CONECTE CONOSCO

Município terá 71 abrigos em pontos de ônibus de Araçatuba

Publicado em

Hoje, a maioria dos pontos não possuem abrigos e os usuários do transporte coletivo ficam expostos ao sol e à chuva


A Prefeitura de Araçatuba publicou nesta quarta-feira (8), no Diário Oficial do município, o edital de julgamento da licitação para a contratação da empresa que irá instalar 71 abrigos nos pontos de ônibus da cidade. O resultado do certame, que tem a participação de apenas uma empresa, sai na próxima quinta-feira (16), com o valor que deverá ser gasto pelo município.

O custo estimado pela Prefeitura é de R$ 279.446,67, conforme edital de tomada de preços publicado em abril deste ano.

Serão instalados, de acordo com o edital, 50 abrigos de dois metros e 21 abrigos de três metros. Eles deverão ter cobertura em chapa de aço, espaço para cadeirante, assento em aço carbono, painéis em chapa de aço, lixeira fixada na lateral.

Conforme a Prefeitura, os critérios para a escolha dos pontos que receberão os abrigos são técnicos, levando em consideração as vias mais movimentadas e com maior quantidade de pessoas aguardando pelo transporte coletivo.

Além disso, foi levado em conta também o tamanho da calçada, existência de postes ou árvores que possam impedir a instalação dos abrigos.

Segundo o município, os bairros serão contemplados, pois na área central há diversos pontos com abrigo e a demanda é menor.

A empresa tem prazo de cinco meses para concluir a instalação dos pontos de abrigo, a partir do primeiro dia útil da emissão da ordem de serviço.

Apesar de apenas uma empresa estar participando da licitação, a legislação obriga que o município respeite o prazo para eventuais contestações ao processo. Por isso, a assinatura do contrato só deve ocorrer em 30 dias.

ADOTE UM ABRIGO

Conforme a Prefeitura, além da contratação da empresa para a instalação dos pontos, o município continua incentivando os empresários a participar do projeto ‘Adote um Abrigo’, que prevê a inserção de publicidade das empresas participantes.

Em troca, elas deverão ficar responsáveis por todo o custo de construção, instalação, manutenção e recuperação dos abrigos. Os trabalhos deverão ser supervisionados pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação.

Deixe sua opinião

Fonte:
Anunciante

talentos

Samar reúne comissão julgadora para a escolha dos vencedores do 6º concurso de desenho ambiental que recebeu 8 mil inscrições

Publicado em

A Samar encerrou o 6º Concurso de Desenho Ambiental nesta sexta-feira (24/05) com a reunião da comissão julgadora 2019 para a escolha dos cinco vencedores do curso, que este ano recebeu oito mil desenhos inscritos. Os participantes, com idades entre 06 a 11 anos de idade, são escolas municipais, particulares e estaduais de Araçatuba.

Os jurados avaliaram os desenhos, separados por séries, de acordo com a criatividade e a coerência com o tema proposto “Lixo: não deixe cair pelos canos. Rede de esgoto não é lixeira”. Os cinco vencedores, sendo o primeiro lugar de cada série, já foram definidos. Os resultados serão anunciados durante evento de comemoração do Dia Mundial do Meio Ambiente, 05 de junho, às 09h, no auditório da Samar.

O número de participantes do concurso foi 4,5% maior em relação a 2018, quando foram registrados 7.656 participantes. Em 2019 o evento entrou para o currículo escolar das escolas municipais da cidade. Em 2018 o concurso foi incluído no calendário oficial de eventos do município.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

LEGISLATIVO

Plenário vai discutir segurança para pedestres em áreas de estacionamentos

Publicado em

Os vereadores de Araçatuba devem analisar e votar, na próxima segunda-feira (27/5), a partir das 19h, um projeto de lei que visa garantir a segurança aos pedestres nas áreas de entrada e saída de estacionamentos. A proposição é uma das cinco matérias da 17ª sessão ordinária do ano.

O projeto é assinado pelos vereadores Cido Saraiva (MDB) e Beatriz (Rede). Os objetivos da matéria são melhorar as condições de trânsito na cidade e conscientizar os empresários sobre a garantia de segurança aos pedestres.

Sobre assunto parecido, o vereador Denilson Pichitelli (PSL) apresenta projeto de lei que cria a área de segurança escolar na rede municipal de ensino. A ideia é melhorar a segurança, além de prevenir possíveis situações de perigo aos alunos.

MULTAS A BANCOS

O vereador Professor Cláudio (PMN) é proponente de projeto de lei que modifica a lei municipal nº 6.633/2005, aumentando o valor da multa para as agências bancárias que não atenderem o público em 15 minutos em dias normais e 30 minutos em dias anteriores e posteriores a feriados. De acordo com a proposta, a multa será de R$ 10 mil e poderá ser cobrada em dobro se ocorrer reincidência. A justificativa é que a legislação não está sendo cumprida.

O Executivo propõe, por meio de projeto de lei complementar, alterações no quantitativo dos cargos efetivos de controlador de vetores – que passa de 25 para 50, e de agente comunitário de saúde – que reduz de 300 para 275 vagas.

O Plenário ainda vai continuar a discussão e votação do parecer contrário da Comissão de Justiça e Redação ao projeto de lei, de autoria do vereador Rivael Papinha (PSB), que proíbe o uso de logotipos e cores de representação político-partidárias pelos órgãos da administração municipal.

USO DA TRIBUNA

Os vereadores Lucas Zanatta (PV), Rivael Papinha (PSB), Tieza (PSDB) e Dr. Alceu (PV) estão inscritos para falar sobre assuntos diversos no Pequeno Expediente. Cada parlamentar tem dez minutos para usar a tribuna.

A comunidade pode acompanhar a sessão ordinária pela TV Câmara, no Canal 6 do Sistema Net Digital; pela TV Noroeste, no Canal 19.1 em sinal aberto; pela Rádio Viva FM 106,7 e ainda pelo Canal do Youtube e Facebook, cujos links estão disponíveis neste site.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

Artigo

Jogos: Uma ferramenta eficaz para o ensino da Matemática

Publicado em

A matemática é vista pela maioria dos alunos como uma matéria de difícil compreensão. Nesse caso a busca de metodologia de ensino significativa é de extrema importância para aumentar a motivação na aprendizagem, desenvolver a autoconfiança e despertar o interesse do aluno pela disciplina.

Através dos jogos pedagógicos eles percebem que errar faz parte da apropriação de conhecimento, oque incentiva o mesmo a pensar nas consequências de suas atitudes, facilitando a construção de seus próprios conceitos.

As crianças possuem uma grande capacidade de raciocinar, colocar em prática sua capacidade de resolver situações problemas, caracterizando objetos e buscando uma linha de resolução baseada em esclarecimentos próprios.

Tais jogos contribuem com a proposta de desenvolvimento social, pois existem aqueles alunos que têm vergonha de perguntar sobre determinado conteúdo, de expressar dúvidas, cometer erros, etc.

Um dos aspectos significativos é o trabalho em grupo buscando a cooperação mútua, a participação em equipe, obtendo como resultado a socialização entre os alunos e a apropriação das regras, encontrando diversas estratégias para solucionar situações problemas apresentadas.

A proposta de utilizar os como jogos uma das formas de metodologia de ensino, está relacionada com a utilização de materiais concretos ao desenvolvimento cognitivo da criança.

Ela usará de seus conhecimentos, experiências para participar, argumentar, propor soluções na busca de chegar aos resultados esperados pelo educador.

Ensinar matemática não é somente transferir conhecimento, mas compartilhar conquistas, criar estratégias, para que o aluno construa seus conhecimentos em um
processo ativo de estabelecimento de relações e atribuições de significados.

Respeitando as inúmeras respostas, desde que não fujam do propósito. Por isso é necessário que os jogos pedagógicos façam parte da cultura escolar, para que a aprendizagem ocorra de forma prazerosa e interessante.

Por: Vanessa A. Vicente, professora do 3° Ano do Colégio CETEA de Araçatuba

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

atividade

Produtores rurais de Santópolis do Aguapeí participam de curso de instalações elétricas

Ação ocorre por meio de parceria entre o SIRAN e a FAESP/SENAR-SP, com apoio da Casa da Agricultura e da prefeitura, visa melhorar o aproveitamento do produto e a qualidade dos alimentos

Publicado em

Divulgação

Fios, lâmpadas, interruptores e conectores tomaram as mesas de uma das salas da Casa da Agricultura de Santópolis do Aguapeí (SP).

Sobre elas, 14 produtores rurais manusearam atentamente os materiais, entre os dias 21 e 24 deste mês, durante o curso Instalações Elétricas (Baixa Tensão), promovido pelo SIRAN (Sindicato Rural da Alta Noroeste), em parceria com a FAESP/SENAR-SP (Federação da Agricultura do Estado de São Paulo/Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), e apoio da Casa da Agricultura e da prefeitura.

Realizada pela primeira vez na cidade, a ação contou com dois dias de aulas teóricas e outros dois de atividades práticas.

De acordo com o instrutor Dantes Sirineu dos Santos, diversas situações foram abordadas, como noções básicas sobre eletricidade, instalações elétricas, materiais utilizados, ferramentas e instrumentos necessários e técnicas de instalações.

“No curso a gente ensina como efetuar serviços de instalações elétricas em baixa tensão de forma correta e segura nas propriedades rurais. Damos detalhes sobre os materiais adequados, a montagem padrão, qual tipo de cabo no relógio, disjuntor, até o quadro de distribuição. Fazemos também simulação do levantamento de carga etc. Queremos capacitá-los para instalações corretas do início ao fim do processo”, explica Santos.

No campo

Dono de um sítio em Santópolis, onde planta mandioca, o produtor rural Valter Kimura foi um dos participantes do curso. “A gente usa muita energia elétrica na propriedade, como na caixa d’água, nos sensores, na luz.

Por isso, eu vim ganhar conhecimento para que eu mesmo possa fazer a manutenção. A gente acaba gastando muito chamando um eletricista e nem sempre acha o profissional na hora que a gente precisa”, disse Kimura.

Com linguagens simples, os cursos priorizam a prática, aliando conhecimentos técnicos ao trabalho diário dos produtores e trabalhadores rurais. Os cursos oferecidos pelo SIRAN e FAESP/SENAR-SP atendem às necessidades do homem do campo.

Os temas são definidos pela equipe de profissionais das entidades (alinhados com as demandas levantadas pelas Casas da Agricultura), que organizam o curso buscando sempre o desenvolvimento do homem que atua no meio rural.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

©2018 Regional Press- Direitos Reservados | Vamos fazer um site? Logo RC Criativa