Fique Conectado

POR 72H

Petroleiros desafiam Justiça do Trabalho e iniciam greve em refinarias

Profissionais decidem parar por 72 horas em solidariedade ao movimento de caminhoneiros, além de pedirem a destituição de Pedro Parente do comando da estatal

Publicado 

em

REUTERS
Anunciante

Mesmo com a proibição do TST (Tribunal Superior do Trabalho), a FUP (Federação Única dos Petroleiros) anunciou o início da greve de 72 horas, nesta quarta-feira (30), a partir da 0h.

O descumprimento da decisão da Justiça do Trabalho divulgada nesta terça-feira (29) acarreta multa de R$ 500 mil por dia.

A ação contra a greve dos petroleiros foi ajuizada pela Petrobras e AGU (Advocacia-Geral da União).

A paralisação foi decretada ilegal. Segundo a ministra Maria de Assis Calsing, o movimento é de caráter político e de aparente abusividade.

Filipe Fornari

Em vídeo publicado em redes sociais, o coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel, disse que a decisão da Justiça do Trabalho não intimida os sindicalistas.

“Os trabalhadores não vão trabalhar, porque eles sabem o que está acontecendo dentro da Petrobras. Eles sabem que hoje está em curso um processo de entrega do patrimônio público”, disse Rangel, durante plenária na CUT (Central Única dos Trabalhadores) do Rio de Janeiro.

“Então, a greve está mantida”, afirmou o sindicalista.

À Folha, Roni Barbosa, secretário nacional de Comunicação da CUT e diretor da FUP, confirmou o início da greve. “Paralisamos na Repar [Refinaria Presidente Getulio Vargas, no Paraná]”, disse.

Além da Repar, a federação, em redes sociais, informou que a greve está em curso na Bacia de Campos (RJ), na Refap (RS) e em unidades da estatal em Minas, Ceará e Piauí.

A FUP critica os preços dos combustíveis e do gás e pede a saída do presidente da estatal, Pedro Parente.

A pauta de reivindicações da entidade foi criticada pela ministra do TST.

“No caso concreto, não há pauta de reivindicações que trate das condições de trabalho dos empregados da Petrobras, até porque não se vislumbra a proximidade da data-base da categoria”, escreveu Casling.

A data-base dos petroleiros é em setembro. Com informações da Folhapress

Deixe sua opinião

NOTÍCIAS AO MINUTO

Pesquisa

62% dos jovens brasileiros têm vontade de ir embora do país

Interesse em sair do Brasil tem crescido entre jovens e adultos

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha mostra que 70 milhões de brasileiros com 16 anos ou mais deixariam o Brasil se pudessem. O levantamento desenvolvido no mês passado aponta ainda que 43% da população adulta também têm interesse em sair do país.

Entre os que têm de 16 a 24 anos, a porcentagem vai a 62%, ou seja, 19 milhões de jovens que deixariam o Brasil.

Na prática, os números também são altos. De acordo com a Folha de S. Paulo, os vistos para imigrantes brasileiros nos EUA chegaram a 3.366 em 2017, o dobro de 2008, início da crise global.

Os pedidos de cidadania portuguesa também aceleraram e dobrou o número de vistos para estudantes, empreendedores e aposentados que querem morar em Portugal.

Filipe Fornari

O professor de economia da Universidade Ramon Llull (Barcelona), destaca que “há fatores de sucesso e de fracasso que explicam isso”. “Um deles é que hoje é mais fácil se mudar: “Na internet dá para ver a rua onde se pretende morar, a sala do apartamento que se quer alugar”, explica.

Além disso, “o Brasil de 2010 promoveu as expectativas de que nosso país seria diferente. O tombo foi maior quando se descobriu que não estávamos tão bem quanto se dizia.”

O fluxo de brasileiros deixam o país traz desafios não só para o setor público, mas também para a sociedade civil, segundo destaca o diretor de Mobilização do Todos pela Educação, Rodolfo Araújo. “As pessoas se sentem vítimas do sistema, à parte dele. Com isso, perdem a capacidade de se sentir cidadãs, seja nos direitos, seja nos deveres.”

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Dinheiro

Deixou de pagar uma conta? Saiba como não ficar com o ‘nome sujo’

Para não correr o risco de ter o nome inserido no SCPC, não empreste o nome, o cartão de crédito ou cheques

Deixar de pagar um crediário, um financiamento, uma nota promissória, a escola do filho ou a faculdade, a conta de luz ou de água, de TV por assinatura ou do telefone. Ter um cheque devolvido por falta de fundos.

Ser protestado em cartório, execução judicial e até mesmo adiar a quitação de impostos como IPTU, IPVA e multas de trânsito têm como consequência a inclusão do nome nos bancos de dados de restrição ao crédito, como o SCPC, administrado pela Boa Vista.

A inclusão pode impossibilitar o consumidor de obter novos créditos ou financiamentos no mercado. Por isso, estar com o CPF sem restrições e com o ‘nome limpo’ é o primeiro passo para ter (ou manter) uma conta corrente, pedir um cartão de crédito, financiar a tão sonhada casa própria, e muito mais.

O pedido de inclusão do CPF nos cadastros restritivos pode ser feito no dia seguinte ao vencimento da dívida, mas isso não significa que o nome será negativado imediatamente. “É concedido ao inadimplente um prazo para que ele regularize sua pendência, informado na carta de aviso de débito encaminhada ao devedor”, explica Flávio Calife, economista da Boa Vista SCPC.

Filipe Fornari

Empréstimo do nome

Para não correr o risco de ter o nome inserido no SCPC, não empreste o nome, o cartão de crédito ou cheques para que terceiros façam compras ou financiamentos. O risco de inadimplência é grande e as consequências do não pagamento vão para quem emprestou e não para quem pegou o dinheiro emprestado ou fez o financiamento ou adquiriu o bem.

É você que fica responsável pela dívida, seu nome é o que foi utilizado! “Esta é a quarta maior causa de inadimplência no Brasil, conforme pesquisa da Boa Vista SCPC. As três primeiras são o desemprego, a diminuição da renda e o descontrole financeiro”, aponta Calife.

Cuidando do CPF

O acompanhamento periódico de apontamentos no CPF é uma prática que deve estar presente no dia a dia de todo consumidor. Ele evita surpresas desagradáveis de negativa de crédito na hora em que se está solicitando, e também pode prevenir possíveis fraudes. Mas como fazer isto?

A Boa Vista SCPC possibilita que o titular do CPF consulte o nome, de forma online e gratuitamente. Basta acessar o www.consumidorpositivo.com.br e fazer o seu cadastro. Pronto, uma vez cadastrado, você pode consultar quando e quantas vezes quiser o seu nome (utilizando seu CPF) sem sair de casa.

Também no portal Consumidor Positivo, ainda, é possível comunicar para a Boa Vista SCPC se ocorrer perda, roubo ou furto de documentos e cheques no serviço “Informar documentos roubados”, também conhecido como “SOS Cheques e Documentos”.

A informação fica no banco de dados da Boa Vista SCPC por cinco anos, e quando uma empresa consulta seu CPF recebe a informação de que você inseriu um alerta no “Informar documentos roubados”. É um serviço de utilidade pública e gratuito.

O próprio consumidor pode fazer o pedido de exclusão a qualquer momento. Se não o fizer, a anotação no “SOS Cheques e Documentos” é expurgada do cadastro após cinco anos. As informações são do site Notícias ao Minuto.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Acidente aéreo

Helicóptero cai no Sul de Minas e deixa mortos

Imagem Ilustrativa

Um helicóptero caiu na noite deste sábado (16) e deixou dois mortos em Espírito Santo do Dourado, no sul do estado de Minas Gerais. Segundo o Corpo de Bombeiros, o plano de voo da aeronave, de propriedade de uma rede de bancos, informava que quatro pessoas estavam a bordo.

Contudo, um amigo das vítimas, que preferiu não se identificar, afirmou que duas pessoas estavam na aeronave no momento da queda. As identidades dos passageiros ainda não foram confirmadas.

A aeronave, identificada como Agusta A109, saiu de Nova Lima (MG) e seguia para o aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP).

A queda aconteceu nas imediações da rodovia MG-179, na zona rural do município, por volta das 19h. Os bombeiros e a Polícia Militar foram ao local para realizar o resgate.

Filipe Fornari

Uma moradora viu o momento em que o helicóptero caiu, já em chamas. “Passou bem pertinho da minha casa, aí começou a tremer a estrutura metálica aqui da minha área, fazer bastante barulho mesmo. Meu marido saiu e falou que ele estava passando bem pertinho e piscando bastante, uma luz vermelha nele acendendo e apagando”, contou Sabrina Carvalho ao G1.

“Passaram uns segundos, a gente escutou aquele barulho de que tinha caído. Aí a gente já pegou o carro e foi lá, tinha explodido”, completou.

O Centro Regional de Investigações e Prevenções de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) vai investigar o acidente.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Crise no Brasil

Abastecimento de gás de cozinha caminha para normalidade

abastecimento de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), conhecido como gás de cozinha, caminha para a normalização no país, informou a Abragás (Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP) neste sábado (16).

“As entregas de GLP da Petrobras para as distribuidoras seguem em ritmo acelerado e os estoques logo deverão estar normalizados”, disse a entidade em nota.

As distribuidoras deixaram de envazar em torno de 11 milhões de botijões durante a paralisação dos caminhoneiros, o que deixou as revendas com os estoques zerados. E duas semanas após o fim da paralisação dos caminhoneiros, nove estados e (DF) Distrito Federal ainda enfrentavam desabastecimento parcial de gás de cozinha.

Citado informações da petroleira, a Abragás afirma que em junho serão entregues ao mercado 709 mil toneladas de GLP –11,5% a mais que as 637 mil toneladas inicialmente previstas para o mês.

Filipe Fornari

“Os estados do Centro-Oeste, Nordeste, Minas Gerais e interior de São Paulo, que estavam vivendo uma situação bastante crítica, já estão recebendo maiores quantidades de GLP, as revendas já iniciam as reposições de estoques e, nas demais regiões do país, os estoques já estão parcialmente abastecidos”, afirma a associação.

O Brasil comercializa em média 620 mil toneladas de GLP por mês, sendo cerca de 430 mil toneladas via 33 milhões de botijões envasados. Outras 190 mil toneladas são comercializadas a granel nos tanques que abastecem condomínios, comércios e indústrias.

A Abragás pede para que consumidores não comprem botijões acima de suas reais necessidades. Segundo a entidade, um botijão dura, em média, 42 dias para uma família de quatro pessoas. Armazenar mais de um botijão de gás em casa, diz a associação, pode ainda colocar em risco a segurança dos moradores se não for feito da forma adequada.

A entidade reforça a recomendação para que consumidores adquiram gás de cozinha apenas de revendas autorizadas pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), “evitando a compra do produto em comerciantes clandestinos, já que podem não oferecer segurança e ainda cobrar preços desproporcionais”.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS