CONECTE CONOSCO

Brasil

Dados pessoais de 2,4 milhões de pessoas são roubados de servidor do SUS

Publicado em



Nesta quinta-feira (11), um hacker expôs em um website dados pessoais de 2,4 milhões de usuários do SUS (Sistema Único de Saúde), contendo informações como nome completo, endereço, data de nascimento e número do CPF.

O autor do vazamento entrou em contato com a equipe do UOL não apenas avisando que iria publicar os dados, como revelando que havia entrado em contato com o Ministério da Saúde em 29 de março para avisar sobre a falha de segurança, mas que foi completamente ignorado pelo órgão público.

Após a divulgação dos dados, o Ministério da Saúde divulgou uma nota dizendo que era falsa a informação de que o vazamento ocorreu do banco de dados do SUS, pois não há nenhum indício de que as informações disponibilizadas tiveram origem na base de usuários do Cartão Nacional da Saúde. Mesmo assim, o órgão diz que encaminhou a denúncia para a Polícia Federal, para que fosse iniciada uma investigação criminal sobre o caso.

De acordo com o que foi apurado pela equipe do site, o vazamento ocorreu por uma falha na API de integração do sistema do SUS com outros aplicativos. A origem do problema estava no Cadsus (sistema de cadastramento de usuários do SUS), que tem uma função que permite ao usuário conferir seus dados cadastrais após logar com usuário e senha.

O problema é que esse sistema gerava uma URL com o número do CPF do usuário inteiro nela, e a API associava o número do CPF a cada usuário para retornar os dados completos sobre ele.

Assim, o invasor utilizou um algoritmo que testou todas as 300 milhões de combinações válidas de CPF, e conseguiu obter os dados pessoais de todos os usuários da base de dados do SUS.

De acordo com especialistas de segurança, esse roubo dos dados poderia ser evitado caso o responsável técnico pelo sistema utilizasse medidas de segurança básicas, como a atualização do sistema do SUS do HTTP para o HTTPS.

Além disso, é necessário também que o sistema mude a forma como autentica seus usuários, já que a utilização do CPF facilita a invasão de hackers.

Desde a publicação dos dados dos usuários, o Departamento de Informática do SUS afirmou que reforçou as ações de segurança para proteger os dados da população. De acordo com os analistas que revisaram a informação, apenas 1% dos dados roubados do sistema foram divulgados.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte: Canaltech
Anunciante

MARANHÃO

Bebê de 2 meses desaparece enquanto dormia no mesmo quarto que os pais

Jonathan Alves estava na rede enquanto os pais dormiam na cama. Equipes buscam a criança. Pais sustentam não ter culpa no episódio

Publicado em

Imagem Ilustrativa

Um bebê de dois meses sumiu no município de Belágua, no Maranhão. Jonathan Alves dos Santos dormia com os pais no mesmo quarto quando desapareceu. As informações são do portal G1.

Segundo a Polícia Militar (PM), os pais estavam na cama e a criança, na rede — todos, dormindo. A casa onde mora a família não tem porta nos fundos e uma cortina é usada como proteção. Os pais relataram ter percebido o sumiço da criança apenas quando acordaram, por volta das 6h30 da sexta-feira (22/06/2019).

Uma das linhas de investigação da polícia é de que os pais possam estar envolvidos com o desaparecimento do bebê Jonathan. O casal foi hostilizado pela população da cidade, mas os dois afirmam que não têm relação com o desaparecimento.

Equipes da Polícia Militar, Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros estão realizando buscas na região em busca do bebê. Além disso, o caso está mobilizando toda a cidade, que está realizando uma campanha nas redes sociais em busca da criança. Uma passeata também já foi realizada, e os moradores cobram respostas por parte das investigações da polícia.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

RIO DE JANEIRO

Advogado: filho de Flordelis não confessou assassinato de pastor

Segundo Anderson Rollenberg, Flávio dos Santos não prestou depoimento e nega a participação no crime do padrasto

Publicado em

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

O advogado Anderson Rollenberg afirmou nesta segunda-feira (24/06/2019) que Flávio dos Santos, de 38 anos, filho da deputada Flordelis (PSD-RJ), não prestou depoimento à polícia nem confessou o assassinato de seu padrasto, o pastor Anderson do Carmo, no domingo retrasado. “Ele nega completamente a participação”, afirmou. A parlamentar presta depoimento sobre o caso nesta segunda.

A delegada Bárbara Lomba afirmou oficialmente à imprensa na última sexta-feira (21/06/2019) que Flávio teria confessado ter atirado seis vezes no padrasto. Rollenberg afirmou que não teve ainda acesso ao inquérito, mas que, se houve algum tipo de confissão foi inidônea, sem a presença de advogados.

O depoimento de um dos filhos da pastora e deputada federal deu novo o rumo às investigações em torno da morte do pastor. As declarações sugerem que o assassinato poderia ser uma trama macabra em família envolvendo não apenas Flávio e Lucas dos Santos (filhos biológico e adotivo do casal), mas outras três irmãs e a própria Flordelis.

Segundo o o jornal O Dia, um dos filhos ouvidos pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí afirmou que não ouviu barulho de carro ou moto em fuga. Flordelis havia dito que viu duas motos seguindo o carro e que, depois de o casal entrar em casa, Anderson voltou para buscar algo no carro. O depoente ainda relatou que encontrou Flávio ao lado de Anderson, que estava caído no chão.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

ACIDENTE

Macaco hidráulico escorrega e empresário é esmagado por caminhonete em MT

Ele morreu antes da chegada do socorro: veículo tem mais de 4 toneladas.

Publicado em

Reprodução

Na noite deste domingo (23) um homem de 35 anos morreu ao ser esmagado por sua caminhonete em uma residência no bairro Aquarela Brasil, em Sinop (a 500 km de Cuiabá).

De acordo com boletim de ocorrência, Fabio Marcelo Niclote consertava sua Ford F-350 que estava suspensa por um macaco hidráulico, mas a ferramenta escorregou fazendo com que o veículo de mais de quatro toneladas caísse sobre ele.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar atendimento, mas ele morreu antes da chegada de socorro.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
87