Fique Conectado

SAÚDE

Casos de malária devem crescer 50% no Brasil este ano

Depois de seis anos de queda, a malária voltou a aumentar no Brasil em 2017

Publicado

em

Anunciante

Projeção feita pelo pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz Cláudio Maierovitch aponta que o Brasil poderá ter um aumento de 50% nos casos de malária neste ano. Até março, o País registrou 50 mil infecções. Pelos cálculos do pesquisador, com base nos dados de janeiro e fevereiro, até o fim do ano os registros poderão chegar a 293 mil. O avanço esperado é de proporção semelhante à que foi identificada em 2017.

Depois de seis anos de queda, a malária voltou a aumentar no País no ano passado e a preocupar autoridades sanitárias e especialistas. “Estávamos em ritmo de declínio muito significativo. Mas a doença perdeu prestígio político, as ações de prevenção foram deixadas de lado e os casos voltaram a aumentar”, afirmou o professor da Universidade de Brasília (UnB) Pedro Tauil. Em 2017, foram notificados no País 193 mil casos, 50% a mais do que o registrado no ano anterior.

Diante do aumento de casos, um comitê assessor decidiu na semana passada preparar uma carta de alerta para o governo brasileiro. “O programa perdeu prioridade para outras doenças que atingem grupos com maior poder de reivindicação, como a população urbana. Os recursos foram transferidos para dengue, zika e chikungunya. A malária perdeu recursos financeiros e recursos humanos”, resume Tauil.

A retomada de crescimento da doença por dois anos consecutivos ocorre pouco tempo depois de o Brasil comemorar o avanço no combate à malária. “Em 2016, chegamos a alcançar 128 mil infecções, o menor número da história”, diz Maierovitch. Na época, avisos já haviam sido dados para autoridades não baixarem a guarda. “Esse é um problema comum. Quando a doença começa a cair, a atenção se dispersa.”

Filipe Fornari

Municípios

Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Osnei Okumoto atribuiu o aumento de casos nos últimos dois anos a falhas na prevenção que deveria ser feita por municípios. Assim como Tauil, ele disse que algumas cidades acabaram priorizando o combate ao Aedes aegypti, deixando em segundo plano as medidas de contenção da doença, transmitida pela picada do mosquito Anopheles infectado. Okumoto observa que o avanço foi mais expressivo em 35 cidades da Amazônia Legal. “Juntas, elas respondem por 80% dos casos atuais.” O secretário ainda afastou qualquer relação do aumento com a imigração de pessoas procedentes da Venezuela.

Com a retomada do avanço, fica ainda mais distante a meta de se eliminar a transmissão de uma das formas da doença, provocada pelo protozoário Plasmodium falciparum. Integrantes do comitê julgam essencial controlar a malária no País o quanto antes, sobretudo diante da ameaça de que o medicamento usado para tratar a doença se torne pouco eficaz. Na Ásia, o plasmódio já desenvolveu resistência ao medicamento.

“O que desejávamos era evitar que isso ocorresse, eliminar a transmissão no Brasil antes da chegada do protozoário resistente.” Okumoto reforça a preocupação. “Por enquanto, a medicação tem sido eficaz. Mas o ideal é reduzir ao máximo o número de casos.”

Uma das providências para evitar a expansão da doença é o uso de mosquiteiros impregnados por inseticidas. A medida começou a ser usada no País em 2011. Em um projeto piloto, 1,1 milhão de peças foram distribuídas em municípios prioritários. Posteriormente, nenhuma outra compra centralizada foi realizada. Okamoto afirmou que recursos foram repassados para que Estados e municípios fizessem a operação.

Outra recomendação é reforçar o diagnóstico rápido e o tratamento precoce. “Isso evita o ciclo. Se há poucas pessoas doentes, menor o risco de o mosquito se contaminar e, com picadas, transmitir a doença”, afirma o secretário. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo.

Deixe sua opinião

NOTÍCIAS AO MINUTO
Anunciante

BENEFÍCIOS

INSS convoca 178 mil segurados para perícia

Publicado

em

No dia da perícia, o beneficiário deve apresentar documentação médica disponível, como atestados, laudos, receitas e exames.

Quem não agendar a perícia até 13 de agosto terá o benefício cancelado. Do total de convocados, 168.523 são de aposentados por invalidez e 10.412 são beneficiários do auxílio-doença.

Segundo a publicação oficial, a convocação foi feita porque o INSS não conseguiu encontrar alguns dos beneficiários no endereço informado no cadastro do Sistema Único de Benefícios (SUB), ou porque, no próprio cadastro, não havia informações suficientes para o envio da correspondência. Com informações da Agência Brasil.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Loteria

Mega-Sena pode pagar terceiro maior prêmio de 2018 neste sábado

Publicado

em

Você sonha com os milhões da Mega-Sena? Não deixe de fazer a sua fezinha no sorteio de número 2.061, que correrá neste sábado (21), e concorra ao incrível prêmio de R$ 62 milhões.

O sorteio da loteria mais queridinha dos brasileiros acontecerá às 20h (horário de Brasília) deste sábado (21), na cidade de Ipameri (GO), onde está o Caminhão da Sorte.

Segundo a Caixa Econômica Federal, se apenas um sortudo faturar o prêmio e decidir aplicá-lo na poupança, receberá aproximadamente R$ 5,5 mil por mês em rendimentos.

A chance de acertar as sete dezenas da Dia de Sorte e levar o prêmio de R$ 500 MIL para casa com um jogo simples, segundo a Caixa, é de 1 em 2.629.575. É a loteria mais fácil de ser premiado no país.

Filipe Fornari

Não deixe você também de apostar na Mega-Sena. Para concorrer a prêmios milionários, você precisa selecionar entre 6 e 15 números dos 60 disponíveis no volante. Acertando 6 dezenas você leva o prêmio máximo. Em caso de acerto de 5 ou 4 pontos, você também é premiado.

A Mega-Sena tem sorteios, normalmente, às quartas-feiras e sábados. A aposta mínima custa R$ 4,75 através do Loteria Brasil e pode ser feita até às 15h do dia do sorteio. Os bolões especiais ficam disponíveis até às 19h.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

oportunidade

FAB abre 270 vagas para Curso de Formação de Sargentos

Publicado

em

Com admissão prevista para julho de 2019, a Força Aérea Brasileira (FAB) abre seleção para a segunda turma do Curso de Formação de Sargentos (CFS).

As inscrições custam R$ 60 e vão até 10 de setembro. Para os que pretendem se candidatar, uma boa notícia: serão ofertadas mais de 270 vagas

Quem for aprovado em todas as etapas do exame e selecionado pela Junta Especial de Avaliação (JEA) terá que se apresentar na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em Guaratinguetá (SP).

A data de habilitação à matrícula no curso, que terá duração aproximada de dois anos, está marcada para o dia 30 de junho de 2019.

Filipe Fornari

Para serem habilitados, os candidatos precisam ter concluído, na data da validação documental da seleção, o Ensino Médio do Sistema Nacional de Ensino e ainda não devem ter menos de 17 anos nem completar 25 até 31 de dezembro do ano da matrícula no curso. 

A seleção 

As provas escritas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Matemática e Física ocorrerão no dia 25 de novembro de 2018. O processo seletivo é composto, também, por inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de avaliação do condicionamento físico e validação documental.  

Deixe sua opinião

Continue Lendo

política

PT pode adiar pela 3ª vez decisão sobre candidatura de Marília Arraes em PE

Publicado

em

Em um último esforço por uma aliança nacional com o PSB, o PT estuda adiar pela terceira vez a definição sobre a candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo de Pernambuco. A proposta de adiar novamente o encontro estadual que vai definir a posição do PT na eleição para o governo de Pernambuco foi sugerida ontem, em reunião do Grupo de Trabalho Eleitoral do partido, e será avaliada pela Executiva Nacional petista, reunida hoje em São Paulo.

A proposta surgiu na quinta-feira, 19, pouco depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado na Lava Jato, ter pedido a Márcio Macedo, um dos vice-presidentes do PT responsável por encaminhar as conversas com o PSB, mais empenho na construção de alianças para a disputa presidencial. Ontem, depois de se encontrar com o ex-presidente na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, Macedo disse que Lula pediu mais cuidado com a formação de um leque de alianças.

No dia 5 de julho, em conversa com o líder sem-terra João Pedro Stédile e com o ex-presidente do PT Rui Falcão, Lula havia mandado um recado no sentido inverso ao dizer que “se fosse do PT de Pernambuco já estaria fazendo campanha por Marília Arraes”.
A retirada da candidatura de Marília e apoio do PT à reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) é uma das condições para que o PSB possa selar uma aliança nacional com o PT. Os socialistas também negociam com o presidenciável do PDT, Ciro Gomes.

Marília, que aparece em situação de empate técnico com o governador em pesquisas de intenção de voto, é considerada favorita no encontro partidário que vai definir se o PT terá candidatura própria ou apoiar a reeleição de Câmara.

Filipe Fornari

Na reta final da fase de negociações de alianças, o PT corre o risco de ficar isolado na disputa presidencial. Anteontem a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, se reuniu com a direção do PCdoB, acenou com a possibilidade de Manuela D’Avila ser candidata a vice, mas não houve decisão. O PCdoB também negocia com Ciro.

Também ontem o PT perdeu a esperança de contar com o PR. O partido do empresário Josué Gomes da Silva, o “vice dos sonhos” de Lula, aderiu ao Centrão e fechou apoio a Geraldo Alckmin (PSDB).

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS