CONECTE CONOSCO

POR POUCO

George Bush quase foi vítima de canibalismo de japoneses na 2ª Guerra

Futuro presidente dos EUA teve oito colegas capturados e mortos, mas conseguiu escapar

Publicado em

© Kevin Lamarque / Reuters


Morto na sexta (30) ao 94 anos, George Bush governou os Estados Unidos de 1989 a 1993, mas quando tinha 20 anos por pouco escapou de um destino menos nobre: servir de alimento para tropas japonesas.

Em setembro de 1944, ele fazia parte de uma equipe da Marinha dos EUA que realizava um bombardeio na ilha de Chichi Jima, a 1.100 quilômetros de Tóquio.

Durante a operação, as aeronaves onde ele e outros oito colegas estavam acabaram atingidas. Apesar do veículo avariado, Bush continuou voando para longe da ilha e com isso conseguiu escapar dos inimigos até ser resgatado por um submarino americano no Pacífico.

O restante da tripulação, porém, não teve a mesma sorte e todos foram capturados -eles pularam de paraquedas assim que os aviões foram danificados, quando estavam próximos da ilha.

Os oito americanos foram então torturados e mortos pelos japoneses, que decidiram praticar canibalismo contra quatro dos prisioneiros.

O fígado e pedaços de músculo das vítimas foram preparados no forno e depois servidos para as tropas, inclusive para comandantes militares, que acreditavam que a carne humana faria bem para o estômago., segundo o jornal britânico The Telegraph.

A história foi contada no livro “Flyboys: A True Story of Courage” (ed. Little, Brown and Company, 2006, 592. págs, a partir de US$ 11 ou R$ 42 na Amazon, sem tradução em português), do americano James Bradley.

Os japoneses envolvidos na ação foram condenados por crimes contra a humanidade e executados após o fim da guerra. Mas, para preservar os familiares dos militares, os arquivos do caso foram mantidos em segredo por seis décadas, até serem descobertos por Bradley. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Fonte: NOTÍCIAS AO MINUTO
Anunciante

tragédia

Incêndio atinge instituto educacional e mata 21 estudantes na Índia

Publicado em

Um incêndio deixou 21 mortos nesta sexta-feira (24), em Surate, na Índia. A tragédia ocorreu em um edifício que abriga um instituto educacional privado.

De acordo com o jornal “The Hindu”, todas as vítimas eram adolescentes que participavam de um curso no local. Há feridos.

“Os estudantes morreram por causa do incêndio, mas também por saltarem do edifício”, afirmou o chefe dos bombeiros da cidade, Deepak Sapthaley.

As vítimas tinham menos de 20 anos. Segundo P.L.Chaudhari, delegado adjunto de polícia, a investigação inicial aponta que o fogo foi iniciado por curto-circuito em um transformador elétrico. Entre 50 e 60 estudantes estavam no imóvel na hora que o incêndio começou.

O presidente reeleito da Índia, Narendra Modi, lamentou a tragédia nas redes sociais. “Extremamente consternado pelo incêndio em Surat. Meus pensamentos estão com as famílias destroçadas. Espero que os feridos se recuperem rapidamente”, afirmou.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

comportamento

Taiwan tem primeiros casamentos gays da Ásia

Publicado em

Os primeiros casamentos homossexuais legais na Ásia ocorreram em Taiwan nesta sexta-feira (24), primeiro dia em que a decisão histórica de legalizar a união entre pessoas do mesmo sexo entrou em vigor.

O Parlamento de Taiwan – oficialmente República da China – aprovou de forma esmagadora na semana passada uma lei que autoriza “uniões permanentes exclusivas” para casais do mesmo sexo e permite que eles solicitem “registro de casamento” em agências governamentais – direitos pelos quais ativistas LGBT do país lutaram por duas décadas.

O ministro do Interior de Taiwan, Hsu Kuo-yung, disse que cerca de 300 casais do mesmo sexo se registraram hoje para se casar. Os fundadores da Aliança de Taiwan para Promover os Direitos de Parceria Civil estavam entre os primeiros casais que selaram suas uniões.

“Quando percebi ser lésbica, aos 15 anos, nunca pensei na possibilidade de me casar”, disse Victoria Hsu, presidente da Aliança. Sua esposa Chih-Chieh Chien, a secretária-geral do grupo, celebrou que os pais do casal tenham colocado suas assinaturas na certidão de casamento.

A assistente social Huang Mei-yu e sua parceira You Ya-ting também selaram a união. “É tardio, mas estou feliz de podermos nos casar oficialmente”, disse Huang, após assinar a certidão de casamento.

Taiwan está na vanguarda do florescente movimento pelos direitos homossexuais na Ásia, apesar da firme oposição conservadora. A capital Taipei sedia a maior parada de orgulho gay da Ásia.

A questão dos direitos LGBT, no entanto, polarizou a sociedade local.

Grupos conservadores e religiosos se mobilizaram nos últimos meses e ganharam uma série de referendos em novembro, nos quais os eleitores rejeitaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A nova legislação aprovada pelos parlamentares coloca restrições não enfrentadas pelos casais heterossexuais. Casais do mesmo sexo só podem adotar filhos biológicos de seus parceiros e só podem se casar com estrangeiros de países onde o casamento gay também é reconhecido e legalizado.

O movimento pelos direitos dos homossexuais começou a ganhar força em Taiwan na década de 1990.

Em 2017, o tribunal constitucional do país decretou que impedir o casamento de casais do mesmo sexo era inconstitucional e deu ao governo prazo de dois anos para introduzir uma legislação apropriada, ou uma lei de igualdade no casamento seria promulgada automaticamente. Esse prazo se encerrava justamente hoje.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

EUA

Bebê de 4 meses morre após ser esquecido dentro de van da creche

Publicado em

Uma bebê de 4 meses morreu após ter sido esquecida dentro da van que a levava para creche na cidade de Jacksonville, Flórida, Estados Unidos. Segundo a polícia, a pequena Brooklyn Isaac ficou durante horas dentro do veículo, enfrentando um calor de cerca de 34ºC.

Ainda de acordo com os oficiais, os funcionários acreditavam ter tirado todas as crianças da van quando chegaram à creche. No entanto, Brooklyn permaneceu no carro. “Os responsáveis pela escola só foram perceber que a criança estava faltando ao checar a lista dos presentes”, disse a polícia.

Neste momento, eles correram até a van e chamaram o serviço de emergência. “A bebê estava amarrada na cadeirinha e sem sinais vitais”, afirmou o comunicado da polícia. Brooklyn foi levada ao hospital, mas não resistiu. Um dos sócios da creche, Darryl Ewing, 56 anos, foi preso acusado de negligência.

Por meio do Facebook, a mãe de Brooklyn, Lancia Isaac, desabafou sobre a morte da filha. “A vida dela foi abruptamente tirada após ter sido deixada na van da creche. O time de médicos e enfermeiras fizeram de tudo para salvar minha linda bebê, mas não conseguiram”, escreveu.

Lancia fez ainda uma vaquinha virtual para pagar as despesas do velório da filha. “Venho aqui, humildemente, como uma mãe em luto pedir ajuda para que minha filha possa descansar”, disse. Até agora, ela conseguiu arrecadar US$ 7 mil.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

tragédia

Família pede ajuda para trazer corpos dos 6 turistas brasileiros mortos no Chile

Publicado em

A família dos 6 turistas brasileiros encontrados mortos em um apartamento na área central da Santiago, no Chile, na noite desta quarta-feira (22), criou uma “vaquinha online” para arrecadar dinheiro para trazer os corpos para o Brasil.

As vítimas eram uma família formada por pai, mãe e dois filhos adolescentes, e um segundo casal de adultos. A suspeita é que os seis tenham morrido por intoxicação por inalarem gás monóxido de carbono a partir de um vazamento.

A confirmação veio através de uma das familiares do primeiro casal. As vítimas são: Fabiano de Souza, 41 anos; Débora Muniz Nascimento de Souza, 38 anos; Karoliny Nascimento de Souza, 15 anos; Felipe Nascimento de Souza, 13 anos; Jonathas Nascimento Kruger, 30 anos e Adriane Krueger.

Fabiano e Débora eram pais de Karoliny e Felipe, e os quatro moravam em Biguaçu, na Grande Florianópolis (SC). Jonathas Nascimento era irmão de Débora e casado com Adriane Krueger. Os dois residiam em Hortolândia, no interior de São Paulo.

A prima do Jonathas e Débora Nascimento, a artesã Noemi Nascimento, foi quem confirmou a identidade das vítimas. “Estavam a passeio na cidade de Santiago.

Todos vieram a óbito por vazamento de gás. Coração está arrasado meu primo querido irmão de muitas bagunças quando criança. Meu Deus Q senhor nos de forças neste momento”, escreveu Noemi, em rede social.

A meta estipulada pelos familiares é de R$ 100 mil. “Debora e Fabiano casados e seus dois filhos são Karoliny e Felipe. Jonathas e Adriana eram casados. Precisamos de toda ajuda, pois a família não tem condições financeiras para trazer os corpos e fazer o velório. Uma tragédia em meio a dor de perder a mãe que estava sendo velada no Brasil”, escreveu Noemi, no anúncio da arrecadação.

“Todos morreram por inalação de gás monóxido de carbono. Estamos tentando com as autoridades para nos ajudarem a trazer o mais breve possível os corpos”, completava o anúncio.

O Itamaraty ainda não recebeu a confirmação oficial por parte das autoridades chilenas dos nomes das vítimas. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, “as vítimas já foram identificadas pela polícia do Chile, que isolou o edifício para prosseguir com as investigações”.

O prédio onde ocorreram as mortes fica na rua Santo Domingo, na esquina com a Mosqueto. As autoridades trabalham com a hipótese de que um vazamento de gás tenha sido responsável por matar os brasileiros.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

©2018 Regional Press- Direitos Reservados | Vamos fazer um site? Logo RC Criativa