CONECTE CONOSCO

Sessão da Câmara

Oito vereadores de Birigui barram remissão do “IPTU suplementar” e prejudicam moradores

Vereadores Benedito Dafé, César Pantarotto, Eduardo Dentista, José Fermino, Luiz Ferrari, Rogério Guilhen, Drª Osterlaine e Zé Luis Buchalla foram contrários ao projeto

Publicado em



Oito dos 17 vereadores da Câmara de Birigui votaram contra a um projeto de lei do Executivo que prevê remissão do IPTU suplementar de moradores que aumentaram área construída de seus imóveis e não informaram a Prefeitura Municipal.

Em sessão ordinária realizada na noite desta terça-feira, 9 de outubro, os vereadores Benedito Dafé, César Pantarotto, Eduardo Dentista, José Fermino, Luiz Ferrari, Rogério Guilhen, Drª Osterlaine e Zé Luis Buchalla foram contrários ao projeto.

Com o resultado da votação, moradores de baixa renda de Birigui que fizeram obras de ampliação de seus imóveis foram prejudicados, já que terão que pagar o IPTU suplementar.

A Prefeitura de Birigui promoveu a atualização de seu cadastro imobiliário, com dados obtidos por sensoriamento remoto e uso de tecnologias de geoprocessamento.

O levantamento apontou que muitos moradores ampliaram suas casas e não pagavam corretamente o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano).

Visando não prejudicar moradores de baixa renda, que fizeram pequenas ampliações, o projeto do Executivo previa não cobrar daqueles que a ampliação não chegasse a R$ 100,00.

A Prefeitura justificou economicidade, em face aos custos relacionados ao lançamento do imposto suplementar e as despesas com a impressão de carnê, com a notificação do contribuinte, com o andamento para eventuais impugnações e as despesas do processamento bancário da cobrança.

O Executivo entendeu que para a administração a cobrança do IPTU suplementar menor que R$ 100,00 não traz proveito financeiro, visando, ainda, não prejudicar financeiramente cidadãos desempregados ou que sobrevivem com um salário mínimo.

Com a não aprovação por parte da Câmara, todos os cidadãos que fizeram obras de ampliações em seus imóveis terão que pagar pelo aumento da área construída.

Segundo a Prefeitura de Birigui, a inserção do novo mapa cadastral ofereceu maior precisão nas delimitações para a construção civil e identificou imóveis que estão fora da cobrança de IPTU, ou seja, muitas pessoas fizeram obras e não informaram a Prefeitura, causando prejuízos ao erário.

Com a revisão cadastral, a administração buscou promover uma justiça fiscal.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

serviço

Feriado de Corpus Christi altera atendimento ao público na Prefeitura de Araçatuba

Publicado em

Imagem Ilustrativa

Devido ao feriado de Corpus Christi, na próxima quinta-feira, dia 20 de junho, haverá suspensão de expediente em repartições públicas municipais nesse dia e na sexta-feira (21).

A medida se estende a todos os órgãos da administração municipal (centralizados e autárquicos), exceto aqueles que por sua natureza não podem sofrer interrupção.

A Farmácia Municipal funcionará na quinta, sexta-feira, sábado e domingo, das 8h às 12h. A partir de segunda-feira, o atendimento será normalizado, ocorrendo das 7h às 17h.

As unidades que por natureza não podem sofrer interrupção são Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Pronto Socorro Municipal e Guarda Civil Municipal, que oferecem atendimento 24 horas à população e funcionarão normalmente nesses dias.

As Unidades Básicas de Saúde não funcionam nesses dias, retomando o atendimento na segunda-feira (24).

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Perigo

Menina de 6 anos morre após ser picada por escorpião no interior de SP

Publicado em

Uma menina de seis anos morreu após ser picada por um escorpião no domingo, 16, em Euclides da Cunha Paulista, no oeste do Estado de São Paulo.

A menina Stefanne Rayane Muniz Santana brincava no quintal de casa quando pisou no bicho e sofreu a picada, segundo os parentes. A mãe da criança, Fernanda Santana, viu a filha chorando e constatou a presença do aracnídeo.

A menina foi levada inicialmente para uma unidade de saúde da cidade, mas acabou transferida para o Hospital Estadual de Porto Primavera, na mesma região. Após cerca de dez horas de internação e tratamento, o quadro da criança se agravou e ele não resistiu. A causa da morte foi atestada como choque cardiogênico e edema agudo de pulmão pelo efeito tóxico do veneno.

Stefanne fazia aniversário no domingo. O corpo da menina foi sepultado nesta segunda-feira, 17, no Cemitério Municipal de Euclides da Cunha.

Este ano, até o final de fevereiro, tinham sido registrados 4.025 casos de acidentes com escorpiões, com duas mortes. Uma delas vitimou a menina Ana Sofia da Silva Santos, de 4 anos, em Tupã, no interior paulista. Ela sofreu uma picada no polegar direito. O jornal O Estado de S. Paulo mostrou que 2018 teve o maior número de acidentes em 30 anos.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

PIONEIRISMO

Médicos operam intestino de feto ainda na barriga da mãe em Rio Preto

Procedimento foi feito no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de Rio Preto com participação de especialistas de hospitais de São Paulo, Taubaté e até da Argentina. Médicos dizem que cirurgia foi pioneira no mundo.

Publicado em

Cirurgia inédita foi feita por médicos em Rio Preto — Foto: Divulgação/ Hospital da Criança e Maternidade

Médicos de três instituições operaram o intestino de um feto com malformação congênita ainda na barriga da mãe no Hospital da Criança e Maternidade (HCM), em São José do Rio Preto (SP). O procedimento, que foi realizado nesta segunda-feira (17), foi pioneiro no mundo, segundo os especialistas.

De acordo com o hospital, participaram da cirurgia médicos do Hospital da Criança e Maternidade de Rio Preto, do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, da Universidade de Taubaté e do Hospital de Baia Blanca, da Argentina.

Segundo a assessoria do HCM, o bebê operado está com 33 semanas de gestação e possuía gastrosquise, que é uma abertura nos músculos e na pele da parede abdominal que permite que o intestino fique para fora do abdômen.

De acordo com a cirurgiã fetal Denise Araújo Lapa, a cirurgia foi inédita porque até então o paciente era operado logo após o nascimento. Contudo, a grande diferença é que os especialistas submeteram o feto ao procedimento ainda dentro do útero da mãe, fato que diminui riscos e complicações.

“O Brasil está em primeiro lugar. Fomos os pioneiros a fazer esse procedimento que há muito tempo estão tentando realizar. Nunca imaginei fazer algo assim. Um pesquisador com uma boa ideia e patrocinado faz coisas inexplicáveis no Brasil”, afirma Denise.

Segundo o médico Gregório Lorenzo, especialista em medicina fetal, a mãe da criança, de 26 anos, mora em São José dos Campos (SP) e o procurou para falar sobre a doença que a criança tinha.

“Eu sugeri que eles viessem para cá por uma questão de qualidade e especialidade. Com a vinda deles, percebemos que poderíamos fazer a abordagem antes do nascimento. Então, os pais concordaram com a cirurgia sabendo dos benefícios que isso poderia acarretar”, afirma.

Cirurgia

Os médicos precisaram de 1h40 para realizar o procedimento, que é minimamente invasivo. Durante o procedimento, quatro pequenas incisões foram feitas na barriga da mãe, por onde introduziram os instrumentos que permitem ver o interior do útero e corrigir a malformação.

Segundo os profissionais, uma das grandes vantagens é o fato do bebê nascer sadio, o que permite mamar imediatamente no seio da mãe e ter alta hospitalar em dois ou três dias.

Procedimento cirúrgico é feito dentro da barriga da mãe — Foto: Divulgação/ Hospital da Criança e Maternidade

Ainda de acordo com os médicos, já o bebê que se submete a uma cirurgia de correção da gastrosquise após o nascimento tem as alças intestinais inflamadas, o que o impede de mamar. Consequentemente, ele precisa permanecer, em média, 30 dias internado, recebendo nutrição parenteral.

“Os benefícios são imensuráveis. Quando pensamos na possibilidade do bebe nascer e na sala de parto poder mamar, poder ter o trânsito intestinal funcionando normalmente e poder ir para casa em dois ou três dias, isso não tem preço. O procedimento minimiza a dor, os riscos de infecção e o gasto financeiro”, diz o cirurgião Rodrigo Tadeu Russo Gonçalves.

O estado da saúde da mãe é estável. Ela deve permanecer em observação até receber alta.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
90