Fique Conectado

Boa ação

Conheça o passo a passo para a doação de medula óssea

Doador só é acionado quando aparecer um paciente compatível. Informações são enviadas para o Redome

Publicado

em

Anunciante

O medo do transplante e a falta de informação são os maiores obstáculos para a vida de quem está lutando a favor dela, contra a leucemia, por exemplo.

O que poucos sabem, no entanto, é que os primeiros passos são simples, fáceis e indolores. Pessoas com idade entre 18 e 55 anos, em bom estado de saúde, sem doenças infecciosas ou incapacitante, podem fazer parte do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

AnuncianteCirco Mágico

Como se cadastrar
Com um documento com foto em mãos, vá até o hemocentro mais próximo e diga que quer ser doador de medula óssea.

Após preencher uma ficha com informações pessoais e assinar um termo de consentimento livre e esclarecido, será retirada uma amostra de sangue para fazer o exame de histocompatibilidade (HLA), que identificará a característica genética do doador.

As informações genéticas, bem como os dados cadastrais, são enviadas para o registro do Redome. A partir de então, as informações passam a ser constantemente cruzadas com as de quem precisa de transplante. O voluntário recebe uma carteira de doador, com selo do Redome.

Compatibilidade
O doador só é acionado quando aparecer um paciente com a medula compatível. Por isso, é importante que alterações de telefone e endereço estejam atualizadas no cadastro do Redome. Em caso de compatibilidade, novos testes são feitos.

Após os exames, se confirmada a compatibilidade, uma nova consulta é realizada ao doador para certificar se ele realmente deseja fazer a doação.

De acordo com o responsável pelos transplantes no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), Gustavo Bettarello, na maioria dos casos, a doação é realizada em procedimento ambulatorial, por meio da chamada coleta por aférese. “O doador vai tendo suas células retiradas sem anestesia, sem dor, sem absolutamente nada”, ressaltou.

Métodos
Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias para aumentar o número de células-tronco no sangue. Elas são as mais importantes para o transplante de medula óssea. Após o período, ocorre a coleta do sangue e a separação das células-tronco.

Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia. Os doadores retornam às suas atividades habituais após uma semana da doação. A medula óssea se recompõe em apenas 15 dias.

A outra opção é feita em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas. Neste procedimento, a medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, com duração de 90 minutos. Nos primeiros três dias, pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples.

Indicação de transplante
O transplante de medula é indicado em casos de doenças do sangue como a anemia aplástica grave, outras anemias adquiridas ou congênitas, e na maioria dos tipos de leucemias (câncer de sangue), como a mieloide aguda, mieloide crônica e a linfoide aguda. O procedimento pode ser indicado ainda para o tratamento de um conjunto de cerca de 80 doenças.

Deixe sua opinião

Fonte: Portal Brasil
Anunciante

Acidente

Mulher capota veículo e é socorrida com ferimentos para hospital, em Araçatuba; vídeo

Publicado

em

Uma mulher foi levada com ferimentos leves para um hospital particular da cidade. (Thiago Augusto/Regional Press)

Uma mulher foi socorrida por uma Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros na noite desta terça-feira (09) após capotar um veículo Jeep na Rua Tiradentes, quase esquina com a Rua São Paulo, no bairro Vila Mendonça, em Araçatuba.

(Thiago Augusto/Regional Press)

O acidente aconteceu por volta das 8 horas da noite depois que a vítima perdeu o controle do veículo, chocou-se com um automóvel VW/Fox estacionado e capotou.

AnuncianteCirco Mágico

A mulher teve ferimentos leves e foi levada para um hospital particular.

O local foi isolado pela Polícia Militar até a remocre do veículo pela seguradora da vítima.

As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil para apontar o que ocasionou o capotamento.

(Thiago Augusto/Regional Press)

Três viaturas do Corpo de Bombeiros participaram no atendimento, além de duas viaturas da PM.

Assista vídeo gravado no local do acidente:

Deixe sua opinião

Continue Lendo

RECEITA

Prepare em casa um risoto de lulas com tomatinhos

Publicado

em

ANDRÉ ROCHADEL / METRÓPOLES

A grande dica dessa receita é como finalizar um risoto utilizando frutos do mar: como são produtos mais delicados, não é recomendável usar queijo, apenas manteiga e azeite (se for saborizado, melhor ainda).

Prepare, poste em seu stories e marque @andre.rochadel que vou repostar e comentar o prato! Boa merenda!

AnuncianteCirco Mágico

Deixe sua opinião

Continue Lendo

RADICAL

Confira como foi o Mega Encontro de Paramotor 2018 em Araçatuba

Publicado

em

O evento reuniu 461 pilotos de 14 estados, além do Paraguai, Uruguai, Argentina e Bolívia. O vento não ajudou e não foi possível quebrar o recorde mundial, que continua com a Argentina, com 224 pilotos que voaram ao mesmo tempo. Foi uma grande festa para os pilotos e público de toda a região que lotou as dependências do Clube de Paramotor. Assista:

AnuncianteCirco Mágico

Deixe sua opinião

Continue Lendo

EXCLUSIVO

Regional Press entrevista mulher que acusa marido de estuprar filha adolescente, horas antes da família fugir da cidade. Ele não ficou detido

Publicado

em

MEDO: Mulher e as duas filhas iriam embora de Araçatuba ainda neste domingo, após a entrevista. Foto: Regional Press

O aposentado S.F.C., de 45 anos, detido na tarde deste sábado sob acusação de estupro, cárcere privado, ameaça, injúria e violência doméstica vai aguardar o processo em prisão domiciliar. A reportagem do Regional Press entrevistou a mulher que fez as acusações, inclusive com apresentação de vídeo à polícia, horas antes dela fugir de Araçatuba com as duas filhas, neste domingo. O acusado, que já sofreu dois AVCs (Acidente Vascular Cerebral), faz tratamento de fisioterapia e toma muitos medicamentos. Ele é padrasto da menina a qual a mãe diz ser vítima de estupro.

A equipe do Regional Press encontrou a mulher, uma diarista de 41 anos, na casa de uma amiga dela. As duas filhas ficaram em um dos quartos, para não ouvir detalhes do relato. A adolescente abusada é filha dela e enteada do acusado. Já a menina mais nova, de 13 anos, é filha do casal, que mora junto há 14 anos.

AnuncianteCirco Mágico

A diarista contou que tinha um casal de filhos, o jovem hoje com 20 anos e a menina de 16, quando em 2004 conheceu o acusado, no litoral sul paulista, onde ele morava e trabalhava com mecânico. A família do acusado é de Araçatuba e na mudou para o litoral por conta do serviço da mãe dele, funcionária pública.

Na época o homem assumiu o casal de filhos da diarista, e ambos tiveram mais uma filha. Ela conta que o marido tinha envolvimento com o tráfico e era usuário de drogas. No entanto, nunca conseguiu se separar, porque toda vez que tentava ir embora de casa ele ia atrás e forçava a volta no relacionamento.

A mulher disse que há quatro anos não se relacionava mais sexualmente com o marido. De acordo com ela, alguns parentes chegaram a suspeitar que ele poderia estar abusando da enteada, mas ela nunca desconfiou, mesmo porque a menina não falava nada.

No primeiro semestre deste ano o homem teve dois AVCs em menos de um mês, e ficou com graves sequelas. A mulher, já não aguentando mais cuidar dele sozinha, inclusive por conta das grosserias, mesmo estando acamado, pediu ajuda para a sogra e ambos vieram do litoral para Araçatuba, onde há quatro meses estavam morando em uma chácara.

Segundo ela, quando o marido saia ele trancava tudo na chácara e ela era proibida de sair sozinha. “Eu só saia com a mãe dele. O estranho é que ele sempre queria sair levando minha filha, até para ir na fisioterapia”, relatou.

Já desconfiada, ela colocou um telefone celular escondido no banheiro, e para sua surpresas, acabou gravando parte dos abusos. No celular, ficou registrada imagem do acusado tentando beijar a enteada no banheiro, além de esfregar as mãos nas partes íntimas da menina. Temendo que as imagens fossem apagadas, ela enviou para o filho. O telefone, quando ela mostrou ao marido as gravações, foi quebrado. Como ela teve a precaução de enviar o vídeo ao filho, a gravação ficou registrada no aplicativo e no celular do rapaz. Em conversa com a menina, ela relatou e partes os abusos sofridos e disse que isso acontecia desde os 12 anos de idade.

Diante dos fatos, a mulher decidiu planejar a fuga de Araçatuba. Para isso contou com a ajuda de uma conhecida da família, que se prontificou a dar um apoio. Combinara de sair e levar as crianças para passear, mas essa seria uma saída sem volta.

Quando o homem saiu da chácara, ela pegou os pertences, as duas filhas e saiu com a amiga da família. O destino já estava planejado. No entanto, quando ele retornou a chácara, viu que os pertences da mulher não estavam mais no local, como escovas de cabelo, roupas e pertences das crianças.

O homem, que não pode dirigir devido a dificuldade física que tem como sequela do AVC, pegou um Uber e foi até a casa da amiga da família. Impedido de entrar, começou a fazer ameaças em frente à casa, no Jardim Brasil.

A Polícia militar foi acionada e a mulher acabou contando toda a história. Todos foram ao plantão policial. O mecânico foi detido e encaminhado a audiência de custódia, onde, na manhã deste domingo, a Justiça determinou que ele cumpra prisão domiciliar enquanto aguarda julgamento do processo.

A diarista contou que teve acesso ao depoimento da filha e ficou chocada com os relatos da menina, que nunca contou nada temendo as ameaças e também por vergonha da mãe. A menina, segundo a mulher, sofria vários tipos de abuso, incluindo relações sexuais de todas as formas.

“Eu me sinto muito culpada. Me sinto culpada por não ter percebido nada disso antes. Por não ter me atentado quando parentes me falaram que ela poderia estar sofrendo abuso. Eu sou culpada”, lamentou a diarista, aos prantos. Ainda neste domingo, após a entrevista, ela iria deixar a cidade com as filhas, temendo pela vida de ambas, já que o homem não está na cadeia. A menina passou por exame no IML e também por atendimento médico no pronto-socorro. Agora a mulher quer recomeçar a vida longe do, agora, ex-companheiro.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS

error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998