Fique Conectado

Superliga

Tifanny fecha com Bauru e será 1ª transexual da Superliga de vôlei

Segundo o COI, atleta não tem vantagem física ao jogar contra mulheres

Publicado

em

Quase dez meses depois de fazer história e se tornar a primeira atleta transexual brasileira a conseguir autorização da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) para atuar entre as mulheres, Tifanny Abreu quebrou outro tabu. Na tarde desta terça-feira (5), o Vôlei Bauru anunciou que contará com a atacante para a edição 2017/2018 da Superliga feminina de vôlei.

De acordo com o clube, Tifanny ainda não tem data prevista para estrear. Depois de jogar na Série A2 da Itália na última temporada, pelo Golem Software Palmi, ela voltou ao Brasil para passar férias ao lado dos familiares. A goiana, então, fechou um acordo para usar as instalações do time do interior paulista a fim de se recuperar de uma cirurgia na mão esquerda.

A contratação, a princípio, foi descartada, pois Tifanny tinha planos de voltar a viver na Europa, onde já se sentia plenamente adaptada -além da Itália, ela chegou a atuar em campeonatos masculinos de Portugal, Espanha, França, Holanda e Bélgica.

Porém, a boa receptividade que teve em Bauru, não só das companheiras de equipe como da torcida, a fizeram mudar de ideia. Outro fator que pesou na decisão de permanecer no país foi a proximidade com os familiares.

VANTAGEM FÍSICA?

A confirmação de que Tifanny poderá atuar no voleibol brasileiro reacende uma polêmica: por ter nascido homem, ela teria vantagem física ao jogar contra mulheres?

Segundo o COI (Comitê Olímpico Internacional), a resposta é não. Desde janeiro de 2016, a entidade que controla os esportes olímpicos no mundo autoriza atletas trans a participarem de disputas femininas, desde sejam cumpridas determinadas regras, como fazer tratamento hormonal para diminuir a quantidade de testosterona na corrente sanguínea, caso de Tifanny.

Com três vitórias em dez jogos, o Vôlei Bauru ocupa atualmente a nona posição da Superliga feminina. O time entra em quadra novamente no domingo (10), às 13 horas (de Brasília), para encarar o São Cristóvão Saúde/São Caetano em casa. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Fonte:

ESPORTE TRANSAÇÃO

Cruzeiro revela proposta do Corinthians por Thiago Neves e Sassá

Publicado

em

© Washington Alves / Reuters

O Cruzeiro recebeu uma procura do Corinthians para tentar tirar o meia Thiago Neves de Minas Gerais. De acordo com Itair Machado, vice-presidente do clube celeste, o time paulista ofereceu Clayson e Marquinhos Gabriel em troca do jogador celeste. Os atletas não agradaram a diretoria da Raposa, que foi direta sobre o que será preciso para levar o jogador: pagar a multa de 10 milhões de dólares (R$38,6 milhões).

“A única coisa de oficial aconteceu agora há pouco. O diretor do Corinthians (Alessandro, gerente de futebol) me ligou e oficializou que quer o Thiago Neves. Falei que ele pode pagar a multa. Quando existe uma multa, não depende do clube. Um outro clube vem, paga a multa e vai embora”, iniciou, em entrevista à Rádio Itatiaia.

“Os jogadores que ele citou para o Cruzeiro não nos interessa. Ele ofereceu o mesmo jogador que está sendo oferecido para o nosso rival”, falou, se referindo a Clayson, antes de concluir dizendo que o outro atleta oferecido foi Marquinhos Gabriel, hoje emprestado ao Al-Nasr, dos Emirados Árabes.

Além do Cruzeiro, o nome de Clayson também está envolvido em uma possível negociação com o Atlético-MG. O time paulista pretende levar o atacante Luan e colocou seu jogador como possível moeda de troca.

SASSÁ

Itair também revelou que recebeu um contato para levar o atacante Sassá para o Corinthians. Apesar de não ter a titularidade garantida no Cruzeiro, o diretor afirmou que o camisa 99 faz parte dos planos para 2019. Segundo ele, a proposta também envolveu o meia Clayson, além de R$ 10 milhões.

“O procurador dele me ligou hoje (quarta-feira), o Fred (Frederico Pena), da Traffic. Disse que estava com o presidente do Corinthians e que ofereceu R$10 milhões ao Cruzeiro mais o Clayson na troca. Eu falei com ele que, nesse momento, temos a intenção de ganhar a Libertadores, e achamos R$10 milhões pouco pelo nível que o Sassá joga. Falei não imediatamente”, acrescentou.

GRÊMIO

Itair também comentou sobre o interesse do Grêmio por Thiago Neves. A proposta salarial do Tricolor agradou o jogador, mas o clube gaúcho ainda precisa se acertar com o Cruzeiro. O diretor celeste revelou que também foi procurado para discutir uma possível transferência do seu meia, mas que alegou que pediu, mas não ainda não recebeu a lista de atletas gremistas que poderiam ser envolvidos na negociação.

“O André Zanotta (executivo de futebol) me ligou e falou que quer o Thiago. Falei o valor da multa e pedi para mandar a lista de atletas que ele tem. Ele ficou de me mandar, mas não mandou ainda. O Cruzeiro quer ficar com o Thiago Neves. Mas temos que ver se vai vir proposta e quais jogadores poderiam entrar na troca, que é o que o Cruzeiro está aguardando”, disse. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Investigação

Jogador do São Paulo é acusado de agredir garota; polícia vai apurar

Publicado

em

atacante Everton, do São Paulo, é acusado de agredir uma jovem de 21 anos. O caso teria ocorrido na madrugada desta terça-feira (11), durante a festa de aniversário de 30 anos do jogador, realizada na casa de um amigo dele, na cidade de Nortelândia, que fica a cerca de 230 km de Cuiabá.

De acordo com o Globoesporte.com, a menina se chama Joanna Darc Campos Dourado. Em Boletim de Ocorrência e em publicação (já apagada) no Facebook, ela afirma ter recebido um “murro” de Everton, que nega a agressão.

O pai do atleta, Evandro Campos, também registrou um B.O., mas por invasão de domicílio..

Ainda segundo o “Globo Esporte”, Joanna Darc teria ido a festa de Everton com mais dois amigos, sem serem convidados. O trio teria sido expulso do local e, de acordo com Joanna, foi neste momento que o jogador são-paulino a agrediu. Ela conta ainda que o irmão do atleta, as esposas e um segurança também participaram das alegadas agressões.

Em nota, a assessoria de Everton nega violência.

“O jogador Everton Cardoso, do São Paulo, nega qualquer incidente envolvendo o seu nome. O que houve foi uma invasão da casa onde ele estava com a família na cidade de Nortelândia, no Mato Grosso, e os invasores foram convidados a se retirar pelo segurança do jogador. O pai do atleta, Evandro Campos, registrou essa invasão na polícia local. O caso está na justiça e o jogador e sua família esperam que os invasores sejam punidos”, diz a nota enviada ao Globoesporte.com pela assessoria de Everton.

A Polícia Civil do Mato Grosso confirmou os registros dos dois Boletins de Ocorrência e disse que vai investigar o caso.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

CRUZADA

Senador Major Olímpio retoma luta para acabar com torcidas organizadas

Publicado

em

© Instagram/Arena Corinthians

Acabar com as torcidas organizadas do futebol brasileiro: este é o desejo do senador mais votado de São Paulo, Major Olímpio, que esteve no Allianz Parque na entrega da taça de campeão brasileiro ao Palmeiras. Eleito com 9 milhões de votos, Major Olímpio (PSL) pretende retomar projeto de lei de 2015, que pede a extinção destes grupos de torcedores no futebol.

“As organizadas se tornaram máquinas da morte e do tráfico”, disse, em entrevista ao Estado. Para o senador, as instituições esportivas se tornaram fachada para o crime organizado.

O texto da lei proíbe a criação de novas organizadas e pede a extinção das já existentes, alegando como justificativa a violência e o crescimento no número de brigas. Neste ano, foram 13 mortes comprovadas em decorrência de brigas e outras oito estão sob investigação, segundo pesquisa da Universidade Salgado de Oliveira (Universo-RJ), coordenada pelo sociólogo Maurício Murad.

Nos últimos cinco anos, o número de eventos violentos nas séries A, B e C do Campeonato Brasileiro aumentaram. Se comparado com 2014, os casos registrados subiram 81%. Já o número de mortes (oficializadas e sob investigação) saltaram para 19% em relação a 2017, quando foram registrados 17 óbitos.

“A presença de mais nomes ligados à segurança e às polícias pode facilitar a aprovação da lei”, acredita Olímpio. Segundo levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), a chamada “bancada da bala”, que é ligada à segurança pública, cresceu de 35 para 61 deputados na Câmara e contará com nove senadores a partir de 2019.

Murad avalia que a partir de 2010 houve uma infiltração de grupos ligados ao tráfico de drogas e de armas nas organizadas. No entanto, ele questiona a eficácia do projeto. “Quem acha que extinguir as torcidas vai diminuir a violência é quem não conhece a situação”, diz. Segundo ele, deveria haver um plano para reprimir esses grupos infiltrados, juntamente com medidas de caráter preventivo.

O projeto foi apresentado há três anos, quando Olímpio era deputado federal pelo PDT-SP e chegou a ser votado pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara. À época, o relator Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO) divulgou parecer negativo alegando que o projeto feria o artigo 5º da Constituição – direito à livre associação.

Para a professora de direito penal da FGV, Maíra Zapater, a torcida organizada se enquadra como parte do exercício do direito de reunião para fins pacíficos, previsto na Carta. “Considerar, de antemão, que a organizada não é uma reunião para fim pacífico fere esse direito constitucional.”

Um texto substitutivo pedindo a penalização individual aos envolvidos em brigas foi aprovado pelo deputado Gaguim e seguiu para a Comissão de Esporte (CESPO), mas ainda não chegou a ser discutido. Presidente do PSL, partido de Olímpio, Luciano Bivar admite não ter conhecimento sobre o projeto. Ele concorda, porém, que é necessário haver controle sobre os torcedores que brigam nos estádios. “Muitas delas (das torcidas uniformizadas) se articulam de tal maneira que ficam uma força maior até do que os próprios clubes”. Bivar foi eleito deputado federal por Pernambuco e é ex-presidente do Sport, que caiu para a Série B.

Olímpio disse que o projeto original veio após um pedido do próprio Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e da Polícia Militar (PM-SP) a fim de solucionar os problemas de violência no futebol. Procurados, o MP informou que não irá se manifestar sobre o caso e a PM não respondeu ao questionamento.

REAÇÃO – Membros de organizadas chegaram a fazer campanha contra a candidatura de Olímpio. A Mancha Alviverde, do Palmeiras, classificou o parlamentar como um “inimigo das organizadas” e divulgou nota em seu site pedindo aos associados que não votassem nele. “Já existe lei que regulamenta as torcidas, o Estatuto do Torcedor, então faça-se cumprir”, diz André Guerra, presidente da torcida. “Não tem como proibir a existência das torcidas. A realidade sempre encontra brecha para poder burlar a lei e se impor”, entende o sociólogo Murad.

Maior organizada do Corinthians, a Gaviões da Fiel também questiona a ação de Olímpio. “É preciso punir o indivíduo, o CPF, não o CNPJ. Quando um soldado da Polícia comete ato ilícito, ninguém pede a extinção da PM, até porque isso não resolve. Punem o indivíduo e essa mesma lógica tem de servir para as torcidas”, opina Jerry Xavier, da Gaviões.

Segundo Bernardo Buarque de Hollanda, pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a medida puniria torcidas predominantemente festivas, sem histórico de brigas, em detrimento de grupos violentos. “A medida do senador adota a postura e a solução mais cômoda para as autoridades: proíbem-se todos e tudo, sem apurar quem pratica atos violentos”. A punição individual seria uma medida mais eficaz para o especialista. “A Inglaterra só obteve êxito no combate ao hooliganismo quando passou a aplicar punições individualizadas e pesadas aos envolvidos em brigas.”

Com informações do Estadão Conteúdo.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Luto

Filho do jornalista Chico Lang morre ao cair de prédio

Publicado

em

filho do jornalista esportivo Chico Lang, Paulo Lang, de 23 anos, morreu na noite de domingo (09) após cair do sexto andar de um prédio localizado na Zona Oeste de São Paulo. O óbito foi caracterizado pelos Bombeiros como suicídio.

Via Instagram, Chico Lang comentou o ocorrido. “Meus amigos. Paulinho morreu. A ordem natural das coisas se inverteram. Um pai enterrar um filho é antinatural e dói demais no corpo e na alma. Gostaria sinceramente que fosse ao contrário. Deu um fim à própria vida com 23 anos. Dia 16 próximo faria 24. O dia mais feliz da minha existência foi quando ele nasceu, 16 de dezembro de 1994. O mais triste, quando faleceu, 9 de dezembro de 2018”, publicou.

“Ficam os bons momentos, os beijos carinhosos, o sorriso alegre e espontâneo, o abraço amigo, os cigarros cubanos, os bons vinhos, os debates políticos, filosóficos e psicológicos. E uma saudade imensa. Todo o resto é bobagem. Poder, dinheiro, inveja, ciúme, vaidade e cobiça. Que Deus o tenha. Amém.”

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS