Fique Conectado

interior de SP

Advogados são presos suspeitos de fraudes de R$ 100 milhões

Polícia Civil diz que advogados ingressavam com ações em nome de falsos correntistas, exigindo expurgos inflacionários do 'Plano Verão'.

Publicado

em

Documentos foram apreendidos em escritórios e nas residências dos investigados pela Operação Têmis em Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/EPTV)
Anunciante

Cinco pessoas foram presas nesta quinta-feira (11) durante a Operação Têmis, que investiga advogados de Ribeirão Preto (SP) suspeitos de fraudes judiciais. A Polícia Civil estima que o golpe tenha causado prejuízo de R$ 100 milhões a instituições bancárias.

Ao todo, sete mandados de prisão preventiva e 20 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça. A operação foi realizada pela Delegacia Seccional de Ribeirão, em conjunto com o Ministério Público e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Foram presos:

  • Renato Rosin Vidal, advogado do escritório “Lodoli, Caropreso, Bazo & Vidal Sociedade”
  • Klaus Philipp Lodoli, advogado do escritório “Lodoli, Caropreso, Bazo & Vidal Sociedade”
  • Ângelo Luiz Feijó Bazo, advogado do escritório “Lodoli, Caropreso, Bazo & Vidal Sociedade”
  • Ramzy Khuri da Silveira, proprietário da associação “Pode Mais, Limpe Seu Nome”
  • Luiz Felipe Naves Lima, funcionário da associação “Eu vou trabalhar”

Os suspeitos foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória. Dois mandados de prisão não foram cumpridos. São considerados foragidos:

  • Gustavo Caropreso Soares de Oliveira, advogado do escritório “Lodoli, Caropreso, Bazo & Vidal Sociedade”
  • Ruy Rodrigues Neto, proprietário da associação “Eu vou Trabalhar”

Em nota, a Polícia Civil informou que, após um ano de investigações, identificou uma organização criminosa – composta por advogados – que praticava fraudes processuais, exigindo na Justiça supostas diferenças de expurgos inflacionários decorrentes dos planos Collor, Verão e Bresser.

Filipe Fornari

Os beneficiários seriam correntistas do extinto banco Nossa Caixa, incorporado pelo Banco do Brasil. Entretanto, a investigação identificou que os autores dos processos – todos estão sob sigilo de Justiça – têm nomes comuns, inclusive homônimos.

“Verificou-se que os supostos autores das ações possuem nomes comuns, com diversos homônimos, não guardando vínculo pessoal ou profissional com o domicílio das contas, ou as comarcas onde foram distribuídas as ações e, na verdade, apurou-se que não eram os verdadeiros correntistas”, diz o comunicado.

Escritório de advocacia é alvo da Operação Têmis em Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/EPTV)

O esquema

Segundo o Ministério Público, os suspeitos conseguiam ilegalmente o cadastro de clientes de bancos e entravam com ações judiciais sem que as pessoas soubessem que os nomes delas eram usados. A suspeita de que funcionários das instituições financeiras estejam envolvidos na fraude não está descartada.

Com a relação de correntistas em mãos, assim como os números das contas bancárias e os respectivos valores depositados na década de 1990, os investigados saíam à procura de homônimos residentes em Ribeirão e região para usá-los nas fraudes.

As vítimas assinavam procurações em meio a outros documentos, sem nenhum conhecimento. Inadimplente, a maioria dessas pessoas era abordada pelos advogados ou por intermediários deles, com a promessa de conseguirem quitar as dívidas.

O MP informou que os suspeitos também usavam uma associação para atrair inadimplementes, prometendo “limpar os nomes sujos”. A empresa, localizada na Avenida Costábile Romano, ficava a 150 metros de dois escritórios de advocacia que também são alvos da Operação Têmis.

Investigação

Ainda de acordo com a polícia, o caso passou a ser investigado após a identificação de inúmeras ações judiciais cíveis para cumprimento de sentença em diversas comarcas paulistas, sempre com o mesmo teor: pagamento de diferenças de expurgos inflacionários do “Plano Verão”.

“Com isso, a fraude processual baseada em quebra de sigilo bancário e subsequente captação de clientela induziu a erro o poder judiciário e poderia ocasionar um prejuízo estimado aos bancos em torno de cem milhões de reais”, diz a nota.

A operação foi batizada de Têmis, divindade grega que representa a Justiça e é representada com uma balança equilibrada na mão esquerda e uma espada, na direita. Além disso, Têmis carrega as tábuas da lei e tem os olhos vendados, o que significa que é imparcial.

Deixe sua opinião

g1
Anunciante

estupro de vulnerável

Adolescente acusado de estuprar garota de 13 anos é apreendido em Araçatuba

Publicado

em

Adolescente sendo encaminhado para audiência na Vara da Infância e Juventude, no fórum de Araçatuba. (Sílvio Romeiro/Regional Press)

Um estudante de 17 anos foi encaminhado à Central de flagrantes na manhã desta quinta-feira (19) acusado de estuprar uma adolescente de 13 anos no bairro Jardim das Oliveiras, em Araçatuba.

Segundo informações contidas em boletim de ocorrência, policiais militares foram acionados a comparecer na Rua Emília Santos, no bairro Jardim TV, onde populares estariam agredindo um adolescente na via pública.

Ao chegar no local, os policiais encontraram o menor sentado na calçada com escoriações pelo corpo. Indagado sobre o que havia acontecido, a princípio ele disse que tinha sido vítima de roubo, porém em seguida mudou a versão dos fatos e disse que havia agarrado uma garota a força no Jardim das Oliveiras.

Os policiais foram até a casa da vítima e encontraram a adolescente machucada, com marcas visíveis de esganadura no pescoço.

Filipe Fornari

Questionada sobre o que teria acontecido, a adolescente informou que o acusado é seu conhecido e na manhã desta quinta-feira adentrou sua residência sem autorização.

Disse ainda que o mesmo teria lhe pedido em namoro e ao negar, ele agarrou seu pescoço, desferiu tapas em seu rosto e começou a passar suas mãos nas partes intimas da adolescente.

Assustada, a vítima começou a gritar por socorro e a empurrar o agressor, fazendo com que ele fugisse do local.

Moradores próximos ao ver o desespero da garota, passaram a perseguir o adolescente e a agredi-lo até a chegada dos policiais.

O acusado foi encaminhado ao plantão policial e autuado em flagrante por ato infracional de estupro de vulnerável. Ele foi apresentado a Vara da Infância e Juventude, onde o juiz determinou sua apreensão na Fundação Casa.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Tráfico

Homem é preso pela Força Tática com maconha, em Araçatuba

Publicado

em

Policiais militares da Força Tática prenderam um homem por tráfico de drogas no bairro Dona Amélia, em Araçatuba. O flagrante ocorreu nesta quinta-feira (19) na rua Etiene de Barros Bahia.

I.P.S.A.P. foi surpreendido com 32 porções de maconha, R$ 77 em dinheiro, uma balança de precisão e um celular.

MUNIÇÕES

Em outra ação da Força Tática, na quarta-feira (18), um homem foi preso no bairro Água Branca 2 com sete munições de calibre 380, duas munições de calibre 9 milímetros, cinco porções de maconha, dois pinos de cocaína, cinco rolos de papel filme usados para embalo de droga e R$ 160 em dinheiro.

A prisão do acusado, identificado pelas iniciais T.R.R.F., ocorreu na rua Claudio Dionísio Sanches de Sousa.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

tráfico de drogas

Força Tática apreende 705 pinos de cocaína no bairro Águas Claras, em Araçatuba

Publicado

em

Drogas e objetos para embalar os entorpecentes apreendidos no bairro Águas Claras.

Policiais militares da Rocam (Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas) prenderam, na tarde desta quinta-feira (19), um homem identificado como T.F.F.S., de 31 anos, acusado de tráfico de drogas no bairro Águas Claras, em Araçatuba.

Os PMs, que integram a equipe de Força Tática da Polícia Militar, abordaram o acusado na frente de sua residência, na rua José Maurício de Souza. Em revista pessoal, nada de ilegal foi localizado.

(Sílvio Romeiro/Regional Press)

Com a autorização do abordado, os policiais realizaram buscas no interior do imóvel e localizaram dentro de um veículo Verona, estacionado na garagem, 4 pinos de cocaína.

Em vistoria nos fundos do quintal, os militares encontraram dentro de um cano de PVC mais 701 pinos com cocaína divididos em 26 kits.

Filipe Fornari

Além da droga, foi encontrada uma balança de precisão, além de dois rádios comunicadores, dois rolos de plástico filme, embalagens plásticas para fracionar a droga e a quantia de R$ 290 em dinheiro.

Diante do flagrante, o acusado recebeu voz de prisão, foi  encaminhado ao plantão policial e autuado pelo crime de tráfico de drogas.

(Sílvio Romeiro/Regional Press)

Deixe sua opinião

Continue Lendo

mato grosso

‘Homem-Aranha’ escala 10 andares de prédio e invade 6 apartamentos em Cuiabá

Publicado

em

Segundo os moradores, seis apartamentos foram invadidos (Foto: Arquivo Pessoal)

Um homem escalou 10 andares em um prédio na madrugada desta quinta-feira (19), no Bairro Consil, em Cuiabá e invadiu seis apartamentos. Segundo os moradores, ele furtou dinheiro e alguns objetos das vítimas. O ladrão, que ainda não foi identificado pela polícia, foi chamado de ‘Homem-Aranha’ pelos moradores.

De acordo com Paulo Rocha, morador do prédio, o homem usou alguns tijolos para pular o muro do prédio e, em seguida, começou a escalar os andares.

“Ele furtou celulares, dinheiro, roupas e outros objetos que estavam nos apartamentos. Ninguém foi abordado, só soubemos do ocorrido pela manhã”, contou.

Segundo Paulo, no momento da invasão, os moradores do prédio estavam dormindo e ninguém conseguiu ver a movimentação do suspeito.

Filipe Fornari

Além dos objetos levados, o morador disse que o ladrão deixou um cachimbo com entorpecente no apartamento.

De acordo com o síndico do prédio, que não quis se identificar, no momento da fuga, o ladrão deixou cair alguns objetos, que foram devolvidos aos donos logo pela manhã.

“Ainda não identificamos o suspeito. A região é perigosa, tem dois antigos comércios abandonados e alguns moradores de rua moram lá. O local tem pouca iluminação”, disse.

Segundo o síndico, as câmeras de segurança flagraram o suspeito vigiando o prédio pouco tempo antes de agir. O vídeo será encaminhado à polícia.

A Polícia Civil informou que a Delegacia de Roubos e Furtos (Derf) deve investigar o caso.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS