Fique Conectado

Atrás das Grades

Polícia prende traficante Rogério 157 em operação com 2,9 mil agentes

Publicado 

em

As forças de segurança do Rio prenderam na favela do Arará, o traficante Rogério Avelino de Souza, o Rogério 157 (Tânia Rego/Agencia Brasil)
Anunciante

O traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, estava desarmado quando foi preso na manhã de hoje (6), na zona norte do Rio de Janeiro, e ofereceu “resolver a vida” dos policiais civis que efetuaram sua prisão. As informações foram contadas pelo delegado Gabriel Ferrando, da 12ª DP, que comandou a equipe que prendeu o criminoso.

“Ele não chegou a oferecer [suburno], mas, notem, a ousadia foi tanta, que ele chegou a insinuar que a nossa vida estaria resolvida”, disse o delegado, que participou da operação integrada entre as forças estaduais e federais de segurança pública e defesa. Outras seis pessoas foram presas nas comunidades, e dois menores foram apreendidos.

Segundo Ferrando, uma conjugação de informações reunidas pela Inteligência da Polícia Civil permitiu identificar pontos em que havia “grandes chances” de encontrar Rogério 157 nas favelas do Mandela, Mangueira, Tuiuti e Arará, onde ele foi efetivamente localizado.

Reconhecimento

Filipe Fornari

Os policiais encontraram o criminoso em uma casa na comunidade, e ele tentou se passar por outra pessoa. A Polícia Civil, no entanto, havia destacado policiais que trabalharam na Rocinha e conheciam a fisionomia de Rogério 157 que, segundo as investigações, havia coberto tatuagens e cicatrizes para dificultar o reconhecimento.

“[Rogério 157] não ofereceu resistência. Ele tentou se passar por outra pessoa, mas havia policiais capacitados que prontamente o reconheceram”, disse o delegado. “Policiais que já o haviam investigado e com um conhecimento mais detalhado dos seus traços fisionômicos foram fundamentais para essa prisão”.

O delegado destacou o trabalho de inteligência e a integração  com as forças federais permitiu prender o criminoso no interior de uma comunidade, sem que houvesse troca de tiros. “Se não é um cenário como o que foi montado no dia de hoje, dificilmente ele seria encontrado tão vulnerável”.

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, Roberto Sá, disse que vai pedir a transferência do criminoso para um presídio federal, com o objetivo de dificultar a comunicação dele com a quadrilha que comanda. O secretário disse considerar a prisão emblemática e parabenizou o trabalho das forças de segurança.

“Foi uma prisão emblemática muito embora eu não goste de enaltecer nem glamourizar criminoso”, disse.

O secretário de segurança pública destacou ainda o esforço de manter mais de 500 policiais militares na Rocinha diariamente, para impedir a atuação das quadrilhas de Rogério 157 e Nem, que disputam o controle do crime organizado. Durante a manhã de hoje, tiros foram ouvidos na comunidade e, segundo o secretário, os disparos foram feitos por criminosos rivais que comemoravam a prisão de Rogério 157.

Segundo Sá, as forças de segurança continuarão monitorando a Rocinha, “em razão dos desdobramentos que a prisão do traficante pode ocasionar”. “Temos diversos mandados de prisão que continuarão sendo cumpridos dia a dia”.

O porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar, disse acreditar que as operações integradas têm obtido resultados além de prisões e apreensões.

“Um exemplo é  a pressão que vem sendo feita pelas forças de segurança nas organizações criminosas, de maneira que tenham que se movimentar e, com isso, se mostrar melhor para os órgãos de inteligência”, disse o coronel, que acrescentou: “Não há mais ponto na área metropolitana do Rio em que as forças de segurança e o Estado não possam chegar. As forças armadas vem propiciando essa possibilidade aos órgãos de segurança pública”.


Deixe sua opinião

Agência Brasil
Anunciante

Araçatuba

Dois menores são apreendidos com pinos de cocaína e réplicas de pistola

A abordagem foi feita pela Polícia Militar no bairro Monte Carlo, em Araçatuba

Dois adolescentes foram apreendidos por ato infracional de tráfico de drogas, em Araçatuba. Eles foram surpreendidos, pela Polícia Militar, com 25 pinos de cocaína, um papelote de maconha e duas réplicas de pistola.

A ação foi realizada na rua Canjiro Takebe, bairro Monte Carlo. Após audiência na Justiça, neste sábado (16), os menores foram recolhidos.

A apreensão foi realizada pelos policiais militares, cabos J. Luís e Tinen, durante patrulhamento de Dejem (Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho).

Os PMs desconfiaram dos adolescentes e fizeram a abordagem. Durante revista, os policiais encontraram as porções de cocaína e maconha, já prontas para a venda no varejo, algo em torno de mil pinos plásticos vazios, R$ 289 em dinheiro, dois celulares e os dois simulacros de arma de fogo.

Filipe Fornari

O caso será encaminhado à Promotoria da Infância e Juventude. Os adolescentes poderão ser internados na Fundação Casa.


Deixe sua opinião

Continue Lendo

Brasil

Cristian Cravinhos é absolvido do crime de porte ilegal de arma

A 2ª Vara Criminal de Sorocaba, no interior de São Paulo, absolveu Cristian Cravinhos por porte ilegal de arma, mas manteve denúncia de corrupção ativa. Condenado pela morte do casal Von Richthofen há uma década, Cravinhos foi preso novamente em abril após se envolver em uma briga com a ex-mulher e supostamente tentar subornar policiais.

Em decisão publicada nesta sexta-feira, 15, a juíza Margarete Pellizari afirma que “o cartucho íntegro apreendido foi testado com arma de fogo e não foi detonado”. “Portanto, não comprovada a materialidade delitiva, que acarreta a materialidade delitiva, que acarreta a absorvição sumária”, determinou a magistrada.

A juíza manteve a acusação contra Cravinhos por corrupção ativa. Segundo a denúncia, Cravinhos ofereceu R$ 1 mil aos policiais que atenderam a ocorrência para não ser preso. A magistrada determinou que a denúncia prossegue e que uma audiência com testemunhas da defesa será agendada para a próxima quarta-feira, 20.

Liminar. Atualmente detido na Penitenciária de Tremembé, no Vale do Paraíba, Cravinhos entrou com pedidos de revogação da prisão em diversas instâncias judiciais. O habeas corpus, no entanto, foi rejeitado na Vara Criminal de Sorocaba e no Tribunal de Justiça de São Paulo. No início do mês, o ministro Rogério Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça, negou liminar garantindo a liberdade de Cravinhos.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Birigui

Procurado por latrocínio é preso pela Rocam de Birigui

Em patrulhamento nesta sexat-feira (15) pela Vila Xavier, os policiais militares, cabo Wesley e o soldado Aiglo foram informados de que um homem estaria vendendo entorpecentes pela Rua São Paulo, em Birigui.

Ao deslocarem até o local o suspeito da denúncia foi abordado, e a princípio informou que se chamava Ronaldo Sobrinho Alves, onde após pesquisa retornou que o mesmo não teria passagens pela polícia, porém a equipe desconfiou do indivíduo e descobriu que o primeiro nome dele era Renato.

Diante da insistência da equipe de Rocam, o acusado veio a confessar o seu verdadeiro nome e a informar que era procurado por um latrocínio ocorrido na cidade de Bragança Paulista e um Roubo em Caraguatatuba, passando pra equipe seu nome verdadeiro sendo Renato Alves Brito ao qual constou Procurado pelo Copom.

Renato recebeu voz de prisão onde foi encaminhado ao plantão policial permanecendo a disposição da justiça.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Continue Lendo

São Paulo

PM reage a assalto e é morto a tiros na zona norte de São Paulo

Um policial militar foi morto durante um assalto na Vila Medeiros, zona norte de São Paulo, na tarde dessa sexta-feira, 15. Segundo testemunhas, três suspeitos participaram do crime, mas apenas um foi detido pela polícia. O militar foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo a Polícia Militar, Rodrigo Penha Pereira, 37, foi de moto até a Vila Medeiros com uma amiga para buscar um celular adquirido pela internet. Quando chegou ao local, foi abordado pelo trio de suspeitos. O PM reagiu e teve a arma roubada pelos criminosos, que efetuaram quatro disparos contra a vítima, dois deles na cabeça.

O trio fugiu do local levando apenas a chave da moto do policial. Pereira foi encaminhado ao Hospital Municipal Vereador José Storopolli, na zona nordeste da capital paulista, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Durante buscas na região, a Polícia Militar prendeu um dos suspeitos que confessou participação no crime. O jovem, de 19 anos, tentava fugir pelo telhado das casas na rua Alonso Peres, na Vila Medeiros. Os outros dois suspeitos foram identificados pelo rapaz e por testemunhas. De acordo com a polícia, se tratam de um homem de 30 anos e um adolescente de 17. Ambos continuam foragidos.

Filipe Fornari

O caso foi encaminhado à 90ª Delegacia de Polícia Civil (Parque Novo Mundo), que autuou o suspeito pelos crimes de latrocínio, lesão corporal, resistência, desobediência, corrupção de menor e roubo.

Rodrigo Penha Pereira era militar ocupado na Corregedoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo.


Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS