CONECTE CONOSCO

RIO DE JANEIRO

Bate-Estaca nocauteia, fatura cinturão e salva noite no UFC

Com o golpe que leva seu nome, Jéssica derrotou Rose Namajunas e agora é a nova campeã peso-palha

Publicado em



Quando tudo parecia perdido para o Brasil, Jéssica Bate-Estaca surgiu para salvar a noite no UFC 237, realizado neste sábado (11), no Rio de Janeiro. Com o golpe que leva seu nome, Jéssica derrotou Rose Namajunas e agora é a nova campeã peso-palha, para a alegria dos fãs presentes na Jeunesse Arena. Antes dela, Anderson Silva, José Aldo, Thiago Pitbull e Bethe Correia foram superados por seus respectivos rivais no card principal.

Foi na raça, com o golpe que leva seu nome e para o delírio dos torcedores. Após quatro derrotas brasileiras no card principal, coube a Jéssica Bate-Estaca salvar a pátria. O primeiro round da luta principal contra a então campeã Namajunas terminou parelho, mas com superioridade da americana. Já no segundo assalto, de maneira surpreendente, Jéssica ergueu Rose para uma queda e, ao aplicar o bate-estaca, nocauteou a adversária.

Com o resultado, Jéssica Bate-Estaca se torna a terceira lutadora brasileira campeã do UFC, ao lado de Amanda Nunes e Cris Cyborg. A atleta da PRVT Girls, entretanto, é a primeira a triunfar na divisão dos palhas, e fez questão de dedicar seu título ao mestre Gilliard Paraná.

Vaias, muitas vaias para Jared Cannonier. Foi desta forma que acabou o duelo entre o americano e Anderson Silva, válido pelo co-main event do UFC Rio. Os dois lutadores do peso médio começaram medindo a distância e trocando golpes em pé. Na reta final do primeiro round, porém, Cannonier acertou um chute baixo na perna direita de Anderson, que sentiu. Na mesma hora, o brasileiro caiu no centro do octógono e, sem condições de seguir, viu o árbitro intervir decretando vitória por nocaute técnico de Jared.

– Peço desculpas. Nos treinos eu já estava com meu joelho machucado, acabei tomando um chute ali e não deu para segurar. Desculpas, galera – falou o “Spider” ainda no octógono.

Leia também:   Araçatubense William Ruiz vence travessia do Canal de Pereira Barreto

Muito esperado, o confronto entre Alexander Volkanovski e José Aldo terminou com gosto amargo para os fãs brasileiros presentes na Jeunesse Arena. Foram três rounds parelhos, mas no fim o jogo clínico do australiano de origem russa prevaleceu. Enquanto Aldo apostava nos contragolpes e buscava surpreender, Alexander ia encurralando o ex-campeão peso-pena contra a grade, golpeando e contabilizando pontos.

A dinâmica seguiu durante toda a luta, e com seu término, Volkanovski foi declarado vencedor por decisão unânime. Agora, o australiano – dono de incríveis 17 vitórias consecutivas – deve ser o próximo desafiante ao cinturão dos penas de Max Holloway.

Foi uma vitória suada, mas merecida para o argentino Laureano Staropoli. Contra o brasileiro Thiago “Pitbull” Alves os três rounds foram equilibrados, com bons momentos para ambos os lutadores do peso meio-médio, mas superioridade de Laureano na maior parte do tempo prevaleceu. Thiago até tentou, forçou na luta em pé, mas foi em vão. Ao fim dos três rounds, triunfo por decisão unânime do novo “argentino gente boa”, que fez questão de elogiar o brasileiro presente na arena.

Na luta que abriu o card principal do UFC Rio, muito equilíbrio entre Bethe Correira e a mexicana Irene Aldana. Se o primeiro round foi de Irene, o segundo ficou com Bethe, com ambas apostando mais na trocação. No terceiro e decisivo round, porém, a “Pitbull” bobeou ao fazer uma entrada errada nas pernas da mexicana e pagou caro. Aldana não perdoou, pegou o braço e encaixou uma finalização para somar seu décimo triunfo.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Anunciante
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998