Oi, o que você está procurando?

SAÚDE PÚBLICA

Em plena epidemia de dengue, Araçatuba suspende nebulizações por falta de inseticida

Em plena epidemia de dengue, com 1.740 casos confirmados em 2019, Araçatuba teve de suspender, nesta segunda-feira (27), as nebulizações no município por falta de inseticida, produto usado no “fumacê” para o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Segundo o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), o combate à doença na cidade será prejudicado, pois as nebulizações combatem o mosquito na fase adulta, os chamados alados. Por mês, são usados 160 litros do produto, em média, para as nebulizações em Araçatuba.

O inseticida é fornecido pelo Ministério da Saúde, que repassa ao Estado para distribuir aos municípios, por meio da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen). O órgão não informou quando os repasses ao município serão regularizados, conforme o CCZ.

O Ministério da Saúde passa por um desabastecimento do produto por causa de problemas de vazamento nas embalagens. Com isso, o laboratório Bayer, fabricante do inseticida, recolheu 105 mil litros do produto em todo o País. A empresa deve repor os estoque a partir de junho.

Municípios de outras regiões do Estado, como Bauru, Adamantina, Pompeia e Americana, também estão sem o inseticida para as nebulizações. O problema acomete outros Estados da federação, como Paraná e Santa Catarina.

Segundo o Centro de Controle de Zoonoses de Araçatuba, apenas as nebulizações serão suspensas. Os trabalhos de bloqueio casa a casa e de controle de criadouros do mosquito vão continuar na cidade.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
31