Fique Conectado

Emoções

A mentira, inimiga da autoestima

Publicado

em

Existem muitas formas de mentira e podemos encontrar muitas justificativas para usá-la. Ela pode ser muito útil em algumas ocasiões: nos afasta dos problemas, desvia a atenção e liberta nossa mente. É uma outra forma de gerenciar uma situação que não sabemos como resolver.

No entanto, é uma medida que podemos chamar de “curto prazo”. Ela pode nos ajudar em um momento de dificuldade ou quando não queremos dar explicações apropriadas, mas com o passar do tempo ela se transforma em uma armadilha para a nossa autoestima. A mentira tem as suas consequências nas relações com os outros e com nós mesmos.

“Uma mentira não teria sentido se a verdade não fosse percebida como perigosa.”

-Alfred Adler-

A mentira pode ser algo excitante. Muitas vezes, são apenas travessuras adultas ou algo proibido que em um primeiro momento pode nos trazer algum benefício. Mentir, enganar… é algo que se não fosse útil, não existiria mais. Listamos aqui alguns motivos pelos quais mentimos:

– A autoexigência e o autoengano

– Atender às expectativas dos demais

– Distorcer a realidade para ajustá-la ao que nos convém

– Evitar o castigo ou a vergonha

– Tentar parecer o que não somos

– Obter admiração dos outros

– Não preocupar nossos parentes

– Enganar um amigo que nos pede um favor

– Chamar a atenção

Nestes motivos, encontramos um ponto em comum: o medo. Pode ser o medo da realidade, da situação ou de nos encontrarmos com nós mesmos. O medo está sempre relacionado com a mentira.

Por que não mentir

A mentira pode ser um instrumento a mais, algo que nos livra dos problemas, mas não é uma solução. Ela nos proporciona alívio e libera a ansiedade no momento presente, mas a longo prazo…

No entanto, apesar de conhecermos as consequências, continuamos mentindo. Quando um homem quer mostrar que é forte e poderoso, ou quando uma mulher finge preocupação com os outros, ficam presos numa rede de mentiras da qual não conseguem escapar.

Isto, na maioria dos casos, causará várias consequências em relação aos sentimentos e pensamentos, desde o exame de consciência mais profundo até o mais superficial. Entre outras coisas podemos sentir:

– Culpa

– Responsabilidade social

– Ansiedade

– Fuga de si mesmo ou da situação

– Avaliar o tempo que estamos perdendo com essa mentira como “perda de tempo”

A mentira é algo que consome aquele que mente. É muito difícil manter uma mentira.

Precisamos nos esforçar muito para esconder, gerenciar as situações e dissimular para sustentar as mentiras. A pessoa que mente acaba se desgastando, sentindo-se culpada, e não consegue sair dessa situação. “Eu não minto, eu omito”

“Eu não minto, eu omito”, “Eu filtro e seleciono informações”… Aqueles que se escondem atrás destas frases famosas precisam saber que existem duas formas básicas de mentira:

– Ocultar: Tentamos fugir da culpa dizendo a nós mesmos que estamos omitindo uma informação e que isso não é o mesmo que inventar uma história. Entretanto, aos olhos da psicologia da mentira, esta estratégia pertence ao mesmo conceito de engano.

– Inventar ou falsificar: neste caso, modificamos a informação. Este tipo de fraude deixa a pessoa encurralada, porque ela precisa alimentar essa mentira. Terá que contar sempre a mesma história, e isso requer muito esforço para colocar em prática. É necessário ter uma boa memória e agilidade mental.

“Aquele que diz uma mentira não calcula a pesada carga que põe em cima de si, pois tem que inventar uma infinidade de mentiras para sustentar a primeira”.

-Alexander Pope-

Como já dissemos antes, mentir é um tiro no centro da nossa autoestima. A mentira é um peso que nos angustia; no princípio é fácil e reconfortante porque obtemos bons resultados, mas a longo prazo se torna difícil de gerenciar.

 

A realidade fica distorcida e a pessoa que mente acaba se perdendo nesse falso mundo que foi construído com base em mentiras e falsidades. O pior é que essa situação esconde suas virtudes; as pessoas só conhecem as suas mentiras.

“O maior castigo para o mentiroso é não ser acreditado mesmo quando fala a verdade”.

-Aristóteles-

Quando a mentira se torna algo patológico, os psicólogos a chamam de “pseudologia fantástica”. Há um caso conhecido, como o de Tania Head, que se apresentou ao mundo como uma vítima dos atentados de 11 de setembro e se tornou a Presidente da Associação dos Sobreviventes do World Trade Center.

Todos nós já mentimos alguma vez na vida: por necessidade, piedade, emoção, perigo, por amizade… A mentira pode ser um recurso, mas existem limites que nos mostram se devemos mentir ou não. Pergunte a si mesmo: me sinto bem mentindo? Estou prejudicando alguém? Cada pessoa sabe o que quer e onde pode chegar.

Deixe sua opinião

Fonte:

SEXTORSÃO

Novo golpe usa sites pornô para chantagear usuários

Publicado

em

Pixabay

Um novo golpe que está sendo utilizado na Web usa o sistema que ficou conhecido como sextorsão para chantagear os usuários.

No golpe o criminoso envia um e-mail afirmando que hackeou o computador da vítima e registrou vídeos, ou fotos, de quando o usuário acessava sites pornográficos.

A partir disso, os criminosos começam a chantagear as vítimas. A demanda mais comum exigida, segundo o Techtudo é exigir que a vítima envie bitcoins ao criminoso ou o suposto conteúdo será compartilhado para a sua lista de contatos.

A empresa de cibersegurança ProofPoint detectou que em alguns casos, os cibercriminosos, ao invés do pagamento, pedem para que as vítimas baixem um arquivo .ZIP, sem saber que estão instalando um Trojan no PC e perdendo todos os dados do computador.

Segundo a ProofPoint vale destacar que o golpe se trata de uma fraude, quando o usuários recebe o e-mail de ameaça na verdade não existe ataque hacker nenhum, nem vídeo comprometedor.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

gastronomia

Como não engordar na época do Natal, de acordo com a ciência

Publicado

em

O consumo de álcool e de alimentos gordurosos costuma aumentar durante as festas (Foto: Getty Images / BBC News Brasil)

Engordar entre o Natal e o Ano Novo não é inevitável – embora exija algum esforço. Um estudo feito pela Universidade de Birmingham em parceria com a Universidade de Loughborough, ambas no Reino Unido, indicou que prestar atenção a algumas dicas simples para não exagerar ao beber e comer pode evitar que as pessoas ganhem peso no fim do ano – mesmo frequentando dezenas de eventos com comida em abundância.

Os voluntários do estudo que conseguiram escapar do ganho de peso receberam uma lista de dez dicas para controle de peso e outra com quanta atividade física é necessária para queimar certos pratos e bebidas muito populares no Natal.

Por exemplo, seria preciso cerca de 25 minutos andando de bicicleta para queimar as calorias de uma fatia de 100g de tender (132 kcal). As dicas que eles receberam foram tiradas de um artigo publicado em 2008 no International Journal of Obesity 32.

As regras

As dicas passadas para os voluntários do estudo são medidas simples, nada parecidas com as dietas mirabolantes que costumam circular por aí nessa época do ano:

1. Tente manter sua rotina alimentar → Mantenha os mesmos horários de alimentação que tem em sua rotina normal, ou ao menos tente manter os horários o mais próximo possível disso.

2. Evite alimentos gordurosos → Prefira as carnes magras (como o peru), fuja dos molhos de saladas mais gordurosos, evite os patês prontos

3. Caminhe → Você pode usar um aplicativo no celular que conte os seus passos ao longo do dia, e vá aumentando o número de passos progressivamente. Pequenas mudanças na rotina, pelo menos durante o período de festas, podem ajudar: subir a escada em vez de pegar o elevador, fazer a pé pequenos percursos, etc.

4. Escolha petiscos saudáveis → Se você gosta de petiscar, compre ou prepare opções saudáveis, como frutas, iogurtes de baixas calorias etc.

5. Leia o rótulo → Cuidado com a propaganda, principalmente em produtos light e diet (nem sempre eles têm menos calorias). Estar ciente de quanto açúcar, sódio e gordura vai nos alimentos industrializados ajuda a tornar a alimentação mais saudável.

6. Cuidado com as porções → Não encha o prato de comida (a não ser que a comida seja legumes e verduras). E pense duas vezes antes de repetir, principalmente se você costuma comer rápido: dê um tempo para seu cérebro perceber que você está saciado.

7. Fique de pé → Evite ficar muito tempo sem se levantar. Para cada hora sentado, levante por dez minutos. Essa é uma dica útil de ter na cabeça durante viagens, que são muito comuns no fim do ano. Em voos, ande no corredor. Se estiver viajando de carro, faça paradas em estabelecimentos ao longo da estrada para esticar as pernas.

8. Pense no que vai beber → Prefira água ou refrescos sem açúcar. Até mesmo suco de fruta tem o açúcar natural da planta, então limite a quantidade a um copo de suco por dia. O álcool também é bem calórico, então tente compensar evitando repetir a refeição nos dias em que for beber mais.

9. Foque na comida → Aproveite o feriado para diminuir o ritmo. Não coma na frente da TV ou fazendo outras atividades; coma na mesa se possível. Curta sua refeição.

10. Não esqueça a regra dos 5 → Coma ao menos cinco porções de fruta, legumes ou verduras por dia (400g no total).

Como foi feito o estudo

O estudo, chamado “Winter Weight Watch Study” (Estudo de Observação de Peso no Inverno, em inglês) envolveu 272 voluntários, que foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um grupo de controle e um grupo de intervenção.

Os voluntários no grupo de intervenção foram orientados a se pesar todo dia, ou, no mínimo duas vezes por semana.

Eles receberam dez dicas (acima) sobre como evitar ganho de peso, uma lista de atividades físicas com quantas calorias elas queimam, e o que essas calorias correspondem em alimentos comuns no fim do ano.

O grupo de controle recebeu apenas um panfleto com informações breves sobre ter um estilo de vida saudável, sem nenhuma dica alimentar.

O resultados mostraram que, na média, os participantes do grupo de controle ganharam peso durante a época do Natal, mas os do grupo de intervenção mantiveram o peso.

O estudo foi publicado nesta segunda (10) no periódico científico britânico The BMJ (antigo British Medical Journal). A pesquisa foi conduzida entre 2016 e 2018, com os pacientes sendo medidos e pesados em novembro e dezembro de 2016 e 2017, e novamente em janeiro e fevereiro dos anos seguintes.

“Os feriados de fim de ano coincidem com folgas coletivas em muitos países, oferecendo oportunidade para consumo excessivo de comida e comportamento sedentário por um tempo prolongado”, afirma a nutricionista Frances Mason, pesquisadora da Universidade de Birmingham e uma das autoras do estudo.

“Só no dia de Natal as pessoas chegam a consumir 6 mil calorias – três vezes o recomendado”, diz ela, em um comunicado da universidade sobre a pesquisa.

“Intervenções leves como as feitas no estudo Winter Weight Watch poderiam ser levadas em consideração por quem faz políticas públicas para evitar ganho de peso da população em épocas mais sensíveis, como as férias”, afirma Mason.

A professora Amanda Daley, co-autora do estudo, afirma que o peso adquirido durante as festas não costuma ser acompanhado por perda de peso no início do ano.

“Embora sejam ganhos pequenos, ao longo de dez anos podem significar um aumento considerável no peso”, explica.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Fora do Armário

Alexandre Frota abre o jogo e admite gostar de homens: “Sou resolvido”

Publicado

em

Embora muitos fãs não se surpreendam com uma confissão feita por Alexandre Frota durante o programa de Cátia Fonseca, na Band, o ex-ator tornou a admitir que já sentiu atração por pessoas do mesmo sexo. Na edição desta terça-feira (11/12) do programa, Frota ainda falou sobre seu relacionamento com os filhos.

Logo de início, ele confirmou seus desejos sexuais por homens. “Se eu falar que não, é mentira minha. Mas sou um cara bem resolvido com isso e tenho a cabeça muito aberta com essas questões todas. Mas sou apaixonado por minha mulher e sei exatamente como penso e como vivo”, declarou.

Durante das eleições deste ano, Frota recebeu várias acusações do filho biológico, Mayã Frota. Em meio às afirmações, o rapaz alegou que o pai chegou a planejar um aborto enquanto ele ainda estava no ventre de sua mãe. Diante disso, Frota negou as palavras do herdeiro.

“Sou completamente contra o aborto”, disparou Frota no programa. “A mãe dele ficou grávida e desde o primeiro momento eu falei que era contra o aborto. Só que deixei claro que não seria marido nem namorado. Assumi o filho na época que trabalhava em novela, fazia na Globo, tudo certinho”, relembrou.

Por fim, o político — filiado ao PSL, mesmo partido do presidente eleito, Jair Bolsonaro —, respondeu aos rumores de que prefere o filho adotivo que Mayã. “Sou muito apegado a meu filho adotivo e tive esse problema com o biológico. Fui obrigado a responder essa declaração e não guardo rancor”, concluiu.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

luto no Circo

Morre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino, aos 96 anos

Publicado

em

Um dos maiores nomes da arte circense brasileira, Roger Avanzi, o Palhaço Picolino, morreu na noite de segunda (10). Ele tinha 96 anos e sofreu uma falência múltipla dos órgãos.

Avanzi nasceu em São José do Rio Preto, no interior Paulista, e cresceu sob a lona do Circo Nerino, fundado por seu pai, Nerino Avanzi. No picadeiro, fez de tudo: foi acrobata, equilibrista, jóquei, músico, cantor e ator. Depois, transformou-se no segundo Palhaço Picolino, substituindo seu pai, que deu vida ao primeiro.

Depois do fim do Circo Nerino, em 1964, Avanzi dedicou-se ao Circo Garcia, com o qual percorreu o Brasil até os anos 1970. No fim dessa década, passou a ensinar a arte circense na Academia Piolin, em São Paulo.

Ainda foi professor do projeto Enturmando e da Escola Picadeiro, além de ter inspirado a criação da Escola Picolino de Artes do Circo, em Salvador.

Foi mentor de nomes de renome hoje, como o LaMínima, grupo fundado há 20 anos por Fernando Sampaio e Domingos Montagner.

Seu Palhaço Picolino participou do programa “Circo do Bambalalão”, da TV Cultura, na década de 1980, e nos anos seguintes trabalhou como ator na montagem de “O Jardim das Cerejeiras”, de Tchélhov, com direção de Élcio Nogueira e Tônica Carreiro e Renato Borghi no elenco; e também no filme “Narradores de Javé”, de Eliana Café.

Em 2004, parte para o memorialismo e lança com Veronica Tamaoki um livro sobre o Circo Nerino. Os dois também ajudaram a fundar, há nove anos, o Centro de Memória do Circo, no Centro Cultural Olido, em São Paulo.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS