Connect with us

ELEIÇÕES 2018

Incomodado com Mourão, partido de Bolsonaro quer púlpito vazio

O PSL não aprova a tentativa do vice da chapa de substituir o candidato nos debates
Fabricio Oliveira

Publicado

em

© Exército Brasileiro/Divulgação


O PSL está em choque com a tentativa do general Mourão (PRTB), vice na chapa de Jair Bolsonaro, de substituir o capitão reformado nos debates.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, a cúpula do partido desaprova a participação do vice nos debates e quer manter o púlpito do candidato da sigla vazio, a fim de lembrar aos eleitores que ele foi vítima de um ataque a faca.

Vale lembrar que o estado de saúde de Bolsonaro ainda é grave. Na noite desta quarta (12), ele foi submetido a uma nova cirurgia.

Deixe sua opinião

Fonte: NOTÍCIAS AO MINUTO

Novo Governo

Câmara derruba decreto assinado por Mourão sobre sigilo de documentos

Alex Mesmer

Publicado

em

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Insatisfeitos com a falta de interlocução com o Palácio do Planalto, deputados impuseram nesta terça-feira, 19, a primeira derrota ao governo na Câmara.

Eles aprovaram um projeto que susta os efeitos do decreto editado pelo vice-presidente Hamilton Mourão em janeiro que ampliou a funcionários comissionados e de segundo escalão o poder de impor sigilo a documentos públicos. A votação foi simbólica. O texto segue agora para análise do Senado.

A proposta foi incluída na pauta de votações desta terça a pedido do líder do PP, Arthur Lira (AL), durante reunião de líderes realizada pela manhã.

Segundo relatos de deputados, o líder do governo na Câmara, major Vitor Hugo (PSL-GO), chegou a pedir para que a proposta não fosse incluída na pauta mas foi derrotado por seus colegas.

Antes da aprovação do mérito do projeto de decreto legislativo, a Casa aprovou a urgência da proposta por ampla maioria. Foram 367 votos a favor, 57 contrários e 3 abstenções.

Durante a discussão sobre a matéria, o PSL foi um dos únicos partidos que defendeu o decreto de Mourão. O presidente da sigla, deputado Luciano Bivar (PE), no entanto, votou a favor da urgência, assim como o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP). Outros 50 deputados da legenda votaram contra a urgência.

Logo depois da aprovação da urgência, o PSL apresentou um requerimento para retirá-lo de pauta sob a alegação de que era preciso mais tempo para debatê-lo e esclarecer o seu conteúdo junto aos parlamentares. Mais uma vez, o plenário impôs derrota e manteve o projeto na pauta.

Vitor Hugo minimizou a derrota. “Não é uma derrota. O PSL pode se manifestar como quiser, é um partido independente do governo, embora seja a base angular. Mas o governo liberou a bancada porque entende que o Parlamento é soberano. Para a gente o resultado está tranquilo. No mérito, o governo não interpreta isso como uma derrota”, disse.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Crise no Governo

Bebianno diz que Carlos Bolsonaro ‘fez macumba psicológica no pai’

Alex Mesmer

Publicado

em

Gustavo Bebiano deu entrevista para a Jovem Pan na noite desta terça-feira (Reprodução/ YouTube)

Gustavo Bebianno abriu o jogo sobre sua saída do governo Jair Bolsonaro. Em entrevista à rádio Jovem Pan nesta terça-feira (19), o ex-ministro da Secretaria-Geral da República deixou claro que Carlos Bolsonaro, filho do presidente, foi o grande responsável pela crise que culminou com a exoneração dele.

A manifestação de Bebianno acontece após a revista “Veja” divulgar uma intensa troca de mensagens entre o ex-ministro com o presidente.

“Carlos tem uma agressividade fora do normal. No Rio de Janeiro ele é conhecido como destruidor de reputações. As pessoas têm medo de confrontar.  Diversas vezes o Carlos me agrediu, direta ou indiretamente, ele usa muitas vezes o perfil de outras pessoas para fazer”, disse Bebianno.

“Carlos não mede as consequências de seus fatos. Como você vai a público e chama uma pessoa de mentirosa?”, questionou o agora ex-ministro.

“A Folha [o jornal ‘Folha de S. Paulo] vive produzindo matérias contra a família Bolsonaro. Como a família Bolsonaro rebate? Fake news. Em nenhum momento se entra no mérito da matéria. No meu caso, o que foi feito quando a Folha fez a matéria? Fui julgado”, acrescentou o ex-ministro, que disse ainda respeitar Jair Bolsonaro.

“Continua sendo o meu presidente. Tem meu respeito, meu afeto e meu amor. Mas como ser humano, não é perfeito”, afirmou, reforçando que o filho Carlos é o grande problema do pai.

“(Carlos) fez macumba psicológica na cabeça do pai”, acrescentou. “Eu fui demitido pelo Carlos Bolsonaro”, afirmou.

Sobre o caso envolvendo laranjas, Bebianno disse que tem plena confiança no atual presidente do PSL, Luciano Bivar: “Não me pareceu desde o início que Bivar tenha atuado em benefício próprio”, disse, destacando ainda que Bivar é “bem-sucedido” e que não tentaria uma manobra em uma candidatura “tão visível quanto foi a do atual presidente”. “Eu confio no deputado e acredito que tenha agido de acordo com a lei”.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

ABC

Fechamento de fábrica da Ford deve por fim a 3 mil postos de trabalho

Alex Mesmer

Publicado

em

A Ford confirmou, nesta terça-feira, que irá fechar a fábrica da marca em São Bernardo, em São Paulo, ao longo deste ano. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, ao todo, 3.000 colaboradores trabalham atualmente na planta, sendo mais de 2.000 no chão de fábrica.

O restante dos funcionários atua em funções administrativas, por isso devem continuar.Em comunicado, a montadora afirmou que o fim da operação era planejado já que a marca irá deixar de atuar no segmento de caminhões na América do Sul. Na planta de São Bernardo, a Ford produz as linhas Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta.

Ainda segundo a Ford, a decisão de deixar o mercado foi tomada após vários meses de busca por alternativas, que incluíram a possibilidade de parcerias e venda da operação. Contudo, “a manutenção do negócio teria exigido um volume expressivo de investimentos para atender às necessidades do mercado e aos crescentes custos com itens regulatórios”, afirmou em nota.

Através das redes sociais do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o presidente Wagner Santana se mostrou indignado com o anúncio feito pela Ford. Segundo ele, a empresa quer visar apenas no lucro e não nos trabalhadores envolvidos na planta de São Bernardo do Campo.

“Não aceitamos esse anúncio e vamos fazer o necessário para reverter essa decisão”, garante o líder.Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul, também se posicionou sobre o impacto do fechamento da linha de produção para os trabalhadores da região. “Sabemos que essa decisão terá um impacto significativo sobre os nossos funcionários de São Bernardo e, por isso, trabalharemos com todos os nossos parceiros nos próximos passos”, disse.

No ano passado, a Ford já havia antecipado seus planos para o futuro e eles incluam investimentos apenas em utilitários esportivos (SUV) e picapes. As informações são do jornal O Dia.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

política

Revista divulga áudios de conversas entre Bolsonaro e Bebianno; veja

Bebianno e o presidente da República trocaram farpas, via WhatsApp, durante a crise que derrubou o agora ex-ministro
Fabio Shiz

Publicado

em

Foto: Reprodução/Notícias ao Minuto

A revista “Veja” divulgou nesta terça-feira (19) áudios e textos de uma intensa troca de mensagens, ocorrida via WhatsApp, entre Jair Bolsonaro e o agora ex-ministro Gustavo Bebianno. As conversas aconteceram durante a crise que culminou com a demissão do homem que estava à frente da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Nas mensagens, o presidente e Bebianno trocam acusações e se desentendem bastante. O ex-ministro até tenta acalmar as coisas, com aparente tranquilidade, enquanto Bolsonaro mostra-se irritado e sem a menor paciência.

Vale lembrar que a crise no governo começou quando a Folha de S. Paulo revelou um esquema de candidaturas laranjas do PSL, partido pelo qual Bolsonaro chegou ao Planalto.

+ Vídeo de Bolsonaro foi exigência de Bebianno para ‘saída honrosa’

+ Exoneração de Bebianno é publicada no Diário Oficial da União

O clima ficou ainda mais pesado entre Bolsonaro e Bebianno quando o jornal “O Globo” publicou a informação de que o então ministro havia falado com o presidente “três vezes” no dia anterior, mais precisamente na quarta-feira (13), e teria negado que o governo vivia uma crise.

Depois da reportagem do jornal carioca, Carlos Bolsonaro, filho do presidente, atacou Bebianno publicamente, pelo Twitter, chamando o de mentiroso. Bolsonaro, inclusive, compartilhou a mensagem postada pelo filho e ainda disse à Record TV que era mesmo mentira que Bebianno tivesse falado com ele.

As mensagens divulgadas pela Veja mostram que Bebianno conversou sim com o presidente. Confira abaixo:

GOVERNO E TV GLOBO

Bolsonaro mandou uma mensagem a Bebianno na terça-feira (12), reclamando que na agenda do ministro constava um encontro com Paulo Tonet Camargo, vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo. Ao receber a mensagem, o ministro perguntou se o presidente tinha algo contra. Foi então que Bolsonaro mandou um áudio, transcrito abaixo:

Bolsonaro: “Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora… Inimigo passivo, sim. Agora… Trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Pô, cê tem que ter essa visão, pelo amor de Deus, cara. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa. Me desculpa. Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final. Um abraço aí.”

RICARDO SALLES E DAMARES

Em uma outra ocasião, Gustavo Bebianno enviou a Bolsonaro uma nota do site “O Antagonista” que falava sobre uma viagem dele com os ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, ao Pará, a fim de tratar de projetos para a Amazônia com lideranças locais.

Bolsonaro – “Gustavo, uma pergunta: “Jair Bolsonaro decidiu enviar para a Amazônia”? Não tô entendendo. Quem tá patrocinando essa ida para a Amazônia? Quem tá sendo o cabeça dessa viagem à Amazônia? Um abraço aí, Gustavo, até mais.”

Depois de conversar aparentemente com Salles e Damares, Bolsonaro envia outro áudio a Bebianno.

Bolsonaro – “Ô, Bebianno. Essa missão não vai ser realizada. Conversei com o Ricardo Salles. Ele tava chateado que tinha muita coisa para fazer e está entendendo como missão minha. Conversei com a Damares. A mesma coisa. Agora: eu não quero que vocês viajem porque… Vocês criam a expectativa de uma obra. Daí vai ficar o povo todo me cobrando. Isso pode ser feito quando nós acharmos que vai ter recurso, o orçamento é nosso, vai ser aprovado etc. Então essa viagem não se realizará, tá OK? Um abraço aí, Gustavo!”

CARLOS BOLSONARO

Em outro momento, Bebianno fala com Bolsonaro sobre um suposto plano de Carlos para derrubá-lo do governo, conforme divulgado por um jornalista não identificado. O presidente responde e nega que o filho esteja planejando tirar Bebianno do governo.

Bolsonaro – “O caso incitando a saída é mais uma mentira. Você conhece muito bem a imprensa, melhor do que eu. Agora: você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem. Ele esteve comigo 24 horas por dia. Então não está mentindo, nada, nem está perseguindo ninguém.”

BEBIANNO NÃO GOSTOU

Bebianno – “Capitão, há várias formas de se falar. Nós trocamos mensagens ontem três vezes ao longo do dia, capitão. Falamos da questão do institucional do Globo. Falamos da questão da viagem. Falamos por escrito, capitão. Qual a relevância disso, capitão? Capitão, as coisas precisam ser analisadas de outra forma. Tira isso do lado pessoal. Ele não pode atacar um ministro dessa forma. Nem a mim nem a ninguém, capitão. Isso está errado. Por que esse ódio? Qual a relevância disso? Vir a público me chamar de mentiroso? Eu só fiz o bem, capitão. Eu só fiz o bem até aqui. Eu só estive do seu lado, o senhor sabe disso. Será que o senhor vai permitir que eu seja agredido dessa forma? Isso não está certo, não, capitão. Desculpe.”

BEBIANNO SOBRE O ÓDIO DE BOLSONARO

Bebianno – “Capitão, eu só prego a paz, o tempo inteiro. O tempo inteiro eu peço para a gente parar de bater nas pessoas. O tempo inteiro eu tento estabelecer uma boa relação com todo mundo. Minha relação é maravilhosa com todos os generais. O senhor se lembra que, no início, eu não podia participar daquelas reuniões de quartas-feiras, porque os generais teriam restrições contra mim? Eu não entendia que restrições eram aquelas, se eles nem me conheciam. O senhor hoje pergunte para eles qual o conceito que eles têm a meu respeito, sabe, capitão? Eu sou uma pessoa limpa, correta. Infelizmente não sou eu que faço esse rebuliço, que crio essa crise. Eu não falo nada em público. Muito menos agrido ninguém em público, sabe, capitão? Então quando eu recebo esse tipo de coisa, depois de um post desse, é realmente muito desagradável. Inverta, capitão. Imagine se eu chamasse alguém de mentiroso em público. Eu não sou mentiroso. Ontem eu falei com o senhor três vezes, sim. Falamos pelo WhatsApp. O que é que tem demais? Não falamos nada demais. A relevância disso… Tanto assunto grave para a gente tratar. Tantos problemas. Eu tento proteger o senhor o tempo inteiro. Por esse tipo de ataque? Por que esse ódio? O que é que eu fiz de errado, meu Deus?”

BOLSONARO MAIS IRRITADO

Aqui nesses dois áudios transcritos abaixo, Bolsonaro acusa Bebianno de querer envolvê-lo com o esquema do PSL.

Bolsonaro – “Ô, Gustavo, usar da… Que usou do Whatsapp para falar três vezes comigo, aí é demais da tua parte, aí é demais, e eu não vou mais responder a você. Outra coisa, eu sei que você manda lá no Antagonista, a nota (sobre Bolsonaro não atender Bebianno) foi pregada lá. Dias antes, você pregou uma nota que tentou falar comigo e não conseguiu no domingo. Eu sabia qual era a intenção, era exatamente dizer que conversou comigo e que está tudo muito bem, então faz o favor, ou você restabelece a verdade ou não tem conversa a partir daqui pra frente.”

Bolsonaro – “Querer empurrar essa batata quente desse dinheiro lá pra candidata em Pernambuco pro meu colo, aí não vai dar certo. Aí é desonestidade e falta de caráter. Agora, todas as notas pregadas nesse sentido foram nesse sentido exatamente, então a Polícia Federal vai entrar no circuito, já entrou no circuito, pra apurar a verdade. Tudo bem, vamos ver daí… Quem deve paga, tá certo? Eu sei que você é dessa linha minha aí. Um abraço.”

Bebianno se defende

Bebianno – “Capitão, a nota do Antagonista que o senhor tá me acusando de ter plantado… Se o senhor olhar bem, eu localizei aqui e mandei pro senhor. Eu não plantei nada. Ela replica o que a Folha falou. Está escrito aqui: “segundo a Folha, segundo a Folha, o ministro Gustavo Bebianno tentou ligar para Jair Bolsonaro neste domingo para explicar o caso, mas o presidente não atendeu”. Quem mencionou isso não foi o Antagonista, foi a Folha. O Antagonista simplesmente replicou. Então, capitão, eu não plantei nada em lugar nenhum, tá? Abraço.

Bolsonaro acusa novamente

Bolsonaro – “Bebianno, olha como você entra em contradição. Que seja a Folha. Se foi uma tentativa tua pra mim e eu não atendi… Eu não liguei pra Folha, eu não ligo pra imprensa nenhuma. Quem ligou foi você, quem vazou foi você. Dá pra você entender o caminho que você está indo? E você tem que fazer uma reflexão para voltar à normalidade. Deu pra entender? Vou repetir: se você tentou falar comigo, um pra um, se alguém vazou pra Folha, não fui eu, só pode ser você. Tá ok?”

Bebianno – “Não, capitão, não é isso, não. Eu não tentei ligar pro senhor, eu não falei, não vazei nada pra ninguém. Eu nem tentei ligar pro senhor. O senhor mandou um recado que era pra eu não ir ao hospital. Não fui e não liguei pro senhor nenhuma vez. Deixei o senhor em paz. É… Se eu tentei ligar uma ou duas vezes, também não me lembro pelo motivo que foi, é… Não é isso, não, capitão, tá? Eu não vazei nada pra lugar nenhum, muito menos pra Folha, com quem eu praticamente não falo. Abraço, capitão.”

BEBIANNO EXPLICA SUA FUNÇÃO NAS CANDIDATURAS E DIZ QUE BOLSONARO “ESTÁ ENVENENADO”

Bebianno – “Em relação a isso, capitão, também acho que a coisa está… Não está clara. A minha tarefa como presidente interino nacional foi cuidar da sua campanha. A prestação de contas que me competia foi aprovada com louvor, é… Agora, cada Estado fez a sua chapa. Em nenhum partido, capitão, a nacional é responsável pelas chapas estaduais. O senhor sabe disso melhor do que eu. E, no nosso caso, quando eu assumi o PSL, houve uma grande dificuldade na escolha dos presidentes de cada Estado, porque nós não sabíamos quem era quem. É… Cada chapa foi montada pela sua estadual. No caso de Pernambuco, pelo Bivar, logicamente. Se o Bivar escolheu candidata laranja, é um problema dele, político. E é um problema legal dela explicar o que ela fez com o dinheiro. Da minha parte, eu só repassei o dinheiro que me foi solicitado por escrito. Eu tenho tudo registrado por escrito. Então é ótimo que a Polícia Federal esteja, é ótimo que investigue, é ótimo que apure, é ótimo que puna os responsáveis. Eu não tenho nada a ver com isso. É… Depois a gente conversa pessoalmente, capitão, tá? Eu tô vendo que o senhor está bem envenenado. Mas tudo bem, a minha consciência está tranquila, o meu papel foi limpo, continua sendo. E tomara que a polícia chegue mesmo à constatação do que foi feito, mas eu não tenho nada a ver com isso. O Luciano Bivar que é responsável lá pela chapa dele. Abraço, capitão.”00

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS