Oi, o que você está procurando?

Cuidado

Alerta de saúde: conheça os riscos e cuidados com a trombose

Tempo do diagnóstico é crucial; quanto mais cedo a doença for detectada, mais eficaz será o tratamento para reduzir danos e impedir mortes

Conhecida por aumentar o tamanho da área afetada, a trombose ocorre quando há entupimento dos vasos sanguíneos pela formação de coágulos, geralmente nos membros inferiores, ou por derrames cerebrais, entre outras razões.

O que a maioria das pessoas não sabe é que esses coágulos, quando se soltam, obstruem a circulação do sangue no pulmão, resultando em embolia pulmonar. “É como se o sangue formasse uma ‘rolha’ no vaso sanguíneo e não deixasse o sangue circular”, explica a médica hematologista Denise Zahr.

A trombose apresenta sinais clássicos como inchaço, dores e rigidez nos membros inferiores, como a batata da perna, pernas e pés. Nos casos de trombose pulmonar a pessoa sente palpitações, febre, falta de ar, dor no tórax e ansiedade.

Geralmente, a doença acomete pacientes em tratamento quimioterápico, doentes com longo tempo de internação, gestantes, pessoas que se submeteram à cirurgia ortopédica, assim como pacientes que sofreram derrame cerebral (Acidente Vascular Cerebral).

Pacientes com história de familiar trombótico, com rotina de viagens prolongadas de avião, distúrbios hematológicos, idosos com mais de 80 anos, pacientes com arteriosclerose, obesos e fumantes também estão entre o grupo de risco.

A consultora Elaine Lopes descobriu a trombose na família por meio do irmão. “Através disso, a médica fez uma investigação nos familiares e não apenas eu, mas outros membros da família, possuímos a trombofilia”, conta.

O tempo do diagnóstico é muito importante. Quanto mais cedo a doença for detectada, mais o tratamento consegue reduzir danos e impedir milhares de mortes. De acordo com a hematologista Nívea Foschi, é possível evitar o óbito observando os principais fatores de risco.

“O tempo do diagnóstico é o mais importante quando estamos falando de trombose. Quanto mais cedo detectarmos a doença, o tratamento com medicamentos anticoagulantes já consegue reduzir danos e impedir milhares de mortes”, explica.

O aposentado Jair da Silva conta que sofreu com a doença após uma viagem de avião. “Senti minha perna inchada, como se um peso estivesse puxando a minha perna. Fui ao médico e descobri a trombose. Ainda bem que fui diagnosticado a tempo e consegui fazer o tratamento”, afirma.

Para prevenir, é importante realizar caminhadas e exercícios físicos regularmente, seguir uma dieta equilibrada, evitar a automedicação e abandonar o cigarro. Além disso, é fundamental conhecer o histórico familiar.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!