Fique Conectado

TRAGÉDIA

Mais de 330 pessoas morrem em terremoto entre Irã e Iraque

Somente em Kermanshah, no Irã, há 328 mortes e 3,9 mil feridos. População da região foi a mais afetada pelo desastre

Publicado

em

REUTERS

Passa de 330 o número de mortos no terremoto de magnitude 7,3, ocorrido no domingo (12) na fronteira entre o Iraque e o Irã. Pelo menos 6 mortes foram confirmadas no Iraque e todas as demais no Irã, número que deve aumentar nos dois países, conforme o vice-ministro de Saúde do Irã, Qasem Yan Babaie, anunciou à agência de notícias IRNA.

O terremoto, cujo epicentro teria sido a 22 km da cidade iraquiana de Derbendîxan e a 52 km da cidade iraniana de Sarpol-e Z̄ahāb, foi sentido às 21h18 (horário local, 16h18 em Brasília) em várias províncias das duas nações. Kermanshah foi apontada como a mais atingida do Irã, deixando 328 vítimas fatais e 3,9 mil feridas, segundo número divulgados pela agência IRNA. Os povoados de Ghasr Shirin, Sarpul e Azgale também estão entre os mais atingidos do país.

Além do Irã e do Iraque, o tremor ainda foi sentido em outros países, mais precisamente na Turquia, nos Emirados Árabes Unidos e em Israel. Nos dois primeiros países, onde o fenômeno foi sentido com maior intensidade, muitas cidades tiverem a eletricidade cortada por conta do desastre. O receio de réplicas do teria levado moradores das regiões mais afetadas para as ruas, à procura de lugares abertos como parques, mesmo diante das baixas temperaturas.

O representante da Cruz Vermelha no Irã, o Vermelho Crescente, afirmou que mais de 70 mil pessoas necessitam de alojamento de emergência, de acordo com o G1. O governo da região autônoma do Curdistão, no Iraque, também teria se pronunciado sobre o assunto, informando que além das quatro vítimas fatais pelo menos mais 500 estão feridas somente na província de Suleimaniya.

Ainda segundo o portal, o Irã estaria situado em uma área de grandes falhas geológicas, o que o torna um dos países com mais abalos sísmicos no mundo. Um outro desastre ocorrido em 2003, um terremoto de magnitude 6,6, deixou aproximadamente 26 mil mortos e destruiu a cidade histórica de Bam.

Deixe sua opinião

Fonte: NOTICIAS AO MINUTO

IMPASSE

Entenda o que pode acontecer com o ‘brexit’ a partir de agora

Publicado

em

© Henry Nicholls / Reuters

Em dura derrota para a primeira-ministra Theresa May, o Reino Unido adiou a votação, pelo Parlamento britânico, do acordo de separação do país da União Europeia (UE), o “brexit”.

O Legislativo se pronunciaria nesta terça-feira (11) sobre os termos do documento acordado entre May e líderes europeus em novembro. Não há nova data para o voto, mas o dia limite para a chefe de governo apresentar um plano é 21 de janeiro.

Ela avaliou que não conseguiria conter, a tempo da sessão de terça, o motim de parte significativa de seus correligionários do Partido Conservador. Eles acham que o texto faz concessões demais ao bloco europeu e atenta contra a soberania britânica.

Entenda o que pode acontecer a partir de agora.

Qual o próximo passo do governo?

Theresa May vai tentar renegociar o acordo com a União Europeia. O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, contudo, já alertou que não aceita mudanças.

Já há uma nova data para votar?

Não, mas o dia limite para May apresentar um plano é 21 de janeiro.

E se o acordo não for aprovado?

As opções são um “brexit” sem acordo, com prejuízos ainda maiores à economia britânica, ou um novo referendo, que pode levar à onda de protestos.

May pode perder o cargo?Cenário parece cada vez mais provável diante do enfraquecimento da primeira-ministra. Pode ocorrer pelos próprios conservadores, via votação de liderança (que exige apoio de 28 dos 315 parlamentares) ou via oposição, com uma moção de censura (que exige a maioria da Casa).

Deixe sua opinião

Continue Lendo

'COLETES AMARELOS'

França pede a Trump para não se intrometer em assuntos do país

Publicado

em

© Zoubeir Souissi / Reuters

Os serviços de inteligência da França investigam suspeitas de ingerência estrangeira nos protestos do movimento dos “coletes amarelos”, que já parou inúmeras cidades do país para criticar as políticas do presidente Emmanuel Macron.

Segundo informações da imprensa local, o inquérito é conduzido pelo Secretariado-Geral da Defesa e da Segurança Nacional (SGDSN) e apura o papel de perfis ligados a outros países nas redes sociais em tentar amplificar a mobilização popular.

Contas e sites criados para esse fim teriam multiplicado informações e comentários de modo automático, tática já vista em processos eleitorais nos EUA, na Europa e até no Brasil. Os “coletes amarelos” surgiram em protesto contra a alta do preço dos combustíveis, mas logo abarcaram toda a insatisfação social com Macron, que vem batendo recordes negativos de popularidade.

Neste domingo (9), o governo francês também criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e pediu para ele não se intrometer em assuntos de outro país. “Eu digo a Donald Trump, mas também Macron diz: Nós não nos metemos nos debates americanos, então nos deixe viver nossa vida de nação”, afirmou o ministro das Relações Exteriores Jean-Yves Le Drian.

“Nós não fazemos considerações sobre a política interna americana e gostaríamos que isso fosse recíproco”, acrescentou. Um dia antes, durante os atos dos “coletes amarelos”, o republicano havia criticado as políticas ambientais da França e dito que os manifestantes gritavam “Queremos Trump!”. (ANSA)

Deixe sua opinião

Continue Lendo

PUBLICIDADE

Funcionário clica em tecla errada e obriga Google a pagar milhões

Publicado

em

Um funcionário da Google cometeu um erro durante um exercício de formação em mercados eletrônicos: clicou na tecla errada. Numa empresa normal, geraria um transtorno fácil de ser revertido. No Google, no entanto, resultará no pagamento de milhões de dólares.

Aquele “pequeno” erro, explica o Financial Times, fez com que, na última terça-feira, um anúncio falso fosse enviado para várias páginas de internet e aplicações.

O anúncio fictício, um retângulo amarelo, ficou disponível durante 45 minutos para internautas dos Estados Unidos e da Austrália.

A empresa, admitindo o erro, anunciou que “qualquer anúncio que tenha sido comprado” e prejudicado pela publicação deste será ressarcido.

Ainda que não tenham falado em valores, analistas financeiros ouvidos pela publicação indicam que um erro deste gênero poderá chegar aos 10 milhões de dólares de prejuízos, dada a dimensão do público alcançado.

O erro aconteceu porque o funcionário em causa deu um passo além do que estava incluído na sua formação. Ainda assim, será responsabilidade da empresa assegurar que este tipo de erro não ocorrerá de novo em exercícios de formação.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

De Três Lagoas

Corpo de brasileira desaparecida é encontrado em praia na Austrália

Publicado

em

corpo da brasileira Criskeila Veloso Gomes, de 21 anos, foi encontrado neste sábado (8), na praia de Queensland, próxima a Brisbane, cidade em que a brasileira morava na Austrália. A jovem estava desaparecida desde o dia 28 de novembro.

A família confirmou ao G1 que recebeu a notícia das autoridades australianas. O consulado brasileiro em Brisbane também confirmou que o corpo de Criskeila foi encontrado.

Segundo informou a família da vítima, que vivem na cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, o corpo foi encontrado embaixo de uma árvore em posição sentada. As autoridades locais ainda não divulgaram a causa da morte.

Ainda segundo a família da vítima, na segunda-feira(10), será realizada uma necrópsia para verificar a causa da morte e confirmar a identidade da jovem pela arcada dentária.

Relembre o casoA brasileira Criskeila Veloso Gomes, de 21 anos, desapareceu na quarta-feira (28). Segundo o jornal “O Globo”. Ela morava na cidade de Brisbane, no estado de Queensland, costa leste da Austrália, era funcionária de um frigorífico e morava com o namorado australiano.

Criskeila mora na Austrália há dez anos, quando emigrou com a família, que voltou para o Brasil há pouco mais de um ano. Ela tem um irmão que mora na mesma cidade, com quem tinha combinado um almoço antes de desaparecer para comemorar o recém conquistado visto permanente no país.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS