Oi, o que você está procurando?

Saúde

Conheça o processo de desenvolvimento da fala das crianças

Docente da Universidade de São Paulo explica que crianças produzem todos os sons possíveis com órgãos fonoarticulatórios

A criança aprende a falar praticamente desde quando nasce. É o que afirma Fernanda Dreux Miranda Fernandes, professora do Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

De acordo com a especialista, conforme os pequenos convivem com adultos e o idioma, eles percebem os sons que fazem sentido e desenvolvem a própria linguagem.

Mas o que é importante para que a criança comece a falar? Existe um período ideal? A docente, que já foi presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, afirma que essas questões sempre geram muitas dúvidas entre pais e responsáveis, seja sobre a existência do momento ideal para o aprendizado, seja sobre a reprodução de sons específicos.

“Uma coisa importante para pensarmos é que a criança aprende a falar praticamente desde quando nasce. No começo, ela demonstra aquilo que chamamos de balbucio, em que usa todas as possibilidades do sistema fonoarticulatório: boca, língua e lábios são movimentados para que ela consiga se comunicar”, explica.

“Conforme ela convive com adultos, outras crianças, com aquela comunidade que fala uma língua própria, vai percebendo aos poucos quais sons produzem algum sentido”, ressalta a especialista.

Comunicação

Uma das formas desse desenvolvimento, segundo a professora, é os adultos falarem palavras inteiras e consistentes, não mudando muito a forma de falar. Embora, ao falar de um jeito mais meigo, a criança entenderá que a comunicação está sendo direcionada para ela.

“O mais importante é falar naturalmente: algumas falarão mais ‘cuti-cuti’, o que chamamos de ‘mamanhês’. O importante é falar bastante com ela, mas não o tempo inteiro, para que ela também possa produzir alguma fala e ser compreendida. É imprescindível reforçar ou tentar entender o que ela fala, deixar que ela se expresse e valorizar isso”, acrescenta.

“Meninas falam antes dos meninos. Há um padrão de 50 palavras até os dois ou três anos, mas é uma fase em que a criança adquire um vocabulário intenso e muito rápido. Muda muito nessa idade. Mas, em torno dos três ou três anos e meio, espera-se que a criança esteja falando de forma compreensível pelos adultos em torno dela”, completa.

De acordo com Fernanda Dreux Miranda Fernandes, a criança precisa de pessoas falando com ela. A fala precisa ser um jeito de ela estar no ambiente. Seja falando ou mesmo brigando, não adianta achar que televisão ou tablet estimularão a fala dos pequenos.

“Ela precisa aprender a falar como uma forma de se comunicar estando em contato com outras pessoas e não com programas prontos. Contar uma historinha, conversar com ela junto da família nas refeições é muito mais desenvolvedor do que utilizar plataformas. Ela precisa de interlocutores naturais”, conclui.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!