Fique Conectado

Araçatuba

Em megaoperação, polícia desvenda detalhes do assalto na Protege e desarticula quadrilha

Publicado

em

Delegado da DIG Antônio Paulo Natal durante coletiva de imprensa, em Araçatuba (Foto: Fábio Shiz)
Anunciante

A Polícia Civil deflagrou no início da manhã desta quinta-feira a Operação Homem de Ferro, que tem como objetivo prender criminosos especializados em roubo a empresa de transporte de valores. De acordo com o delegado Antônio Paulo Natal, titular da DIG, a investigação começou há nove meses após o mega-assalto ocorrido na Protege, em Araçatuba, em outubro do ano passado.

Um homem de 36 anos, identificado como André Luís Pereira da França, acusado de matar o policial civil André Ferro durante a ação, foi preso em Rio Claro.

Balanço parcial da polícia, divulgado no início da tarde, mostrava que 16 pessoas haviam sido detidas por meio de mandados de prisão, além de outras seis em flagrante.

Um homem foi preso em flagrante durante a operação, por porte de entorpecente, e dois mandados de prisão foram cumpridos em Birigui.

Filipe Fornari

Os policiais também apreenderam cocaína, crack, maconha e lança perfume, além de quatro revólveres, uma pistola, uma espingarda e 60 cápsulas de calibre 44.

Foram apreendidos até o início da tarde R$ 45,9 mil em dinheiro, além de grande quantidade de carga roubada.

André Luís Pereira da França matou o policial civil em Araçatuba

As investigações iniciaram-se logo após o roubo à Empresa Protege de Araçatuba, ocorrido no início da madrugada do dia 16 de outubro de 2017, quando, criminosos na posse de arsenal de Guerra, explodiram o prédio da empresa de valores, subtraindo R$ 10 milhões e, simultaneamente, mataram um Policial Civil e atacaram com disparos de arma de fogo o Comando da Polícia Militar de Araçatuba (CPI-10).

 

 

Planejamento

Sede da Protege ficou destruída e policial civil foi morto durante o assalto. (Thiago Augusto/Regional Press)

Durante as investigações foi possível apurar como a Organização Criminosa, através de células compartimentadas, planejou e executou o roubo em Araçatuba.

As atuações de campo ocorrem de forma simultânea em todo o Estado de São Paulo (Capital, Grande São Paulo, Região de Campinas, Piracicaba, Rio Claro, Presidente Prudente e Araçatuba); além de outros Estados da Federação (Mato Grosso do Sul, Goiás, Piauí e Minas Gerais) e Penitenciárias.

Ao todo foram cumpridos 24 mandados de Prisões Temporárias e 147 Mandados de Busca e Apreensão e no momento participam da megaoperação em torno de 600 Policiais Civis; 150 viaturas, além do helicóptero Pelicano da Polícia Civil.

EDGARZINHO

Durante o trabalho de investigação, a Polícia Civil descobriu que o bando tinha ramificações e dividia os trabalhos, sendo que muitos integrantes que participaram da ação criminosa em Araçatuba não se conheciam.

O bando é composto por pessoas divididas em setores que atuam de forma independente, como os especialistas na aquisição dos carros blindados, que vieram só para trazer os veículos, os especialistas em explosivos, que agiram detonando as dinamites, além de pessoas responsáveis por obter informações privilegiadas e até mesmo o setor responsável por planejar a rota de fuga, sendo que um destes foi preso em Birigui.

Edgarzinho, que teve participação no primeiro roubo contra a protege em Araçatuba, em 1997, teria sido responsável por fazer os contatos e recepcionar parte do bando. Ele foi preso por tráfico dias antes do mega-assalto e durante as investigações a Polícia descobriu que o filho dele fez contato com os líderes da quadrilha na tentativa de receber a parte que teria dinheiro deste assalto.

De acordo com o delegado Antônio Paulo Natal, da DIG de Araçatuba, o bando gastou pelo menos R$ 1 milhão para realizar este assalto, contabilizando as viagens, aquisição dos carros blindados, armamentos e logística.

Assista a entrevista do delegado Paulo Natal:

Deixe sua opinião

Regional Press

POPULINA

Ladrões tentam assaltar agência bancária em Populina e trocam tiros com a polícia

Publicado

em

Dois homens armados tentaram furtar uma agência bancária, na região central de Populina (SP), na madrugada desta quinta-feira (19).

Segundo a Polícia Militar, o alarme foi acionado depois que os suspeitos quebraram a porta de vidro da agência e tentaram arrebentar o caixa eletrônico com um pé de cabra.

Quando os policiais chegaram ao local, os criminosos começaram a atirar. Os policiais revidaram os disparos, mas ninguém ficou ferido.

Os assaltantes conseguiram fugir em dois veículos e, de acordo com a polícia, não levaram dinheiro dos caixas.

Filipe Fornari

A Polícia Civil vai investigar o caso e tentar identificar os suspeitos por meio das imagens do circuito interno de segurança da agência.

Segundo a polícia, esta é a segunda vez que a agência é alvo de ladrões em pouco mais de dois meses. No dia 9 de maio, criminosos explodiram o prédio danificando portas e janelas de vidro, além do teto despencar.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

denúncia

Justiça acata denúncia contra trio acusado de matar Vitória Gabrielly

Publicado

em

A 1ª Vara Criminal de São Roque aceitou a denúncia contra os três acusados de matar a jovem Vitória Gabrielly Guimarães, de 12 anos. O crime ocorreu em Araçariguama, no interior paulista. A garota desapareceu no dia 8 de junho e teve o corpo encontrado somente no dia 16.

Os réus responderão pelos crimes de sequestro, homicídio qualificado por motivo torpe, fútil, meio cruel, recurso que impediu a defesa da vítima e ocultação de cadáver. O juiz Flávio Roberto de Carvalho acatou o pedido do Ministério Público e converteu em prisão preventiva a detenção temporária dos reús: Bruno Marcelo de Oliveira, Mayara Borges de Abrantes e Julio César Lima Ergesse.

O magistrado também manteve o sigilo do processo para preservar as provas obtidas durante o inquérito policial. O trio deverá apresentar a defesa às acusações. O juiz, então, decidirá se os acusados serão levados a júri popular.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

juventude perdida

Menino de 14 anos é apreendido pela PM acusado de tráfico no Água Branca

Publicado

em

Imagem ilustrativa

Um menino de 14 anos foi apreendido por policiais militares na noite desta quarta-feira (18) acusado de tráfico de drogas. No local os PMs encontraram 62 pinos contendo cocaína, além de R$ 32 em dinheiro que estava em poder do acusado.

Os policiais faziam patrulhamento pelo bairro Água Branca, zona leste de Araçatuba, quando avistaram dois jovens parados em atitude suspeito na rua Antônio Sampaio. A avistarem a viatura eles correram, e os PMs conseguiram deter apenas um deles, que jogou um saco durante a tentativa de fuga.

O jovem estava em frente à casa de sua irmã. Na embalagem dispensada pelo rapaz havia 62 pinos com a droga. O adolescente contou à polícia que ele já vinha praticando o tráfico de drogas naquele local, e havia adquirido um kit para venda, contendo 65 pinos, sendo que naquela noite já havia vendido três, a R$ 10 cada.

No entanto, o jovem não revelou que entregava o kit a ele e nem disse quem era o outro jovem que conseguiu fugir no momento da abordagem.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

VIOLÊNCIA doméstica

Autônomo joga carro contra moto da ex e faz ameaças

Publicado

em

Um autônomo está sendo acusado pela ex-mulher de ameaçá-la de morte após ter jogado o carro fechando a moto ocupada pela ex-mulher, uma telefonista de 21 anos e pela mãe dela, uma autônoma de 39 anos. O fato aconteceu na noite desta terça-feira nas proximidades casa da vítima, no bairro Hilda Mandarino.

Ela relatou à polícia que teve um relacionamento afetivo com o autor por seis anos, e ambos têm um filho de sete meses. Há três meses ela rompeu o relacionamento e o autor não aceita a decisão, sendo que passou a seguí-la após a separação, sempre utilizando um veículo Del Rey ou um Cruze.

Na data dos fatos a mulher saía de casa com a sua mãe, em uma moto, para ir até a farmácia. Segundo ela, repentinamente o autor apareceu de carro e fechou a moto em que elas estavam, e passou a xingar sua ex-mulher. Em seguida disse que iria pegar o filho para ficar algumas horas com ele, e a mulher recusou dizendo que não havia determinação judicial para isso.

O acusado ficou nervoso e passou a ameaçar a ex-mulher, dizendo que ela seria a primeira de sua lista, que já “levou um pra terra e levaria ela também”, e que se ele fosse preso a levaria junto. A vítima disse que o ex fica seguindo-a nos lugares que ela frequenta. Apesar das ameaças, ela se recusou a entrar com pedido de medida protetiva. O acusado poderá responder pelos crimes de Violência doméstica, Ameaça e Injúria.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS