CONECTE CONOSCO

EUA

Bebê de 4 meses morre após ser esquecido dentro de van da creche

Publicado em



Uma bebê de 4 meses morreu após ter sido esquecida dentro da van que a levava para creche na cidade de Jacksonville, Flórida, Estados Unidos. Segundo a polícia, a pequena Brooklyn Isaac ficou durante horas dentro do veículo, enfrentando um calor de cerca de 34ºC.

Ainda de acordo com os oficiais, os funcionários acreditavam ter tirado todas as crianças da van quando chegaram à creche. No entanto, Brooklyn permaneceu no carro. “Os responsáveis pela escola só foram perceber que a criança estava faltando ao checar a lista dos presentes”, disse a polícia.

Neste momento, eles correram até a van e chamaram o serviço de emergência. “A bebê estava amarrada na cadeirinha e sem sinais vitais”, afirmou o comunicado da polícia. Brooklyn foi levada ao hospital, mas não resistiu. Um dos sócios da creche, Darryl Ewing, 56 anos, foi preso acusado de negligência.

Por meio do Facebook, a mãe de Brooklyn, Lancia Isaac, desabafou sobre a morte da filha. “A vida dela foi abruptamente tirada após ter sido deixada na van da creche. O time de médicos e enfermeiras fizeram de tudo para salvar minha linda bebê, mas não conseguiram”, escreveu.

Lancia fez ainda uma vaquinha virtual para pagar as despesas do velório da filha. “Venho aqui, humildemente, como uma mãe em luto pedir ajuda para que minha filha possa descansar”, disse. Até agora, ela conseguiu arrecadar US$ 7 mil.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Metrópoles
Anunciante

China

Grupo encontra e salva bebê que foi enterrado vivo

Publicado em

Um grupo de moradores de uma vila de Laiwu, na China, salvou um recém-nascido que foi enterrado pela própria família.

Segundo a imprensa local Jiao Xinglu e Zhou Shnagdong foram colher cogumelos em uma montanha próximo ao vilarejo quando encontraram o bebê em uma caixa.

Jiao ouviu o cachorro que os acompanhava latir e foi ver o que aconteceu. Quando se aproximou ouviu o choro de uma criança. Ao abrir a caixa, encontrou o bebê enrolado em um cobertor e tentando mexer os braços.

O bebê foi levado para a emergência de um hospital e passa bem. O avô do bebê apareceu na delegacia e disse que a criança foi enterrada porque tinha parado de respirar. “Ele ‘morreu’ após o segundo dia de nascimento.

Após acharmos que esta morto, nós o enterramos”, disse o avô ao Daily Mail. A polícia ainda investiga o caso.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

ÍNDIA

Estudantes fazem prova com caixa de papelão na cabeça para não ‘colar’

Escola diz ter implementado ideia com consentimento dos alunos e pediu desculpas pelo ocorrido.

Publicado em

Fotos causaram polêmica nas redes sociais — Foto: ANI/BBC

Uma escola indiana pediu desculpas publicamente depois que imagens de seus estudantes fazendo uma prova com caixa de papelão na cabeça viralizaram nas redes sociais e geraram polêmica.

O registro foi feito durante uma prova de química na “Bhagat Pre-University College”, em Haveri, no Estado de Karnataka, no sul da Índia.

Segundo os estudantes, a ideia partiu da direção da escola para evitar que eles “colassem” durante a avaliação.

Em entrevista à BBC Hindu, o serviço de notícias em hindu da BBC, MB Satish, funcionário do colégio, lamentou que a técnica tenha sido usada.

Ele disse que a escola só implementou a medida em uma “base experimental” depois de ouvir sobre seu uso em outros lugares.

Satish acrescentou ainda que tudo foi feito com o consentimento dos estudantes — na verdade, eles trouxeram suas próprias caixas de papelão de casa.

“Ninguém foi obrigado a nada. Você pode ver na foto que alguns estudantes não estavam usando (a caixa de papelão na cabeça)”, disse ele. “Alguns colocaram a caixão de papelão na cabeça e a removeram depois de 15 minutos, outros após 20 minutos e nós mesmos pedimos para todos removerem-na após uma hora.”

Logo após serem informadas sobre o ocorrido, autoridades indianas criticaram publicamente a prática.

SC Peerjade, vice-diretor do Conselho de Educação pré-universitário local, descreveu a técnica como “desumana”.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
82