Fique Ligado!

Oi, o que você está procurando?

DESPEDIDA

Comoção: O adeus ao sargento Delfino

Um clima de emoção e comoção marcou o enterro do sargento do Corpo de Bombeiros Júlio César Delfino, no final da tarde deste sábado no cemitério Recanto de Paz, no Jardim Rosele, em Araçatuba. Ele morreu durante o combate a um incêndio de grandes proporções em uma loja de produtos importados no calçadão da Marechal Deodoro na tarde desta sexta-feira. Representantes do alto escalão da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, policiais civis, entre eles o delegado assistente Seccional Marcelo Curi, integrantes do GOE e da Polícia Científica estiveram presentes, além de colegas da corporação e público em geral que compareceram para dar o adeus ao sargento, que partiu como um herói.

Despedida e comoção. O adeus ao sargento Delfino, bombeiro que morreu no combate ao incêndio de grandes proporções no calçadão de Araçatuba.

Posted by Regional Press on Saturday, April 13, 2019

Sargento Delfino foi velado no 20º Grupamento do Corpo de Bombeiros e o corpo seguiu em um cortejo, sobre um caminhão do Corpo de Bombeiros, até o cemitério Recanto de Paz. Estiveram presentes o comandante geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, coronel PM Marcelo Vieira Sales e o comandante do Corpo de Bombeiros no Interior, Luiz Alberto Rodrigues da Silva, além do comandante do CPI-10, coronel Paulo Augusto Leite Motooka e o comandante do 20º Grupamento do Corpo de Bombeiros, major Nilton Cesar Zacarias Pereira.

O cortejo foi formado por viaturas do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Guarda Civil Municipal, e diversos veículos com familiares, amigos e população em geral. No cemitério, o caixão foi levado, coberto por uma bandeira do Brasil, por bombeiros que atuavam com o sargento no 20º Grupamento.

Sargento Delfino foi sepultado com honras militares. A chegada do caixão se deu com uma salva de tiros. Um pastor evangélico usou a palavra e fez uma oração. Coronel Sales também fez um discurso. A comoção tomou conta da cerimônia. A mãe do sargento passou mal. A viúva, que chegou segurando um quadro com a foto do marido, foi amparada o tempo todo por amigos e familiares.

Sargento Delfino partiu como um herói e seu ato de bravura causou comoção geral na cidade. A ação dele dos demais bombeiros evitou uma tragédia ainda maior. Se eles não tivessem tido a coragem de entrar no prédio para conter o incêndio de grandes proporções, a situação poderia ter ficado ainda pior caso as chamas se alastrassem aos prédios vizinhos.

Anunciante
Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!

Mais lidas – 24H



Anunciante
Anunciante
Anunciante