Fique Conectado

desabamento

Advogado é incluído em lista de desaparecidos de prédio em SP

Família diz que ele morava no 10º andar e não é visto desde a tragédia. Ele estava desempregado e era usuário de drogas.

Publicado

em

Alexandre de Menezes incluído na lista de desaparecidos do prédio que desabou no Centro (Foto: Divulgação/Polícia Civil )

A Polícia Civil de São Paulo incluiu um advogado de 40 anos na lista de desaparecidos após o desabamento do prédio no Centro de São Paulo no último dia 1º.

A mãe e a irmã de um advogado formado pela Uninove procuraram a polícia para registrar o desaparecimento de Alexandre de Menezes. Segundo a família, ele é solteiro, está desempregado, e é dependente de drogas e álcool. Saiu há 3 anos de casa em Ermelino Matarazzo, na Zona Leste da capital paulista, para morar na rua.

Desde o ano passado ocupava um cômodo improvisado do prédio que desabou. Alexandre ficava no décimo andar, mais isolado dos demais moradores do prédio, pois tinha fama de briguento, de acordo com a polícia.

Ainda de acordo com o depoimento dos familiares à polícia, a avó dele, de 80 anos, era quem mais o ajudava. Todo domingo ia até a Estação Republica do metrô encontrar o neto para dar a ele dinheiro e pegar roupas sujas para lavar.

Voltava no domingo seguinte com as roupas limpas. Mas desde o desabamento do prédio a avó nunca mais teve notícias de Alexandre. Ela o procurou no Metrô, como de costume, na região do Paissandu e na Cracolândia, mas não tem pistas.

O delegado colheu material genético da mãe de Alexandre e está encaminhando pro Instituto de Criminalística para que seja confrontado com os restos mortais examinados em laboratório.

Além de Alexandre, há mais quatro desaparecidos na tragédia. São eles:

Selma Almeida da Silva, 40 (mãe dos gêmeos identificados);

Eva Barbosa Lima, 42;

Walmir Sousa Santos, 47;

Gentil de Souza Rocha, 53.

Deixe sua opinião

g1

Denúncias de Abuso

Caso João de Deus: defesa entra com pedido de habeas corpus

Publicado

em

Um habeas corpus foi protocolado junto à Justiça de Goiás na tarde desta segunda-feira (17) pelo advogado Alberto Toron para tentar revogar a prisão preventiva de João Teixeira de Faria, o médium João de Deus.

Se o pedido for negado, a defesa solicitará que se adote medidas cautelares como prisão domiciliar, colocação de tornozeleira e a proibição de exercer o ofício.

“São medidas que acautelam o meio social, que preservam a possibilidade da prática de novos crimes, se é que eles existiram, com um método menos invasivo, meio menos invasivo”, explicou.

João de Deus se entregou às autoridades no fim da tarde de domingo (16) e está detido no Complexo Penitenciário de Aparecida de Goiânia.

Repercussão da prisão

Logo após o anúncio da prisão, a promotora responsável pelo caso em São Paulo, Gabriela Manssur, comemorou e revelou em entrevista exclusiva à Jovem Pan que “há muitas provas cabais” que comprovam os crimes de abuso sexual. De acordo com ela, essas provas vão de gravações a trocas de mensagens.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

imprudência

Autônomo embriagado é preso após provocar acidente no bairro Paraíso

Publicado

em

Foto: Sílvio Romeiro para Regional Press

Um autônomo de 62 anos, morador no bairro Paraíso, foi preso em flagrante na tarde deste domingo após provocar um acidente de trânsito sem vítimas. Ele passou pelo exame do etilômetro, que constatou a presença de 1,05 miligramas de álcool por litro de ar alveolar.

Quando os policiais chegaram no local já perceberam que o homem apresentava sinais de embriaguez, como forte odor etílico, olhos avermelhados e fala pastosa. Ele concordou em fazer o exame do bafômetro, que confirmou a suspeita.

O autônomo contou que transitava pela rua Paraíso, com seu carro, um Fiat 147, quando perdeu o controle e acabou colidindo com um veículo Honda City que passava pela via. O homem foi preso em flagrante e ficou à disposição da Justiça.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Rapaz é preso após fazer quebra-quebra e ameaçar a mãe a irmã com uma faca

Publicado

em

Foto: Sílvio Romeiro para Regional Press

Um desempregado de 18 anos foi preso em flagrante por policiais militares na noite deste domingo, no bairro Alvorada, em Araçatuba, após, descontrolado, quebrar as portas da casa e ameaçar de morte a irmã e uma vendedora de 23 anos e a mãe, de 48 anos. Ele estaria, segundo elas, sob efeito de drogas.

Policiais militares foram acionados para atender uma ocorrência de briga entre familiares, e quando chegaram no local, do lado de fora, conseguiram ouvir gritos de discussões no interior da casa.

Vizinho informaram que um rapaz estaria armado com uma faca e chegou inclusive a ser contido por populares, que tentaram intervir ao ouvirem gritos de socorro. Ao entrarem no imóvel, os PMs encontraram duas portas danificadas e uma faca quebrada jogada no chão.

A mãe do jovem disse que ele tem problema com drogas. Ontem repentinamente, ficou agressivo e partiu para cima dos familiares, sem um motivo aparente. O rapaz foi contido e algemado, e continuou fazendo ameaças contra as familiares, na frente dos policiais. Ele foi preso em flagrante e ficou à disposição da Justiça.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

GOIÁS

Saiba como foi a 1ª noite de João de Deus na prisão

Publicado

em

© Marcelo Camargo / Agência Brasil

O dia 16 de dezembro foi marcado pela primeira noite em que o médium João de Deus passou na prisão, após mais de 300 mulheres denunciarem casos de abusos sexuais ocorridos durante tratamentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, localizada em Abadiânia. Neste domingo, o líder religioso dormiu sozinho em uma cela de 16 m² no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

O médium se entregou à Polícia na tarde de ontem. Ele foi encaminhado para prestar depoimento na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Goiânia, durante cerca de quatro horas. Em seguida, João de Deus seguiu para o Instituto Médico Legal (IML) onde realizou um exame de corpo de delito. Por fim, foi levado ao Complexo Prisional.

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes afirmou que o João de Deus utilizava a fé para cometer abusos sexuais. Por isso, uma das possibilidades é que médium tenha que responder pelo crime de “violência sexual mediante fraude”. Até o momento, a investigação está concentrada em 15 casos, que serão apurados de forma separada.

Defesa

João de Deus negou todas as acusações durante seu depoimento. A defesa do médium prepara para nesta segunda-feira (17) o pedido de habeas corpus para reverter o pedido de prisão preventiva em domiciliar com tornozeleira. Para o advogado Alberto Toron, a idade elevada e o estado de saúde do líder religioso devem ser considerados.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS