Fique Conectado

dor e alegria

Chape vence, vai à Libertadores e rebaixa o Coritiba

Publicado 

em

Anunciante

Reconstrução. História. Exemplo. Superação. Eterno. Escolha a palavra que for. O Corinthians que me desculpe, parabéns pelo título, mas vai ser difícil encontrar uma enredo mais bonito que o da Chapecoense em 2017. Roteiro de filme. Com direito a gol de Túlio de Melo no minuto final da temporada, o Verdão venceu o Coritiba por 2 a 1 na Arena Condá, neste domingo, e se classificou para Libertadores. No gramado que há exatamente um ano 50 pessoas eram veladas, o clube consolidou uma volta por cima irretocável. O Coxa, por sua vez, está na Série A.

A postura das equipes no início do ano era evidente: a Chape relaxada, sem a concentração da série invicta de nove jogos, e o Coxa firme a cada disputa de bola. Não demorou muito para que os visitantes fossem recompensados com gol: aos 14, Kléber recebeu com liberdade para ajeitar o corpo e acertar o ângulo de Jandrei. Golaço. Em vantagem, o Coritiba seguiu com marcação alta, enquanto o Verdão timidamente se soltava pela direita, com João Pedro e Apodi. A maior posse de bola naturalmente fez com que a Chapecoense arriscasse um pouco mais. Wilson pouco trabalhava, até que em cruzamento despretensioso Elicarlos surpreendeu o goleiro e colocou na gaveta. Dejà vu de Ronaldinho contra a Inglaterra em 2002. Tudo igual em um intervalo em que os resultados das outras partidas ajudavam aos dois.

A etapa final foi marcada pela tensão. Não demorou muito para Sport e São Paulo saírem na frente de Corinthians e Bahia, o que obrigava vitória de um dos lados na Arena Condá. Chape e Coxa se mandaram para o ataque, mas optaram pelo abafa em vez da troca de passes em busca de espaço nas congestionadas defesas. Do lado dos visitantes, Carleto era a válvula de escape. Bolas e mais bolas foram alçadas na área, nada que tirasse o sono de Jandrei. Já o Verdão do Oeste esvoaçou uma pressão. Forma cinco escanteios quase que consecutivos, Wilson trabalhou e evitou a virada. A medida que o tempo avançava, o desespero também crescia. As duas equipes se lançaram como dava. Kléber desperdiçou dois contra-ataques. Apodi acertou o travessão. Reinaldo quase marcou. E Túlio de Melo colocou o Verdão na Libertadores. Lindo passe de Canteros, assistência de Apodi, gol do camisa 10. A Chape volta à maior competição da América. O Coxa vai para Série B.

A vitória levou a Chapecoense aos 54 pontos, na oitava colocação, deixando para trás o Botafogo, que empatou em casa com o Cruzeiro. É a melhor participação do clube na história da Série A em colocação e pontuação. Já o Coritiba, com 43 pontos, foi ultrapassado pelo Sport e terminou na 17ª colocação.

Filipe Fornari

Deixe sua opinião

Fonte:
ge
Anunciante

NOVA MÚSICA

Por ‘atmosfera festiva’, Fifa muda cerimônia de entrada dos times

Bandeiras gigantes no centro do gramado e a música Seven Nations Army, do grupo White Stripes, foram colocadas no protocolo

© REUTERS / Jason Cairnduff (Foto de arquivo)

Em busca de inovações e proporcionar mais “diversão e entretenimento” para os fãs, como ela mesma definiu, a Fifa mudou quase que por completo a cerimônia de entrada das seleções nesta Copa do Mundo.

Bandeiras gigantes no centro do gramado e a música Seven Nations Army, do grupo White Stripes, foram colocadas no protocolo.

É com este tema ao fundo que os jogadores têm entrado em campo, uma mudança radical no que era feito desde o Mundial de 1994.

Nas últimas seis Copas, a entrada sempre se deu com o hino da Fifa.

Filipe Fornari

Agora, além da canção Seven Nations Army, é executada uma outra composição mais clássica, elaborada por Hans Zimmer e Lorne Balfe.

Músicas tradicionais dos países em ação também são executadas. No jogo entre México e Alemanha, ecoou pelo Lujniki a canção “Cielito Lindo”.

Quando um gol é marcado, o tema oficial da Copa “Live it Up” também é tocado.

“A Fifa está extremamente satisfeita com a recepção do público e continuará atrás de iniciativas que ofereçam uma atmosfera mais festiva em estádios da Copa”, disse a entidade à reportagem. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

INSTAGRAM

‘Parou aqui’, ironiza zagueiro suíço ao postar foto em que puxa Neymar

"Bom começo, garotada! #Suíça #seleção #Copa2018 #Russia #brasui #parouaqui", escreveu Schar, que levou cartão amarelo por falta em Neymar

© REUTERS / Damir Sagolj

O zagueiro Fabian Schar celebrou nas redes sociais o empate e o seu desempenho na partida contra o Brasil por 1 a 1, no domingo (17), em Rostov-on-Don, pela Copa do Mundo. Para ilustrar seus feitos em campo, o suíço postou foto em que puxa a camisa da Neymar.

Na legenda da imagem, Schar escreveu a hashtag “#stophere” (“parou aqui”), acompanhada de um emoji de risada (veja abaixo).

“Bom começo, garotada! #Suíça #seleção #Copa2018 #Russia #brasui #parouaqui”, escreveu Schar, que levou cartão amarelo por falta em Neymar.

Em outra imagem, o zagueiro foi fotografado acompanhando o atacante Firmino, com as mesmas hashtags da ilustração anterior.

Filipe Fornari

No empate da seleção brasileira contra a Suíça, Neymar reclamou da violência do time rival.

Segundo levantamento feito pela Opta Sports, com 10 infrações recebidas, Neymar se tornou o mais caçado desde Alan Shearer em Inglaterra x Tunísia, pela Copa do Mundo de 1998.

De tão caçado, o brasileiro só conseguiu ser realmente perigoso em uma conclusão, de cabeça, nos minutos finais. Ele ainda deu boas assistências para Paulinho e Coutinho, que desperdiçaram.

Neymar teve o meião rasgado e ficou irritado em pelo menos três situações. Aos 13min, Behrami pisou sobre ele, que levou a mão ao pé direito, operado. Já no segundo tempo, aos 12min, travou bola com Lichtsteiner e saiu mancando no mesmo pé. Ainda caiu após nova pancada de Behrami, e acusou dores no pé esquerdo. Com informações da Folhapress.

Good start boys!!!🇨🇭 #swiss #nationalteam #worldcup2018 #russia #brasui #stophere😜

Uma publicação compartilhada por Fabian Schär (@fabianschaer_official) em

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Copa 2018

Para Tite, ansiedade atrapalhou jogadores do Brasil

O técnico da Seleção Brasileira, Tite, afirmou que a ansiedade atrapalhou o desempenho do time na estreia hoje (17), em Rostov. Para ele, os atacantes precisam ser mais “frios” na hora da finalização. “A ansiedade bateu forte. Quando apressa demais, a finalização fica imprecisa”, disse.

“Nesse momento, em uma Copa do Mundo, temos que absorver quando toma um gol. Então, serve de aprendizado”, completou o treinador na coletiva de imprensa após o empate de 1 a 1 com a Suíça.

Tite evitou atrair os holofotes para o erro do árbitro, que não marcou falta em Miranda no gol da Suíça, mas afirmou que um erro como aquele “não pode acontecer em um jogo de alto nível”.

Ele também defendeu os jogadores, que reclamaram de forma tímida da falta no lance do gol. Para ele, o time não pode perder o equilíbrio emocional pressionando o árbitro. “Não tem que pressionar a arbitragem. Tem todo um processo [de arbitragem], pessoas que avaliam [os lances] e eu não posso fazer da equipe do Brasil uma equipe desequilibrada”.

Filipe Fornari

Melhor em campo

Autor de um golaço de fora da área, Philippe Coutinho recebeu o troféu de melhor jogador da partida e participou da coletiva de imprensa após o jogo. O camisa 11 brasileiro evitou remoer o resultado ruim de hoje. “Tivemos muitas coisas positivas e agora temos que pensar no próximo jogo”.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

1 a 1

Brasil joga mal e empata em estreia na Copa da Rússia

A Seleção Brasileira jogou mal e apenas empatou com a Suíça por 1 a 1, pela primeira rodada do grupo E da Copa do Mundo. O Brasil fez um bom primeiro tempo, quando abriu o placar com Philippe Coutinho que fez um golaço de fora da área. No entanto, sofreu um gol logo no início do segundo tempo e não teve volume de jogo suficiente para chegar ao segundo gol.

Apesar do segundo tempo ruim do Brasil, o árbitro mexicano César Ramos foi determinante para o resultado. Ele não marcou uma falta em Miranda no lance do gol.

Neymar também não esteve bem no jogo e sofreu várias faltas.

O jogo

Philippe Coutinho comemora primeiro gol ao lado do lateral Marcelo  REUTERS/Marko Djurica

O primeiro ataque foi da Suíça, aos 3 minutos. Após cruzamento na área, Dzemaili finalizou por cima do gol, sem perigo. Aos 10 minutos, veio a resposta do Brasil. Após troca de passes na entrada da área, Paulinho recebeu de Neymar e tocou para o gol. A bola passou raspando pela trave direita. Aos 16 minutos, o Brasil chegou bem mais uma vez. Coutinho tocou para Gabriel Jesus no lado esquerdo. O atacante brasileiro passou para o meio da área, mas o goleiro Sommer defendeu.

Filipe Fornari

Aos 19 minutos, veio o gol brasileiro, e um golaço. Philippe Coutinho pegou a sobra de bola no lado esquerdo e chutou de fora da área. A bola fez uma curva, bateu na trave esquerda de Sommer e morreu no fundo da rede.

Depois do gol, a Suíça passou a atacar mais e ter o domínio da bola. Ao Brasil restava os contra-ataques em roubadas de bola. No final do primeiro tempo, o Brasil chegou de novo com perigo em uma cobrança de escanteio. Thiago Silva cabeceou por cima do gol.

Segundo tempo

Steven Zuber celebra gol de empate em partida contra o Brasil   REUTERS/Marko Djurica
Aos 4 minutos do segundo tempo, em uma cobrança de escanteio, Zuber cabeceou livre para empatar o jogo. Os jogadores brasileiros reclamaram de um empurrão de Zuber em Miranda, mas o árbitro mexicano ignorou os protestos.

Aos 12 minutos, o Brasil chegou com perigo. Neymar driblou na pequena área, mas chutou prensado e a bola saiu a escanteio. A Seleção Brasileira ficou visivelmente nervosa após o gol sofrido. Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus estavam discretos em campo. Só aos 24 minutos o Brasil chegou com perigo novamente. Neymar deu um bom passe para Coutinho, que driblou o defensor, mas bateu mal para gol.

Aos 28 minutos, Gabriel Jesus recebeu na área, mas não conseguiu finalizar. Ele caiu na área pedindo pênalti, mas o juiz não marcou. Aos 42 minutos, outra chance: Neymar aproveitou cruzamento na área, mas cabeceou no meio do gol, para defesa fácil de Sommer. Aos 44, quase o segundo gol do Brasil. Em bola alçada na área, Firmino quase marcou de cabeça, mas o goleiro defendeu.

No último minuto de jogo, o Brasil tentou pressionar, mas sem organização. Com o empate, Brasil e Suíça estão em segundo lugar no grupo com um ponto cada.

A Sérvia, que venceu a Costa Rica por 1 a 0 no primeiro jogo do dia, é a líder do grupo E, com três pontos. O Brasil enfrenta os costarriquenhos na próxima rodada, na sexta-feira (22), às 9h.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS