Fique Conectado

VIOLÊNCIA

Homem é executado quando abastecia o carro em posto no DF. Veja vídeo

Homem é executado quando abastecia o carro em posto no DF. Veja vídeo

Publicado

em

Anunciante

Um homem morreu ao ser executado no momento em que abastecia o carro em um posto de combustíveis na QNM 4, em Ceilândia. O crime ocorreu por volta de 20h40 de quinta-feira (5/4).

Imagens do estabelecimento mostram que enquanto o motorista do Golfe preto abastece, um carro branco estaciona próximo. Um homem desce pela porta do passageiro, atira mais de 10 vezes, retorna ao veículo e foge.

AnuncianteCirco Mágico

Cerca de dez pessoas que estavam no posto presenciaram o homicídio. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima não resistiu e morreu no local.

Não há informações sobre a motivação do crime.

Assista ao vídeo da ação:

Deixe sua opinião


METRÓPOLES
Anunciante

ELEIÇÕES 2018

Campanhas ricas não se elegem, e PSL vence com baixo orçamento

Publicado

em


Na eleição em que a verba pública predominou, candidatos com orçamentos mais elevados não conseguiram se eleger para a Câmara dos Deputados.

Três candidaturas que arrecadaram quase no limite de gastos para deputado federal acabaram derrotadas: as de Ana Paula Junqueira (PP-MG), Maria Helena Rodrigues (MDB-RR) e José Maia Filho (PP-PI), que informaram arrecadação de pouco menos de R$ 2,5 milhões, teto estabelecido pela Justiça Eleitoral. Maria Helena tentava a reeleição.

AnuncianteCirco Mágico

As informações de receitas e despesas ainda podem ser atualizadas pelos partidos.Em 2014, as 30 candidaturas que mais arrecadaram conseguiram se eleger para a Câmara.

A onda Jair Bolsonaro, que impulsionou 52 candidatos do PSL à Câmara, deve contribuir para reduzir a média de gastos dos eleitos.

As candidaturas de aliados do presidenciável em geral possuíam orçamento muito mais limitado do que as lançadas por políticos conhecidos dos partidos tradicionais. O PSL tinha, por exemplo, direito a R$ 9,2 milhões do fundo eleitoral, ante R$ 230,9 milhões do MDB.

A maioria dos deputados federais eleitos do partido da família Bolsonaro declarou até agora receitas de menos de R$ 100 mil na eleição. A média parcial de orçamento de campanha é de apenas R$ 151 mil –um dos eleitos pelo partido até agora ainda não informou suas contas.

Já os eleitos do MDB declararam até agora arrecadação média de R$ 1,4 milhão.

Campeão de votos no Rio, com 345 mil sufrágios, Hélio Barbosa Lopes, teve arrecadação de apenas R$ 45 mil.

Em comparação, Cristiane Brasil, que é filha do presidente do PTB nacional, Roberto Jefferson, levantou R$ 2,3 milhões e fez somente 10 mil votos no estado.

A exceção no PSL foi a candidatura do fundador e antigo “dono” do partido, Luciano Bivar, que se elegeu em Pernambuco tendo recebido R$ 1,8 milhão da direção nacional da legenda.

A campanha a presidente de Bolsonaro vem sendo de poucos recursos –obteve R$ 1,93 milhão ante R$ 49,7 milhões da chapa do PT, somando as candidaturas de Lula e de Fernando Haddad.

Em 2014, a média de gastos dos eleitos à Câmara foi de cerca de R$ 1,5 milhão –o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) foi um dos líderes de arrecadação, com R$ 6,8 milhões.

Como os candidatos ainda podem atualizar seus balanços junto à Justiça Eleitoral, o valor médio gasto neste ano ainda não pode ser auferido.

Em 2015, o Supremo Tribunal Federal proibiu a doação eleitorais de empresas e, no ano passado, o Congresso instituiu um fundo público bilionário para bancar os gastos dos partidos.

Entre as 50 candidaturas a deputado federal com orçamento mais elevado neste ano até agora, 20 foram derrotadas, como a da ex-governadora do Rio Grande do Sul Yeda Crusius (PSDB) e de Osmar Serraglio (MDB-PR), ex-ministro do governo Michel Temer.

Na lista de 50 campanhas mais caras, havia 24 candidatas. As direções partidárias adotaram a estratégia de destinar mais dinheiro a mulheres já conhecidas na política para cumprir a norma que obrigava os partidos a repassar 30% dos recursos do fundo eleitoral a candidatas.

A eleição para a Câmara teve a mais alta renovação registrada desde 1998 e contrariou previsões de que o financiamento de campanha por meio da distribuição do fundo eleitoral impediria a vitória de iniciantes.

Apesar de os partidos terem privilegiado no repasse de recursos os políticos com mandato, 47,4% dos deputados que tomarão posse em 2019 nunca haviam ocupado esse cargo.

O barateamento forçado das candidaturas dos eleitos pode ter um vínculo com a forte influência das redes sociais e do WhatsApp sobre essas campanhas.

A professora da UnB (Universidade de Brasília) Débora Messenberg, que pesquisa sociologia política, diz que os resultados indicam que a campanha via televisão, que muitos analistas diziam que ainda era decisiva, “não é mais, para o bem e para o mal”.

“A campanha foi muito decidida pelo WhatsApp, e pela falta de controle sobre o WhatsApp. O que seria uma democratização da informação é uma expansão da desinformação política.” Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

DF

Crianças ficam penduradas em brinquedo de Parque em Brasília; veja vídeo

Publicado

em

Mixer, brinquedo que funciona desde 2015 no parque — Foto: Nova Nicolândia/Divulgação

Uma falha em um brinquedo conhecido como “mixer” deixou mais de 10 crianças presas na tarde desta sexta-feira (12) em um parque de diversões no centro de Brasília. Funcionários e outros usuários precisaram aparar as vítimas que estavam penduras a cerca de 4 metros de altura. Não houve registro de feridos.

Quem participou do resgate disse ao G1 que foram “mais de cinco minutos de desespero”. Em uma das gravações, funcionários da manutenção usam uma escada para retirar as pessoas do local (veja vídeo acima).

AnuncianteCirco Mágico

A administração do parque nova Nicolândia conversou com a reportagem e disse que o brinquedo passou por manutenção no dia anterior. O diretor Marco Antônio de Souza afirmou que pensa em desativar o equipamento, adquirido em 2015 pelo parque.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

RIO DE JANEIRO

Motorista pára ônibus, resgata cão que seria atropelado e é aplaudido

Publicado

em

Sílvio Gomes com o Olímpicus - Fotos: reprodução/Twitter

Um motorista de ônibus do Rio de Janeiro foi aplaudido pelos passageiros por fazer uma boa ação.

Em uma das viagens que fez pelo BRT nesta quinta-feira, 11, Sílvio Gomes viu um cachorro assustado, deitado na vala na pista exclusiva da via Transolímpica, no trecho entre as estações Magalhães Bastos e Padre João Cribinn.

AnuncianteCirco Mágico

Quando voltou e passou pelo mesmo local, ele viu o cãozinho novamente e não teve dúvida. Parou o ônibus, pegou uma corrente, foi até o animal e levou o cachorro para dentro do BRT. Ele foi aplaudido pelos passageiros, que fizeram imagens da boa ação e postaram nas redes sociais.. (video abaixo)

A história correu rápido. Quando chegou em casa, o motorista levou uma bronca da mulher: “por que você não trouxe o cachorro pra casa?”

Sílvio tinha levado o bichinho para receber cuidados médicos, mas no feriado desta sexta, 12, ele teve uma surpresa.

O pessoal do Planeta Petshop deu banho, alimentou e doou o cachorro para Sílvio, ao vivo, durante o programa Bom Dia Rio, da TV Globo. Ele se emocionou e não conseguiu mais falar durante a reportagem.

Mais que isso: os donos do petshop doaram 1 ano de ração para o cãozinho, que agora tem nome.

Silvio disse que ele vai se chamar Olímpicus, devido ao local onde foi encontrado, a Transolímpica.

As imagens da boa ação foram postadas no Twitter por Marcos Cunha, um dos passageiros do BRT.

Em menos de 48 horas elas foram vistas quase 1 milhão de vezes, tiveram mais de 65 mil curtidas e foram compartilhadas por 27 mil pessoas.

Marcos escreveu:

“Sim! Eu acredito no ser humano…. Ao final, todos viraram companheiros de viagem”.

Veja:

Sim! Eu acredito no ser humano.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

novo sistema

Boletos vencidos a partir de R$ 100 podem ser pagos em qualquer banco

Publicado

em

Cristina Indio do Brasil/Arquivo Agência Brasil

A partir deste sábado (13), os boletos com valor a partir de R$ 100, mesmo vencidos, poderão ser pagos em qualquer banco.

A medida faz parte da nova plataforma de cobrança da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que começou a ser implementada em julho do ano passado.

AnuncianteCirco Mágico

Para serem aceitos pela rede bancária, em qualquer canal de atendimento, os dados do boleto precisam estar registrados na plataforma.

Segundo a Febraban, os clientes que tiverem boletos não registrados na Nova Plataforma, rejeitados pelos bancos, devem procurar o beneficiário, que é o emissor do boleto, para quitar o débito.

O novo sistema permite o pagamento em qualquer banco, independentemente do canal de atendimento usado pelo consumidor, inclusive após o vencimento, sem risco de erros nos cálculos de multas e encargos. Além disso, segundo a Febraban, o sistema traz mais segurança para a compensação de boletos, identificando tentativas de fraude, e evita o pagamento, por engano, de algum boleto já pago.

As mudanças estão sendo feitas de forma escalonada, tendo sido iniciada com a permissão para quitação de boletos acima de R$ 50 mil. Entretanto, em junho deste ano, após dificuldades de clientes para pagar boletos, a Febraban alterou o cronograma.

A previsão inicial era que a partir de 21 de julho deste ano fossem incluídos os boletos com valores a partir de R$ 0,01. A expectativa era de que em 22 de setembro o processo tivesse sido concluído, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações, entre outros.

Pelo novo cronograma, os boletos a partir de R$ 0,01 serão incluídos a partir do próximo dia 27 e os boletos de cartões de crédito, doações, entre outros, no dia 10 de novembro de 2018.

Segundo a Febraban, apesar de o sistema passar a processar documentos de menor valor, com volume maior, os bancos não preveem dificuldade na realização dos pagamentos, com base nos testes feitos nas fases anteriores.

Com a inclusão e processamento desses boletos no sistema, a Nova Plataforma terá incorporado cerca de 3 bilhões de documentos – aproximadamente 75% do total emitido anualmente no país. Nas próximas fases, serão incorporados 1 bilhão de boletos de pagamento.

A Febraban lembra que a nova plataforma é resultado de uma exigência do Banco Central, com incorporação de dados obrigatórios, como CPF ou CNPJ do emissor, data de vencimento, valor, além do nome e número do CPF ou CNPJ do pagador.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS

error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998