender, até mesmo a pessoa que deseja montar o enxoval de bebê ou peças para presentes em grande quantidade”, destacou.

“São lindas peças produzidas com muito carinho e dedicação, que vão surpreender os apreciadores com a beleza e a diversidade do trabalho manual apresentado pelas nossas alunas, sempre bem orientadas pela instrutora Vera de Castro, especialista e peças artesanais”, enfatiza.

De acordo com Valdete, o objetivo é incentivar o empreendedorismo e valorizar o trabalho e o talento das participantes dos cursos, responsáveis pela criação dos produtos artesanais e, ao mesmo tempo, arrecadar recursos com a venda das peças, que serão totalmente revertidos em prol das ações desenvolvidas pelo Fundo social de Solidariedade.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
95