Oi, o que você está procurando?

rio de janeiro

Além do bumbum, médico prometia aumentar pênis: “Tamanho é documento”

“Dr. Bumbum” e a mãe foram presos após a morte de uma paciente no Rio de Janeiro. Denis Furtado vai prestar novo depoimento nesta sexta

Além de fazer sucesso aumentando glúteos e coxas das mulheres, “Dr. Bumbum” prometia alongar pênis dos homens. Na propaganda colocada na internet, dizia: “Tamanho é documento, sim. É saúde e beleza. Confiança e bom desempenho. E muito prazer”. O procedimento anunciado era bioplastia com aplicação de polimetilmetacrilato, ou PMMA.

Denis Furtado, 45 anos, conhecido como “Dr. Bumbum”, ainda mostrava o antes e o depois da aplicação do produto. Uma ex-funcionária do médico em Brasília confirma que ele fazia a “plástica” nos homens. “Venha saber mais sobre a bioplastia peniana: 100% segura, indolor e de resultados imediatos e definitivos”, garantia o cirurgião – preso no Rio de Janeiro.

De acordo com uma pesquisa de 2016 feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo (SBPC-SP), o PMMA provocou deformidades e complicações em cerca de 17 mil pacientes no Brasil.

O PMMA é um bioplástico feito de microesferas que se espalham pelo tecido quando entram na pele, e não é absorvido pelo organismo. Quando aplicado, o produto endurece como uma espécie de cimento. Há outros procedimentos mais seguros, como o ácido hialurônico.

O Conselho Federal de Medicina preconiza que o uso deve ser feito com cautela, em pequenas quantidades, em áreas do rosto e em casos específicos, como pacientes HIV positivo necessitando de preenchimento facial.

O marketing de Denis Furtado era forte nas redes sociais. O médico, que foi preso nessa quinta-feira (19/7), tinha quase um milhão de seguidores. Agora, responde, ao lado da mãe, Maria de Fátima Furtado, pela morte da bancária Lilian Calixto, 46, no último fim de semana.

Após quatro dias foragidos, “Dr. Bumbum” e Maria de Fátima foram presos no escritório do médico na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Eles estão na 16ª DP, no bairro nobre da capital carioca. O cirurgião, que atendia também em Brasília, vai prestar novo depoimento nesta sexta-feira (20). Segundo informou o advogado da dupla, Marcus Cezar Feres Braga, ao Extra, ambos passaram bem a noite.

Como o Metrópoles mostrou, a bancária Lilian Calixto não foi a única vítima da falta de profissionalismo de Denis Furtado. No Distrito Federal, pacientes do “Dr. Bumbum” começam a aparecer e contar as histórias absurdas das consultas com o médico.

Em áudios, aos quais o Metrópoles teve acesso, uma advogada mostra como o cirurgião agiu após ela ter feito um tratamento malsucedido no bumbum. A mulher ficou com uma ferida no glúteo. A cliente informou ao médico que estava tomando a medicação prescrita por ele, mas não conseguia se recuperar. A paciente reclama do excesso de um produto usado por “Dr. Bumbum” para o preenchimento do músculo direito.

Em resposta à advogada, moradora de Brasília, o médico explica o que poderia estar ocorrendo e aconselha a mulher, inclusive, a cauterizar a própria ferida. Na mensagem (ouça abaixo), é possível ouvir Denis ensinando a técnica para acelerar o processo de cicatrização.

Se você espremer um pouquinho aquele excesso e colocar o esparadrapo bem agarrado, pode ser que dê certo. Agora, posso lhe ensinar uma técnica com uma tesoura: esquenta ela no fogo e encosta de leve nas bordas. Isso se chama cauterização. Também pode dar certo”
Denis Furtado, em conversa com paciente
“Dr. Bumbum” conclui: “Mas você tem de drenar o excesso, tomar o antibiótico, colocar o curativo, e vou te acompanhando nesse processo”.

Além de ser preso nessa quinta (19), o médico teve o registro cassado pelo Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF). “O processo ético-profissional ao qual ele respondia foi concluído, com a decisão de cassação do exercício profissional, que deve ser, obrigatoriamente, submetida ao Conselho Federal de Medicina (CFM). Estão sendo cumpridos os prazos e as etapas administrativas previstas na legislação competente”, informou a instituição, em nota.

Paciente procurou o médico, reclamando do excesso de um produto usado pelo cirurgião no preenchimento do glúteo – Material cedido ao Metrópoles

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!