Fique Conectado

Cadeia Velha

Lava Jato mira presidente da Alerj e empresário de ônibus do Rio

Operação Cadeia Velha é um desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro

Publicado

em

© REUTERS/Ricardo Moraes
Anunciante

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (14) a Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava Jato que tem como objetivo cumprir dez mandados de prisão preventiva e temporária, busca e apreensão e condução coercitiva contra três deputados estaduais.

São alvos de mandado de prisão três empresários ligados ao setor de ônibus: Jacob Barata Filho, Lélis Teixeira e José Carlos Lavouras, todos alvos da Operação Ponto Final, deflagrada em julho.

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani (PMDB), foi intimado a depor. O filho do deputado, Felipe Picciani, foi preso em Uberlândia (MG). Ele é executivo na empresa Agrobilara, sob suspeita de ser usada na lavagem de dinheiro da propina.

O escritor e colunista da Folha de S.Paulo Gregorio Duvivier filmou Jorge Picciani sendo abordado por policiais ao deixar uma aeronave no Rio.

Também foram chamados a prestar depoimento Paulo Melo (PMDB), ex-presidente da Assembleia, e Edson Albertassi (PMDB), que já foi líder do PMDB na Alerj.

O nome da Operação Cadeia Velha é uma referência ao fato do local onde está a Alerj ter sido, no período colonial, uma prisão.

Os mandados foram autorizados pelo desembargador Abel Gomes, relator da Lava Jato no Tribunal Regional Federal do Rio. Eles têm como base a delação do doleiro Álvaro Novis, que declarou ter distribuído cerca de R$ 500 milhões entre 2011 e 2015 em propina para políticos a pedido de empresários de ônibus.

A Operação Ponto Final, que teve como foco a suposta quadrilha comandada pelo ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), apontou pagamentos de cerca de R$ 260 milhões. Os R$ 240 milhões restantes referem-se a pessoas com prerrogativa de foro privilegiado.

O Ministério Público Federal chegou a pedir a prisão dos três deputados, por considerar que cometiam crimes em flagrante, como lavagem de dinheiro e associação criminosa. Gomes, contudo, deferiu a condução coercitiva dos parlamentares.

De acordo com a Procuradoria, os três deputados “formam uma organização integrada ainda pelo ex-governador Sérgio Cabral e que vem se estruturando de forma ininterrupta desde a década de 1990”.

TCE

O MPF diz ainda que a tentativa de nomeação de Albertassi como conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) “pode ter sido uma manobra para que a organização criminosa retome espaços perdidos com os afastamentos de conselheiros determinados pelo STJ, e também uma forma de atrapalhar as investigações, ao deslocar a competência para a apuração dos fatos e tirar o caso do TRF”.

A indicação do deputado, feita pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), foi barrada pela Justiça. O caso provocou inclusive a demissão do procurador-geral do Estado, Leonardo Espíndola, que se recusou a defender a indicação no Tribunal de Justiça.

Pelas Constituição, a vaga aberta no TCE seria destinada a um auditor de carreira, e não a um deputado. Com informações da Folhapress.

Oque você acha disso?

NOTICIAS AO MINUTO
Anunciante

são paulo

Bebê de 1 ano morre após ser estuprado por vizinho

A babá da criança é companheira do suspeito do crime. Os dois foram presos em flagrante

Publicado

em

O crime foi cometido na noite de sábado (18)

Depois de ser abusada sexualmente por um vizinho, um bebê de 1 anos morreu na Cidade Tiradentes, na Zona Leste de São Paulo. O crime foi cometido na noite de sábado (18). A babá a criança e o autor da agressão foram presos em flagrante.

De acordo com informações do portal da Band, a vítima chegou a ser encaminhada ao Hospital Cidade Tiradentes, mas não resistiu as ferimentos. O suspeito, segundo a reportagem, é companheiro da babá do bebê.

Oque você acha disso?

Continue Lendo

economia

Rombo da Previdência é ‘extremamente grave’, diz ministro

Para Dyogo Oliveira, adiar a reforma do sistema previdenciário colocaria em risco a economia e as camadas mais pobres da sociedade

Publicado

em

ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, classificou, nesta sexta-feira (17), o rombo da Previdência Social como “extremamente grave”, e defendeu a aprovação da reforma previdenciária para evitar riscos à economia brasileira.

“A previdência está caminhando para um déficit no ano que vem de quase R$ 200 bilhões”, afirmou ele, ao divulgar um documento bimestral de avaliação de receitas e despesas orçamentárias. “É uma situação extremamente grave que coloca em risco toda a economia do País”, completou.

Na avaliação dele, além dos danos econômicos, o aumento e o colapso do sistema previdenciário teriam efeitos negativos, em especial paras camadas mais carentes da sociedade. “Coloca em risco especialmente as pessoas mais pobres”, disse o ministro.

Dyogo pediu sabedoria na avaliação da proposta do Governo do Brasil, a qual avaliou como “suave”, pois prevê regras de transição para quem está prestes a se aposentar e também mantém direitos adquiridos.

Atualmente em análise da Câmara dos Deputados, a reforma da Previdência é considerada essencial para evitar um colapso das contas públicas no futuro. Ela prevê a adoção de uma idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres acessarem o benefício e impedir um crescimento ainda maior do déficit previdenciário.

Oque você acha disso?

Continue Lendo

confiante

‘Não vai ser difícil ganhar as eleições de 2018’, diz Lula

Publicado

em

Petista declarou que é preciso evitar a aprovação da reforma da Previdência, que "está acontecendo concomitantemente com o desmonte da Petrobras". (Ricardo Stuckert)

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou neste domingo, 19, que “não vai ser difícil” ganhar as eleições presidenciais de 2018, mas defendeu uma mudança de estratégia dos partidos de esquerda para barrar as propostas do governo Michel Temer no Congresso. Ele avaliou que a oposição está fragilizada e lamentou que não tenha conseguido barrar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e propostas que, na sua avaliação, representam um retrocesso com relação aos avanços das gestões petistas, como a reforma trabalhista.

“Éramos contra reforma trabalhista, e ela aconteceu, éramos contra a Previdência, e se não tomarmos cuidado, vai acontecer”, disse o petista, ao discursar no Congresso do PCdoB. Lula afirmou que o governo Michel Temer é “fraco” e, por isso, se submete “aos interesses do mercado”. “Nenhum presidente fraco é respeitado.” “Os congressistas que estão votando pelo desmonte não têm compromisso conosco. Nunca vi tanto deputado reacionário, tanto troglodita, e se não tomarmos cuidado vai piorar na próxima eleição”, disse.

Ele declarou que é preciso evitar a aprovação da reforma da Previdência, que “está acontecendo concomitantemente com o desmonte da Petrobras”. “Não tenho mais idade de ficar criando movimento ‘fora Temer’ e ele estar dentro, de ficar gritando não vai ter golpe e ter golpe. Vamos ter que parar de gritar e evitar que isso aconteça mesmo. Isso não pode continuar acontecendo debaixo da nossa barba.” Segundo ele, estão querendo desmontar a Petrobras porque “eles não são políticos, são usurpadores.” E continuou: “Eles não têm compromisso com o povo brasileiro, querem fazer o desmonte, destruir o BNDES, a Eletrobras, a Caixa, desmontar a cidadania.”

No discurso, Lula disse que, se não fosse pela sua teimosia e a do PT, não teria chegado à Presidência da República. E que provou que era possível a esquerda transformar este País, citando melhorias em salário, educação e na própria inserção do Brasil no exterior. “Deixamos de falar ‘fino’ com os Estados Unidos.” “Tiramos o País do mapa da fome.” E lamentou que o sonho que a gestão petista sonhou “infelizmente está sendo aos poucos desmontado”. “Estava tudo preparado para o Brasil se tornar a 5ª economia do mundo.”

Esquerda unida

Lula fez um discurso pela unificação da esquerda no País e de incentivo à candidatura da deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila à presidência da República, durante congresso do PCdoB realizado neste domingo. Ele chegou ao evento por volta do meio-dia, acompanhado da presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), e sentou ao lado da pré-candidata e do governador Flávio Dino (MA), ambos do PCdoB. Ele destacou que a candidatura de Manuela não deixa “rusgas” na relação do PT com o PCdoB.

“Manuela, mesmo quando a gente faz uma campanha que a gente não ganha, se a gente fizer uma campanha ideologicamente bem feita, bem organizada, e a militância for para a rua, quero dizer que vale a pena ser candidato. Da minha parte, a única coisa que vão estranhar daqui para frente é um belo dia eu aparecer em algum dos comícios da Manuela.”

Ele disse que apoia que outros partidos também lancem candidatos, mas rejeitou a tese de que Geraldo Alckmin (PSDB) seria um candidato de centro. “Não podem dizer que Lula é de extrema esquerda, que Jair Bolsonaro é de extrema direita, e que é preciso achar o caminho do meio. Quem convive com Bolsonaro sabe quem ele é, que é mais do que extrema direita, mas ele também tem direito de ser candidato.”

Lula disse ainda que somente partidos com legado terão chance de vencer a próxima eleição presidencial, e lembrou que PT e PCdoB construíram um forte legado nos últimos 30 anos, desde a campanha presidencial de 1989, citando conquistas do seu governo. “Por isso temos que governar o País sem querer ser governante, a gente tem que ouvir o povo, o povo sabe, nós só temos que ter coragem de perguntar.” Ele defendeu ainda a regulação dos meios de comunicação e distribuição de riquezas. “Quero meios de comunicação onde todos possam se manifestar.”

Oque você acha disso?

Continue Lendo

Facebook

Anunciante Sou Mais Familia

MAIS LIDAS DO DIA