Oi, o que você está procurando?

LUTO NA FOLIA

Morre, em pleno carnaval, a rainha que fez história nos festejos de Momo em Araçatuba

Maria Neide de Araújo faleceu aos 63 anos, após três meses internada na Santa Casa de Araçatuba, vitima de complicações cirúrgicas

Morreu, em pleno carnaval, aquela que brilhou nos concursos de rainha da Festa de Momo, nos idos da década de 1970, em Araçatuba. Maria Neide de Araújo, a bela morena que parava a Rua Oswaldo Cruz ao desfilar nos carros alegóricos carnavalescos, se foi na tarde desta segunda-feira (4), aos 63 anos, após três meses internada na Santa Casa local.

Neide fez par com o mais famoso Rei Momo da história de Araçatuba, o lendário João Navarro. Para os íntimos, ele fazia questão de dizer que ela fora a sua mais linda rainha. Isso há quase 50 anos.

O casal real João Navarro e Neide

Como bem lembra a advogada Carmen Silvia Casteletto, que foi chefe de serviço da Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura de Araçatuba e viveu a época dos grandes carnavais da cidade, os concursos de rainha eram muito acirrados e as meninas se empenhavam ao máximo para concorrer.

As disputas eram organizadas no Esporte Clube Corinthians ou ao redor da piscina do antigo Hotel Chamonix, hoje Nacional Inn.

“Havia meninas lindas, ganhavam sempre as mais bonitas, que tinham não só beleza, mas simpatia, boa comunicação e samba no pé. Com certeza, isso fez da Neide uma vencedora. Ela era linda e representava bem”, conta.

PARAVA O TRÂNSITO

Alta para os padrões da época, com os seus quase 1,70 m, a araçatubense brilhava com sua desenvoltura, beleza e simpatia. E parava o trânsito mesmo, como recorda o cabeleireiro Chiquito, que, ainda menino, acompanhava os desfiles.

A bela morena em um dos concursos de que participou

“Ela era um mulherão, desfilava nos carros produzidos pelo Spironelli (o paisagista e carnavalesco Antônio Carlos Spironelli, que fez história no carnaval da cidade), e era, realmente, um símbolo de beleza na época”, conta.

As roupas usadas por Neide nas Festas de Momo eram produzidas pela modista Genny Rico, famosa por suas criações e responsável pela grande maioria das fantasias do carnaval araçatubense dos idos de 1960 e 1970.

Se hoje as rainhas saem de biquíni estilizados, na época, a moda eram os maiôs prateados ou vestidos longos, acompanhados da coroa de majestade. “Era chique ser rainha de carnaval na época, tinha toda uma pompa”, relembra Chiquito.

MODELO

Neide também concorreu ao acirrado concurso Miss Araçatuba, na década de 1970, e chegou a trabalhar como modelo na capital paulista. Ela, inclusive, foi a primeira garota-propaganda dos tanquinhos Colormaq, fabricados pela indústria araçatubense Color Visão do Brasil.

Neide foi garota-propaganda dos tanquinhos Colormaq

Nos anos 1980, a bela morena ingressou na Faculdade de Direito da Toledo (hoje, Unitoledo), em Araçatuba. Depois, entrou para o serviço público, na Secretaria do Estado da Educação.

APENDICITE

Segundo a psicóloga Ana Paula Junqueira, prima de Neide, nossa rainha foi internada na Santa Casa de Araçatuba em novembro do ano passado, com muita dor abdominal.

Segundo a família, ela teve uma apendicite que se rompeu e teve de passar por dois procedimentos cirúrgicos. Após mais de três meses internada lutando pela vida, Neide sofreu dois ataques cardíacos e não resistiu.

“Minha prima era uma pessoa de coração muito bom. Muito católica, estava sempre empenhada em ajudar as pessoas”, diz Ana.

Ela deixa dois filhos, Fernando e Ana Carolina. Seu corpo está sendo velado na capela da Funerária Cardassi, na Avenida Saudade. O sepultamento está marcado para as 16h, no Cemitério da Saudade, em Araçatuba.

 

 

 


Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!