Oi, o que você está procurando?

Caso de Repercussão

STJ reduz pena de Elize Matsunaga, condenada por matar e esquartejar marido

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu reduzir em dois anos e seis meses a pena da leiloeira Elize Matsunaga, condenada em 2016 pelo assassinato de seu marido, o empresário Marcos Matsunaga.

Segundo o tribunal, a redução da pena de 18 anos e nove meses de reclusão para 16 anos e três meses se deve ao fato da réu ter confessado o crime.

O crime foi cometido em 19 de maio de 2012. De acordo com a denúncia, Elize Matsunaga matou o marido e, na tentativa de ocultar o crime, desmembrou o cadáver. Presa semanas depois do assassinato, ela foi condenada pelo tribunal do júri a 18 anos e nove meses de reclusão pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver. A sentença foi mantida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

No pedido de habeas corpus dirigido ao STJ , a defesa alegou que a atenuante de confissão deixou de ser aplicada pela Justiça de São Paulo sob o fundamento de que a ré, ao relatar os fatos, apenas tentou justificar sua conduta e reduzir a própria responsabilidade pelo crime.

No entanto, segundo a defesa, a confissão apresentada por Matsunaga foi rica em detalhes, o que possibilitou ao conselho de sentença o reconhecimento de que ela foi a autora do delito.

Segundo Elize, durante uma das várias brigas do casal, ela deu um tiro na têmpora de Marcos Matsunaga . Com uma faca de cozinha, ela dividiu o corpo em seis partes, as colocou em malas de viagem e livrou-se delas em uma mata em Caucaia do Alto, na Grande São Paulo.

No dia 27 de maio de 2012, foram encontradas as partes do corpo de Marcos, inclusive a cabeça, na região de Cotia. No dia 28, foi feito o reconhecimento formal do corpo pela família do empresário.

Um das advogadas de Elize Matsunaga , Roselle Soglio, afirmou: “Ela fez isso por desespero. Desespero de uma mãe que ia perder sua filha. Abandonar as partes do corpo foi apenas uma consequência desse desespero, porque não encontrou outra saída”.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!