Fique Conectado

PREVISÃO

Meirelles diz que juros podem cair mais

"A taxa Selic já está no nível mais baixo da história e pode cair mais uma vez. Vamos aguardar a decisão do Banco Central", afirmou o ministro

Publicado

em

Anunciante

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, considerou que o Banco Central pode cortar novamente a Selic na próxima reunião do Conselho de Política Monetária (Copom). Atualmente, a taxa básica de juros está em 6,75% ao ano. “A taxa Selic já está no nível mais baixo da história e pode cair mais uma vez. Vamos aguardar a decisão do Banco Central”, afirmou o ministro.

Pesquisa preliminar do Projeções Broadcast mostrou que boa parte do mercado (33 de 36 casas ouvidas) acredita que o Copom irá reduzir o juro de 6,75% para 6,50% em março. Já três entrevistados avaliam que a taxa permanecerá em 6,75%.

AnuncianteClínica Fornari

Para 26 instituições, a queda esperada para este mês deve ser a última do ciclo, enquanto 5 casas preveem que o BC poderá dar continuidade ao processo de flexibilização monetária.

Meirelles voltou a destacar a queda da inflação e retomada do crescimento da economia brasileira após a recessão. No ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1% e a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 2,95%.

“O Brasil hoje cresce muito e agricultura é setor que ajuda bastante. A agricultura foi o primeiro setor que deu impulso à retomada com a safra anterior e tenho certeza que a próxima também será positiva”, avaliou, em discurso no evento Gazeta Agro.

Ele apontou dados específicos sobre a produção de alimentos no Mato Grosso. “A indústria e os serviços também já estão crescendo novamente”, completou.

Meirelles apontou que o consumo do governo caiu em 2017. Segundo ele, a redução no consumo público amplia o espaço para os investimentos. “O governo está fazendo o dever de casa. Ao contrário do governo anterior, estamos fazendo uma administração fiscal rigorosa, permitindo que o País cresça”, acrescentou.

O ministro ainda mostrou dados sobre a população ocupada no País e voltou a projetar que o Brasil criará 2,5 milhões de empregos em 2018. “Chegaremos ao fim do ano com mais brasileiros empregados do que em qualquer momento da história do País”, prometeu. Com informações do Estadão Conteúdo.

Deixe sua opinião

NOTICIAS AO MINUTO
Anunciante

Nova Pesquisa

Datafolha: Bolsonaro tem 28% das intenções de voto; Haddad tem 16% e Ciro 13%

Publicado

em

Nova pesquisa do instituto Datafolha, divulgada na madrugada desta quinta-feira (20), mostra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 28% das intenções de voto na disputa presidencial.

Fernando Haddad (PT) tem 16% e Ciro Gomes (PDT) aparece com 13%. Geraldo Alckmin (PSDB) obteve 9% dos votos e Marina Silva (Rede) é a candidata de 7% dos entrevistados.

AnuncianteClínica Fornari

Alvaro Dias (Podemos) e João Amoêdo (Novo) marcam, cada um, 3% das intenções de voto. Henrique Meirelles (MDB) tem 2%.

Estão empatados Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU), com 1% cada. João Goulart Filho (PPL), Cabo Daciolo (Patriota) e Eymael (DC) não pontuaram.

Os votos brancos ou nulos registraram 12%; e 5% não sabem ou não responderam.

O levantamento ouviu 8.601 eleitores entre 18 e 19 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa foi contratada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S. Paulo e registrada na Justiça Eleitoral.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

saúde

Inpi aceita patente de remédio para hepatite C

Publicado

em

A empresa farmacêutica norte-americana Gilead obteve decisão favorável relacionada a um pedido de patente do medicamento Sofosbuvir no Brasil. A solicitação foi deferida pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi).

O remédio vem revolucionando o tratamento da hepatite C, contribuindo para a cura de muitos pacientes e reduzindo a demanda pelo transplante de fígado.

AnuncianteClínica Fornari

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), através do Instituto Farmanguinhos, anunciou em abril ter firmado parcerias para fabricar uma versão genérica nacional do remédio que seria adotada no Sistema Único de Saúde (SUS). Na ocasião, a expectativa era de que ela estivesse disponível até o final deste ano, ajudando assim a erradicação a hepatite C no país. Porém, com a decisão do Inpi, a Gilead terá exclusividade para a produção do mediamento e monopólio da sua comercialização no Brasil.

Em nota, a Fiocruz afirmou que recebeu com surpresa a notícia do deferimento do pedido de patente e que não houve exposição das justificativas técnicas. A fundação avalia que o pedido não apresenta os requisitos de novidade e atividade inventiva. Também não teria sido apresentada a descrição de invenção de modo que um técnico consiga reproduzir o medicamento reivindicado. Tal descrição é um dos critérios que devem ser observados para a concessão de patente.

Repercussão

O Ministério da Saúde informou que, oficialmente, ainda não teve ciência da decisão do Inpi. Pelos cálculos da pasta, o preço de cada tratamento de hepatite C, que dura 84 dias, ficaria em pouco mais de R$ 5 mil usando o medicamento nacional. Comprando o remédio dos laboratórios privados, o custo por paciente já chegou ao patamar de US$ 84 mil.

A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras também emitiu nota lamentando a decisão do Inpi e avaliou que ela limita o acesso à cura da hepatite C. Segundo a entidade, há quase 700 mil pessoas com a doença no Brasil e havia argumentos sólidos, baseados no interesse público, para negar a concessão da patente.

“Atualmente, a Gilead cobra cerca de US$ 4,2 mil por tratamento contra a doença. Em contraste, nos projetos em 13 países onde trata a doença, a Médicos Sem Fronteiras adquire medicamentos genéricos da mesma qualidade dos remédios de marca ao preço de US$ 120”, registra o texto.

Nos cálculos realizados pela organização humanitária, a adoção da versão nacional do remédio pelo SUS levaria a uma economia superior a R$1 bilhão por ano. Ela defende que o governo federal avance no licenciamento compulsório do Sofosbuvir, permitindo a produção por outras empresas e barateando o remédio.

A Rede Brasileira Pela Integração dos Povos, através do seu Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual, anunciou que vai entrar com recursos contra a patente. A rede é composta por diversas organizações, entre elas a Médicos Sem Fronteiras e a Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (Abia).

“Esse é um medicamento que salva vidas e não deve haver um monopólio sobre ele. Não podemos ficar nas mãos da ganância de uma transnacional que irá fixar altos preços. O Inpe fez uma escolha e colocou em risco um projeto de eliminação da hepatite C no Brasil”, disse Pedro Villardi, coordenador do grupo de trabalho.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Encontro

Na ACIF, Pinato conversa com empresários

Publicado

em

Em Fernandópolis, Pinato conversa com empresários e reitera parceria

A convite da Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis, o deputado federal Fausto Pinato (PP), candidato à reeleição, participou nesta segunda-feira, 17, de um bate-papo com empresários e comerciantes.

Pinato aproveitou para reiterar apoio às pautas da entidade, como a ampliação da oferta de crédito, regras mais simples e atraentes para investidores além da abertura de projetos para alavancar a movimentação econômica da cidade.

AnuncianteClínica Fornari

Na presença do presidente da entidade, Mateus Morales, Pinato fez um panorama de seu mandato na Câmara Federal. “A trajetória do mandato nos dá a certeza de que estamos seguindo um caminho seguro, firme, para o fortalecimento das instituições, das pessoas e da Justiça”, afiançou.

Pinato defendeu um novo pacto federativo capaz de fazer justiça aos municípios. “Hoje, a grande maioria dos prefeitos estão engessados pela folha de pagamento. Reza para dar conta de pagar os funcionários todo mês”, disse ao falar que, se reeleito, vai continuar lutando para que haja uma reforma tributária justa para os empresários e paras consumidores. “O nosso sistema tributário precisa de uma revisão. Precisa ser reestruturado com firmeza”, ponderou.

As reformas essenciais, com a da reforma Politica e a Reforma da Previdência foram pontuadas por Pinato. “Há uma agenda de reformas do Brasil que precisa acontecer. Não tem como negar isso. A gente não pode gastar mais do que pode pagar. O Brasil precisa de equilíbrio fiscal, mas qualquer decisão precisa ser amplamente discutida com a sociedade, antes”, pontuou.

Para Pinato, não há crescimento sólido que não passe pela Educação. “Demos um grande salto de modernidade no Brasil com a aprovação da Reforma do Ensino Médio que vai seguir, agora, padrões internacionais. Apresentamos mais de 10 projetos de Lei ligados a Educação, entre eles, o que reconhece o desempenho das escolas e o que dá incentivo fiscal para compra de ar condicionados”, pontuou.

Fernandópolis é prioridade

Pinato também falou do projeto de infraestrutura que está sendo construído no Distrito Industrial VI, conquista de seu mandato junto ao Governo do Estado. Ele enumerou a estrutura do local, como pavimentação asfáltica, guias e sarjetas, galerias de águas pluviais, redes de coleta de esgoto e distribuição de água. O investimento é de R$1.417.064,35 e com prazo de execução de seis meses.

Na área da saúde, Pinato pontuou item por item, desde a luta pela manutenção da UPA de Fernandópolis ao não fechamento do Hospital de Câncer. Ele destacou a vinda de importantes ministros do governo federal a Fernandopolis e a liberação de recursos que ajudaram a Santa Casa a manter-se de portas abertas e a reestruturação do SAMU.

“Hoje eu tenho muito orgulho em dizer que fui o deputado que mais direcionou verbas para a saúde de nossa região. Foram mais de R$36milhões em recursos, 150 ambulâncias e mais de 40 hospitais beneficiados diretamente com o nosso mandato. Alem dos mais de 30 projetos ligados a área da saúde que tramitam na Câmara”, enumerou.

Pinato também lembrou da luta que travou para evitar o fechamento da Unicastelo – hoje Universidade Brasil – e do crescimento de seus esforços para ampliar a oferta de vagas na instituição, sobretudo para o curso de Medicina.

Entre centenas de Projeto de Lei que apresentou, Pinato deu destaque para as propostas de sua autoria que versam para a área da segurança, saúde e educação e garantiu que, se reeleito, vai continuar sua luta pela aprovação de projetos que valorizem a vida das pessoas.

Entre dezenas de empresários e representantes de entidades, participaram da reunião o prefeito André Pessuto, o vice-prefeito Gustavo Pinato e o presidente da Câmara, Etore Baroni.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

ENTREVISTA

‘Nem a pau, diz Ciro sobre apoio a Haddad em eventual 2º turno

Publicado

em

© REUTERS

O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, rebateu durante entrevista à rádio CBN nesta quarta-feira (19) a declaração do candidato Fernando Haddad (PT), dada no dia anterior à mesma emissora, de que tinha certeza que seria apoiado pelo pedetista no segundo turno das eleições.

“Nem a pau, Juvenal. Eu não cedo a instituto de pesquisa a minha responsabilidade com o meu país”, disse Ciro ao ser questionado se já pensa na possibilidade.

AnuncianteClínica Fornari

O candidato afirmou que a declaração de Haddad era uma “amostra de inexperiência e arrogância” do petista e seu partido. Ciro citou ainda a possibilidade de derrota do ex-prefeito de São Paulo para Jair Bolsonaro (PSL) em um eventual segundo turno, uma vez que a pesquisa Ibope divulgada nesta terça (18) mostra os dois candidatos empatados com 40 pontos percentuais nesse cenário.

“Ele está se precipitando como uma demonstração a mais de inexperiência e arrogância. A ‘petezada’ costuma cultivar uma certa arrogância, uma certa superioridade, que não sei de onde tiraram isso. Ele já se acha vitorioso, já se acha no segundo turno e sabe que é o candidato marcado para perder”, completou.

O pedetista também disse que é “diferente em tudo” de Haddad. Ele afirmou que o candidato petista continuará atendendo aos interesses do mercado e que está fazendo uma nova versão da “Carta ao povo brasileiro”, a exemplo de Lula, mas “agora em parágrafos”.

ADOÇÃO E ABORTO

Na entrevista, Ciro se recusou a responder de forma breve se é contra ou a favor da adoção de crianças por casais homossexuais e da legalização do aborto em qualquer situação.

No chamado “pinga-fogo”, rodada com perguntas e respostas objetivas que encerra a entrevista, o pedetista se estendeu ao explicar porque é contra o financiamento público de campanha e da prisão após condenação em segunda instância.

O candidato começou a responder sobre adoção de crianças por homossexuais dizendo “acho que toda forma de amor é…”, quando foi interrompido pelo locutor, que lhe pediu para responder apenas com “sim ou não” ou não haveria tempo suficiente. O pedetista, então, disse “não quero responder”, mesma resposta dada ao ser questionado sobre aborto.

Ciro se declarou contra a taxação de igrejas, a intervenção militar no Rio de Janeiro e foro especial para políticos. Ele também disse vai reduzir o número de ministérios se eleito. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS

error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998