Connect with us
Banner Samar Eco

Cuidados

Saúde alerta para picadas de escorpião, mais comuns no verão

Publicado

em

O ministério não recomenda o uso de produtos químicos como pesticidas para o controle de escorpiões (Divulgação/Ministério da Saúde)

O período do verão – entre dezembro e março – exige maior cuidado dos brasileiros em relação aos acidentes com escorpiões, já que o clima úmido e quente é considerado ideal para o aparecimento desse tipo de animal peçonhento, que se abriga em esgotos e entulhos. A limpeza do ambiente e a adoção de hábitos simples, de acordo com o Ministério da Saúde, são fundamentais para prevenir picadas.

No ambiente urbano, a orientação para evitar a entrada de escorpiões em casas e apartamentos é usar telas em ralos de chão, pias e tanques, além de vedar frestas nas paredes e colocar soleiras nas portas.

Os cuidados incluem ainda afastar camas e berços das paredes e vistoriar roupas e calçados antes de usá-los. Já em áreas externas, a principal dica é manter jardins e quintais livres de entulhos, folhas secas e lixo doméstico.

Também é importante manter todo o lixo da residência em sacos plásticos bem fechados para evitar baratas, que servem de alimento e, portanto, atraem os escorpiões.

Outra recomendação é manter o gramado sempre aparado, não colocar a mão em buracos, embaixo de pedras ou em troncos apodrecidos e usar luvas e botas de raspas de couro na hora de manusear entulhos e materiais de construção e em atividades de jardinagem.

O ministério não recomenda o uso de produtos químicos como pesticidas para o controle de escorpiões. “Estes produtos, além de não possuírem, até o momento, eficácia comprovada para o controle do animal em ambiente urbano, podem fazer com que eles deixem seus esconderijos, aumentando a chance de acidentes”, informou.

Populações mais expostas

Os grupos considerados mais vulneráveis são trabalhadores da construção civil, crianças e demais pessoas que permanecem grande parte do tempo dentro de casa ou nos arredores e quintais. Nas áreas urbanas, também estão sujeitos a picadas trabalhadores de madeireiras, transportadoras e distribuidoras de hortifrutigranjeiros, que manuseiam objetos e alimentos onde os escorpiões podem estar escondidos.

Acidentes

A maioria dos acidentes com escorpiões, segundo a pasta, é leve, com quadro de início rápido e duração limitada. Nessas situações, a pessoa apresenta dor imediata, vermelhidão, inchaço leve por acúmulo de líquido e sudorese localizada, com tratamento sintomático.

Crianças abaixo de 7 anos têm mais chance de apresentar sintomas como vômito e diarreia, principalmente quando picadas por escorpião-amarelo, que pode levar a casos graves e requer a aplicação do soro em tempo adequado.

As recomendações incluem ir imediatamente ao hospital de referência mais próximo e, se possível, levar o animal ou uma foto para identificação da espécie. Limpar o local da picada com água e sabão, de acordo com o ministério, pode ser uma medida auxiliar, desde que não atrase a ida ao serviço de saúde.

A lista de hospitais de referência para utilização do soro antiescorpiônico pode ser acessada aqui.

Números

Dados do ministério mostram que, em 2018, foram contabilizados 141,4 mil casos de acidentes com escorpiões no Brasil. Em 2017, foram 125 mil registros. Os números, de acordo com a paasta, ainda são preliminares e serão revisados. Em 2016, foram 91,7 mil notificações. Em relação às mortes, 115 óbitos foram registrados em 2016 e 88 em 2017.

Deixe sua opinião

Agência Brasil

Música

Projeto Guri tem inscrições abertas para 2019

Publicado

em

O Projeto Guri – programa de educação musical e inclusão sociocultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, gerido pela organização social Santa Marcelina Cultura – recebe inscrições até 31 de janeiro para os cursos de 2019.

As aulas começam no dia 4 de fevereiro na capital e Grande São Paulo. Crianças e adolescentes podem escolher desde iniciação musical (de 6 a 9 anos) até cursos mais avançados em canto e diversos instrumentos, com formação nos campos da música erudita e popular.

Para participar não é preciso ter nenhum conhecimento prévio em música. As vagas são distribuídas pelos 46 polos do Guri na capital e na Região Metropolitana de São Paulo, como Arujá, Poá, Guarulhos, Santo André, Osasco e Guararema. A oferta de cursos e instrumentos varia de acordo com cada Polo.

Para realizar a inscrição, basta comparecer a um polo de interesse acompanhado de um responsável, portando uma foto 3×4, documento de identidade ou certidão de nascimento e comprovante de residência com CEP.

Atualmente, o programa contempla cerca de 13 mil crianças e adolescentes e, para se inscrever e iniciar os estudos no Guri, o interessado precisa necessariamente estar matriculado em uma escola regular.

Os alunos podem optar por violão, violino, violoncelo, contrabaixo, flauta, clarinete, fagote, oboé, saxofone, trompa, trompete, trombone, percussão, contrabaixo elétrico e guitarra, entre tantos outros e os cursos têm duração de dois a quatro anos.

O programa também oferece aulas de canto e atualmente mantém nove grupos musicais infanto-juvenis formados por seus alunos, como a Camerata de Violões, o Coral Juvenil, a Orquestra de Cordas e a Orquestra Sinfônica do Guri, além de um Coral de Familiares.

Para o coordenador da Unidade de Formação Cultural da Secretaria da Cultura, Dennis Alexandre Rodrigues, a partir do momento em que passam a integrar o Guri, os alunos recebem atenção que vai além do ensino musical.

“A Amigos do Guri possui metas específicas relativas ao acompanhamento social das crianças, adolescentes e jovens atendidos, observando todas as condições que afetam a vida e o bem estar de cada um – incluindo educação, assistência social, saúde, habitação, cultura, lazer, trabalho e outros”, conta Rodrigues.

Na capital e em cidades da Região Metropolitana de São Paulo, o Projeto Guri desenvolve o ensino musical e a inclusão sociocultural para 13 mil crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos em 46 polos, sob gestão da Organização Social Santa Marcelina Cultura.

“O projeto contribuiu para que o acesso a esse ensino de música que até 20 ou 30 anos era restrito, até por conta de fatores culturais. Então ele passa a ser mais uma opção gratuita e aberto ao público”, explica Pablo Carajol Delvaje, coordenador do projeto no polo Piracicaba.

Para conferir a lista completa dos cursos e o local onde estão instalados os polos, acesse a página do Guri na internet: www.gurisantamarcelina.org.br.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

obras

Começa pavimentação asfáltica em ruas do Água Branca

Publicado

em

A Prefeitura de Araçatuba já iniciou os serviços de pavimentação asfáltica no bairro Água Branca. Paralelamente, a prefeitura
realiza, em outras ruas do bairro, a implantação de galerias de águas pluviais.

Na quarta-feira (16), equipes da empresa Servipav Indústria e Materiais para Pavimentação começaram o asfalto na rua José Aparecido Arruda. Nos bairros Água Branca e Vista Verde, serão asfaltadas as seguintes ruas: Mauro José Bachiega, Arlindo Squiçato, Walmir Berteli, Áurea de Oliveira dos Santos, José Aparecido Arruda e Francisco Bruno, desde a Mauro José Bachiega até a José Aparecido Arruda.

A empresa executora dos serviços fará, além da pavimentação asfáltica, implantação de guias, sarjetas, sinalização viária horizontal (pinturas de solo) e vertical (colocação de placas de sinalização).

O contrato, assinado pelo prefeito Dilador Borges em novembro do ano passado, é o mesmo firmado com a empresa para pavimentação na avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, que também já recebe serviços de implantação de galerias de águas pluviais e pavimentação asfáltica. No total, serão investidos R$3.153.511,38, sendo R$2.637.470,13 de recursos da Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP) e R$516.041,25 de recursos municipais. A empresa tem 180 dias para conclusão das obras.

De acordo com o secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação e de Mobilidade Urbana, Tadeu Consoni, as obras de pavimentação asfáltica nos bairros Água Branca e Vista Verde serão concluídas até o final de março.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Estado de SP

Lei proíbe consumo de bebidas alcoólicas em postos de combustíveis

Publicado

em

A partir desta quinta-feira (17), está proibido consumir bebidas alcoólicas na área de abastecimento dos postos de combustíveis do Estado de São Paulo.

Quem descumprir a nova lei, publicada nesta quinta no Diário Oficial, terá de deixar o local, e o proprietário ficará sujeito a multas e até a cassação da licença de funcionamento do estabelecimento.

O projeto, de autoria do deputado Wellington Moura (PRB), foi aprovado em dezembro do ano passado. O texto não proíbe a comercialização de bebidas nos postos, mas o consumo.

Este, aliás, só será permitido no interior das lojas de conveniências e restaurantes, bem como em áreas restritas e delimitadas que não se confundam com a pista de abastecimento de veículos automotores.

Os donos dos postos deverão afixar avisos de proibição em pontos de ampla visibilidade e advertir os infratores. Em caso de persistência, o infrator será retirado do local, utilizando-se força policial, se necessário.

Já o empresário que descumprir a lei ficará sujeito a sanções previstas no artigo 56 do Código de Defesa do Consumidor, que estabelece multas, suspensão de fornecimento de produtos e serviços ou da atividade, interdição do estabelecimento e cassação de licença.

VITÓRIA

O Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de São Paulo) considerou a lei uma vitória.

“Desde o ano passado, o Sincopetro vem trabalhando intensamente junto à Assembleia Legislativa para flexibilizar o consumo de bebidas alcoólicas nos postos e lojas de conveniência – Projeto de Lei nº 215 (Abril/2018) – que proibia o consumo em todas as dependências do posto, inclusive nas lojas de conveniência”, dia a nota divulgada à imprensa.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

questionamentos

Prefeitura se manifesta sobre vias de acesso a principal atração turística de Araçatuba

Publicado

em

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Araçatuba respondeu nesta quarta-feira (16) os questionamentos feitos no último dia 09, referentes a matéria sobre os problemas nas vias de acesso à principal atração turística da cidade, o Hot Planet Thermas Park, que está recebendo me média 3 mil turistas por final de semana, e enfrenta um problema com o descaso do poder público em relação a conservação das vias de acesso.

A reportagem publicada pelo Regional Press mostrou a precariedade das vias, como a rua dos Buritis, que está toda cheia de remendos e buracos, e necessita de um trabalho de recapeamento. A rua Vítor Bombonati, um dos principais acesso ao bairro Água Branca e também ao Hot Planet, está tomada por grandes buracos.

Um dos principais problemas é a avenida Kameo Ussui, que está com uma das pistas totalmente intransitáveis. No ano passado a prefeitura aplicou uma camada de asfalto na avenida na pista de acesso ao parque. No entanto, a via oposta, não foi mexida. Hoje está com muita poeira e os buracos tomaram conta da avenida, fazendo com que motoristas trafeguem na contramão, para evitar a buraqueira, e isso vem colocando em risco que passa pelo local.

Basta ficar na avenida durante os finais de semana para constatação das infrações. A reportagem foi publicada no dia 10 de janeiro e nada foi feito no local, nem um tapa-buracos paliativo. Neste período de férias aumenta ainda mais o fluxo de veículos pelo local, bem como o número de visitantes.

Em resposta a assessoria de imprensa da prefeitura informou que:
“ O Plano Municipal de Turismo prevê melhoria em acesso aos pontos turísticos da cidade, bem como, inclua-se o Hot Planet. Além da
infraestrutura asfáltica, está incluída a sinalização turística, que irá facilitar o acesso ao parque.

O Hot Planet é um equipamento de natureza privada. O poder público tem como escopo a divulgação deste e os outros equipamentos turísticos da cidade.

O processo do MIT (Município de Interesse Turístico) deverá fazer parte da pauta da Assembléia Legislativa, assim que ela retornar às suas atividades em fevereiro”.

Questionada sobre os motivos pelos quais a prefeitura não tem dado a devida importância a manutenção das vias de acesso ao Parque, a assessoria informou: “Houveram (sic) outras prioridades na questão de infraestrutura na cidade que estavam mais precárias”

Leia mais:

 

Vias de acesso à principal atração turística da cidade estão em estado de abandono

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS