Fique Conectado

Saúde

Campanha “Julho Amarelo”, em Guararapes, alerta para hepatites virais

Publicado

em

Imagem Ilustrativa
Anunciante

O Departamento Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica de Guararapes, irá realizar no período de 16 a 31 de julho a Campanha “Julho Amarelo”, com o objetivo de alertar a população sobre a importância da prevenção das hepatites virais.

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, entre os anos de 2015 a 2017 foram registrados no município 11 casos de hepatite C e 02 casos de hepatite B. Este ano, 2018, ainda não há nenhum registro.

Durante toda a semana, nas Unidades Básicas de Saúde: Dr. Akira Motomatsu, Dr. Norman Storto (Postão) e Severino Poleto, além das ações educativas de orientação, as pessoas que estiverem com a vacina de hepatite B em atraso vão poder receber a dose (indicada para todas as idades). Importante levar a carteira de vacinação.

Também será realizado o exame de sangue para detecção das hepatites B e C, que já ocorre o ano todo. O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 7h às 17h.

Filipe Fornari

DIA “D”: No sábado, 28 de julho, todas as UBSs vão estar abertas das 8h às 15h e serão ofertados testes rápidos para as hepatites B e C.

Um plano pactuado entre o Ministério da Saúde, estados e municípios, pretende eliminar a hepatite C no Brasil até 2030. A ideia é simplificar o diagnóstico, ampliar a testagem e fortalecer o atendimento às hepatites virais.

A hepatite é uma inflamação do fígado, causada por vírus e quase sempre sem sintomas. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem.

Elas correm o risco de as doenças evoluírem (tornarem-se crônicas) e causarem danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite.

A hepatite A é transmitida por meio de água e alimentos contaminados por fezes ou pelo contato da mão suja de fezes com a boca.

As hepatites B e C podem ser transmitidas por sangue contaminado presentes em objetos (agulhas, alicates de unha, aparelho de barbear), pelo uso de material não esterilizado na colocação de piercing, tatuagem, em procedimentos cirúrgicos e pelo sexo desprotegido. A hepatite B é uma infecção sexualmente transmissível muito fácil de pegar.

Também podem ser transmitidas da mãe portadora do vírus para o filho, principalmente no momento do parto.

Deixe sua opinião

Assessoria de Imprensa/ Guararapes
Anunciante

manifestação

Ato pela legalização do aborto ocupa a Avenida Paulista, em São Paulo

Publicado

em

Ato pela legalização do aborto nesta quinta-feira (19) na Avenida Paulista (Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo)

Um ato pela legalização do aborto bloqueou todas as faixas da Avenida Paulista, sentido Consolação, no início da noite desta quinta-feira (19).

A manifestação ocorre duas semanas antes de o Supremo Tribunal Federal (STF) promover uma série de audiências públicas para instruir processo sobre uma ação que pede a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação.

A manifestação na Paulista, área central de São Paulo, foi organizada pelo movimento “Nossa hora de legalizar o aborto – SP”. Em sua página no Facebook, o movimento defende “não só a legalização do aborto, mas ele feito de maneira segura e pelo SUS”. O grupo também pede educação sexual nas escolas e métodos saudáveis contraceptivos.

O protesto estava previsto para começar às 17h na praça Oswaldo Cruz, no cruzamento da Paulista com a rua 13 de Maio. O grupo deixou o local pouco antes das 19h e seguiu em marcha no sentido Consolação.

Filipe Fornari

Grupo reunido em praça antes de sair em marcha pela Avenida Paulista pedindo a legalização do aborto, nesta quinta-feira (Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo)

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Solidariedade

Primeiro encontro beneficente de carros antigos

Publicado

em

Será realizado neste dia 22( Domingo), o primeiro encontro beneficente de carros antigos no Posto Bisca de Araçatuba.
O encontro terá início às 8h com a presença dos Antigos S/A, Clube da Kombi e Bodes do Asfalto.

TRAGA UM PRODUTO DE LIMPEZA E PARTICIPE

Serão sorteados vários prêmios:
01 Smart TV LG 32 Polegadas
01 troca de óleo completa
Vales pizzas e abastecimentos
01 mês de Pilates
01 mês de academia grátis
01 Jogo de Pneus Aro 15
01 par de capacetes

Dentre outros brindes;

Filipe Fornari

Carros Antigos:

Bodes do Asfalto

Deixe sua opinião

Continue Lendo

nostalgia

Músicos do rock setentista brasileiro estreiam projeto no Sesc Birigui nesta sexta

Publicado

em

Quatro cantores e instrumentistas que integram ou integraram bandas importantes no cenário musical brasileiro, surgidas entre as décadas de 1970 e 1980, se uniram neste ano de 2018 para dar início a um novo projeto.

Cezar de Mercês, d’O Terço; Gerson Conrad, do Secos & Molhados; Pedro Baldanza, d’O Som Nosso de Cada Dia; e Willie de Oliveira, do Rádio Táxi e do Tutti Frutti, estarão no Sesc Birigui nesta sexta-feira, dia 20, para apresentar O Som dos 4.

O show acontece às 20h, na Área de Convivência, com entrada gratuita. O repertório conta com sucessos como “Garota Dourada”, “Rosa de Hiroshima”, “Sinal da Paranoia” e “Hey, Amigo”, além de músicas inéditas. Os quatro roqueiros serão acompanhados por Milton Medusa (guitarra), Renato Amorim (bateria), Gerson Tatino (baixo) e Jimmy Pappon (teclado).

Integrando atualmente suas antigas bandas ou trabalhando em novos projetos, os quatro artistas levam ao palco neste novo projeto influências que vão do rock progressivo ao folk, cada um com sua identidade e bagagem. O cantor e guitarrista Cezar de Mercês, por exemplo, integrou O Terço nos anos 1970, grupo de rock progressivo no qual cantou, tocou e compôs, entre outras músicas, “Hey, Amigo”, um dos clássicos da banda. O grupo tinha entre os membros os músicos Flávio Venturini e Sérgio Hinds.

Filipe Fornari

Cantor e violonista, Gerson Conrad acaba de lançar um trabalho solo, “Lago Azul”, mas foi como integrante do famoso Secos & Molhados que solidificou sua carreira. É de sua autoria, por exemplo, a música feita para o poema “Rosa de Hiroshima”, canção imortalizada na voz de Ney Matogrosso.

O baixista e cantor Pedro Baldanza (ou Pedrão) já tocou com nomes célebres da MPB, como Elis Regina, Sá & Garabyra e Roberto Carlos, mas sua identidade musical também tem suas bases no rock progressivo. Pedro segue em atividade com O Som Nosso de Cada Dia, grupo que ajudou a fundar em 1972, cujo álbum “Snegs”, de 1975, é considerado um dos clássicos do rock brasileiro.

Willie de Oliveira começou sua trajetória como cantor de baile, na adolescência, mas seu caminho artístico mudou de forma expressiva mais tarde. Passou pelas bandas Tutti Frutti (que acompanhou Rita Lee em shows e gravações nos anos 1970), como vocal de apoio, e Rádio Táxi (nos anos 1980; a banda é responsável pela gravação original do hit “Eva”), como vocalista.

Para conferir as entrevistas especiais concedidas pelos quatro músicos à equipe de comunicação do Sesc Birigui, além de outras informações e conteúdos sobre o Pandemia Rock (incluindo a programação completa), basta acessar a página www.sescsp.org.br/pandemirarock.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Olímpia

‘Prejuízo é nosso’, diz motorista de ônibus incendiado em atos de vandalismo

Publicado

em

Motorista Carlos Alexandre de Souza com o ônibus incendiado em Olímpia (Foto: Reprodução/TV TEM)

O motorista de um dos ônibus incendiados por vândalos na madrugada desta quarta-feira (18) em Olímpia (SP) não se conforma com o que aconteceu. O veículo estava estacionado na rua no bairro Harmonia, próximo de onde ele mora. Outros veículos também foram incendiados.

“É ridículo o que aconteceu, o ônibus é o pão nosso de cada dia e quem sofre com o prejuízo agora é a gente, prejuízo é nosso mesmo”, afirma Carlos Alexandre de Souza.

arlos disse que tinha acabado de chegar em casa, quando os vizinhos gritaram do portão da casa dele falando que o ônibus estava pegando fogo. Ele trabalha na empresa que presta serviço de transporte para trabalhadores a usinas na região e faz este serviço há um ano e oito meses.

“Tentei entrar no ônibus para apagar com um extintor e não consegui. O fogo se alastrou rápido demais e só deu para chamar os bombeiros”, afirma. O ônibus ficava estacionado ao lado de uma praça.

Filipe Fornari

Além deste ônibus, outros 14 foram incendiados dentro do pátio de uma empresa e outros nove carros foram queimados no pátio da Ciretran da cidade.

Os ônibus estavam estacionados na garagem da empresa de transportes que fica em uma área industrial da cidade. No alambrado que cerca a pátio foi encontrado um buraco por onde os vândalos podem ter passado para atear fogo nos veículos. Segundo a empresa, os ônibus eram usados no transporte rural e intermunicipal.

Já no pátio da Ciretran, o vigia disse que ouviu um barulho e em seguida o fogo começou. As chamas se alastraram e os bombeiros tentaram conter o incêndio. Os veículos queimados tinham sido recolhidos pela polícia em fiscalizações por irregularidades administrativas e iriam a leilão. No total sete carros, dois caminhões e uma carretinha foram queimados.

A Prodem (Progresso e Desenvolvimento Municipal), empresa responsável pelo departamento de trânsito e transporte da cidade, disse que vai suspender as linhas urbanas a partir das 18h30 desta quarta-feira (18).

Em nota, disse que “a medida preventiva se faz necessária para garantir a segurança dos usuários e motoristas. O serviço deverá voltar a operar normalmente na manhã de quinta-feira (19).”

Suspeita do crime

A polícia trabalha com a suspeita de que os atos de vandalismo tenham sido provocados por causa da morte de um rapaz em uma boate em Olímpia no domingo (15). Everson Luís Nunes foi morto com um tiro por um policial militar.

“A Polícia Militar tem o setor de inteligência e monitora os acontecimentos e trabalha para antecipar os fatos. É uma hipótese que a gente trabalha porque os atos começaram após o enterro do rapaz. Infelizmente os atos, sem ter um comando, não permitem que tenhamos pleno conhecimento do que se quer. A gente não tem como afirmar que é isso, mas investigamos”, afirma o capitão Alessandro Righetti, da Polícia Militar.

A polícia afirma que deteve uma pessoa por incitar pessoas a praticar vandalismo e por desacato, mas ele foi ouvido e liberado. Outro suspeito foi preso, por tráfico de drogas, mas a polícia suspeita que ele também estava nas ações.

Informações do portal G1

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS