Fique Conectado

Corrida

Australiano Daniel Ricciardo vence o GP da China de Formula 1

Publicado

em

Anunciante

Após 15 provas sem subir ao pódio, o australiano Daniel Ricciardo brilhou e venceu o Grande Prêmio da China de Formula 1, realizado na manhã deste domingo.

A segunda colocação ficou com Valtteri Bottas e a terceira com Kimi Raikkonen.

AnuncianteCirco Mágico

Com os resultados, a liderança da temporada está com Sebastian Vettel (54 pontos), seguido por Lewis Hamilton (45) e Raikkonen (30).

A próxima corrida ocorre no dia 29 de abril em Baku, no Azerbaijão.

Deixe sua opinião

Anunciante

FUTEBOL

Seleção Brasileira vence amistoso contra a Arábia Saudita

Publicado

em

Com a volta de alguns jogadores, a Seleção Brasileira venceu a Arábia Saudita por 2 a 0 nesta sexta-feira (12). No Estádio King Saud University, em Riade, capital saudita, Gabriel Jesus e Alex Sandro marcaram os gols do triunfo brasileiro contra os donos da casa.

O Brasil encara a Argentina, na próxima terça-feira (16), também a partir das 15h (de Brasília). O clássico será no Estádio The King Abdullah Sports City, em Jidá.

AnuncianteCirco Mágico

O jogo

O Brasil criou boas oportunidades na etapa inicial, mas demorou para encontrar o caminho do gol. A Seleção assustou pela primeira vez aos nove minutos com Neymar. O camisa 10 fez bela jogada pelo meio e chutou forte, a bola desviou e foi para fora.

Aos 11, o capitão da Canarinho aproveitou uma sobra dentro da área, mas parou na defesa adversária. Na única chegada da Arábia Saudita, Marquinhos apareceu para salvar o Brasil, aos 16 minutos.

Na marca dos 25, nova chance brasileira. Neymar cobrou falta na área e Gabriel Jesus cabeceou com perigo, mas parou no goleiro saudita. Já aos 43 minutos, a dupla voltou a funcionar. Neymar, novamente pelo meio, achou o camisa 9, que invadiu a área e mandou para o fundo da rede: 1 a 0.

A Seleção voltou do intervalo já com uma mudança no time: Fred saiu para a entrada de Lucas Moura, que logo aos seis minutos quase ampliou para a Canarinho.

O camisa 21 recebeu dentro da área, mas bateu em cima do goleiro. Três minutos depois, Neymar arriscou da intermediária e carimbou a trave. Com vantagem no placar, novas alterações: Walace, Arthur e Richarlison substituíram Casemiro, Philippe Coutinho e Gabriel Jesus.

Aos 39, o Brasil ficou com um jogador a mais após a expulsão do goleiro da Arábia Saudita. No último lance da partida, Alex Sandro, de cabeça, fez o segundo gol da Canarinho dando números finais a partida: 2 a 0.

Brasil: Ederson, Fabinho, Marquinhos, Pablo, Alex Sandro; Casemiro (Walace), Fred (Lucas Moura), Renato Augusto, Philippe Coutinho (Arthur), Neymar; Gabriel Jesus (Richarlison)

Deixe sua opinião

Continue Lendo

JUSTIÇA

Revista alemã afirma que documentos sobre CR7 ‘são autênticos’

Publicado

em

© Getty Images

A revista alemã Der Spiegel, que trouxe ao público o caso do suposto estupro cometido por Cristiano Ronaldo, afirmou nesta quinta-feira (11) que todos os documentos publicados são “autênticos” e foram “meticulosamente analisados”.

“Não temos razão nenhuma para acreditar que estes documentos não são autênticos. Analisamos meticulosamente todos os documentos e os mesmos foram legalmente revistos”, declara a Der Spiegel em comunicado.

AnuncianteCirco Mágico

O esclarecimento surge um dia após Peter S. Christiansen, advogado que lidera a equipe de defesa do camisa 7 da Juventus, ter reiterado, em comunicado emitido pela Gestifute, que o atleta português “nega veementemente” a acusação de estuprar uma mulher norte-americana e que os documentos com eventuais declarações reproduzidas pela revista são “puras invenções”.

“Para que não subsistam dúvidas: Cristiano Ronaldo nega veementemente todas as acusações constantes da referida ação cível, em coerência com o que tem feito nos últimos nove anos”, escreveu Peter S. Christiansen, referindo-se a uma recente ação cível movida por Kathryn Mayorga, “baseada em eventos supostamente ocorridos em 2009”.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

AUTOMOBILISMO

Ferrari discute uso de ‘sensor mágico’ após queda de rendimento na F-1

Publicado

em

© Getty Images

É uma novela que há meses movimenta os bastidores da Fórmula 1: a vantagem de potência do motor Ferrari, especialmente após a quarta etapa, no Azerbaijão, chamou a atenção dos rivais. Mais do que isso, engenheiros que os italianos perderam para a Mercedes explicaram o funcionamento das chamadas baterias gêmeas e, desde então, os alemães vêm tentando pressionar a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para verificar o propulsor ferrarista.

Foram várias as tentativas da FIA, até a instalação, no final de semana do GP de Singapura, de um segundo sensor que determina o fluxo energético das baterias. De lá para cá, o time italiano não se encontrou. Diretor de provas da entidade, Charlie Whiting não negou a existência do sensor, mas afirmou que ele não tem relação direta com a queda de performance da Ferrari.

AnuncianteCirco Mágico

“Existe a especulação de que colocamos um ‘sensor mágico’ no motor deles. Não vou comentar sobre isso. Mas vou dizer que, em termos do que tem sido noticiado, não concordo com o que foi sugerido. Não há nenhuma ligação [entre o sensor e a queda de rendimento].”

O discurso de Lewis Hamilton depois do GP do Japão, contudo, foi diferente. O inglês não costuma comentar o assunto, mas, perguntado pela reportagem em Suzuka sobre quais seriam os motivos da melhora do desempenho da Mercedes e a queda de seus rivais, disse que a Mercedes “trouxe apenas uma pequena melhoria, que vale algo em torno de 50 milésimos, para a Rússia, e não levou mais nada para o Japão”.

“Então, não fomos nós que melhoramos. Nós temos uma ideia do que aconteceu, mas eu não quero falar nisso. Era algo que achávamos que estava acontecendo e é isso mesmo.”

Questionado se referia-se a algo do carro da Ferrari, o inglês apenas disse que sim.

Há duas linhas de pensamento: uns dizem que o sensor passou a impedir que o sistema funcionasse da mesma maneira que antes, enquanto outros veem motivos diferentes para a queda ferrarista.

Ao invés de culpar o sensor, há quem defenda que a tal bateria gêmea da Ferrari desgastaria o motor de tal forma que não poderia ser mais usada, uma vez que o time italiano, assim como os demais, está economizando equipamento para evitar punições pois, a grosso modo, cada piloto pode usar só três motores por ano.

Outro fator que estaria atrapalhando o rendimento é a falta de desenvolvimento do carro. Até Singapura, basicamente tudo o que era colocado no carro gerava algum tipo de melhora. Em Suzuka, porém, asa e suspensão novas foram testadas, mas acabaram sendo removidas após os primeiros treinos livres. A correlação, feita no simulador pelo piloto de testes Daniil Kvyat, entre os treinos e a classificação comprovou que o carro estava melhor sem as novidades.

Isso casa com o que Sebastian Vettel disse sobre as suspeitas de que o sensor tenha feito a Ferrari diminuir a potência das baterias de sua unidade de potência. “Estamos correndo com toda a potência”, afirmou. “Acho que estamos perdendo mais tempo nas curvas do que nas retas. Então não acho que seja isso.”

O problema é que os dados não mostram exatamente “isso”. Em Singapura, a Renault notou, por meio de seu sistema de GPS, que a vantagem que a Ferrari tinha há meses na parte final das retas tinha desaparecido. E, em Suzuka, a Mercedes começou o fim de semana com 10m/h a mais que os italianos e se deu ao luxo de adotar um acerto com mais carga aerodinâmica, mais eficiente para as curvas, ao longo do final de semana. Na corrida, a Mercedes economizou seus motores, como revelou o finlandês Valter Botas logo após a prova.

Seja qual for o motivo da queda misteriosa, o fato é que Ferrari e Vettel se complicaram de vez no campeonato nestas três últimas provas. A disputa de pilotos pode ser decidido já na próxima etapa, no GP dos Estados Unidos. E a Mercedes tem chances de fechar o de construtores na etapa seguinte, no México. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

FRANCE FOOTBALL

Cristiano Ronaldo e Firmino são indicados à Bola de Ouro

Publicado

em

© REUTERS

Cristiano Ronaldo foi nomeado nesta segunda-feira (8) à Bola de Ouro, prêmio que será entregue pela revista France Football ao melhor jogador de 2018. A publicação irá revelar ao longo do dia outros 20 indicados ao troféu. Os brasileiros Roberto Firmino e Alisson também aparecem na lista.

O prêmio é entregue de forma independente do The Best, da FIFA, desde 2016. Nos dois anos que se seguiram, o vencedor foi o mesmo homem: Cristiano Ronaldo.

AnuncianteCirco Mágico

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS

error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998