Fique Conectado

Saúde

Como identificar os sintomas de diabetes no bebê e fazer monitorização

A prevalência de diabetes tipo 1 em crianças menores de 5 anos ainda cresce; Dia 14 de novembro é o Dia Mundial do Diabetes

Publicado

em

Estudo em Brasília mostra aumento de diabetes tipo 1 (DM1) de 3% em crianças e adolescentes desde 1970. Só na Europa, uma pesquisa indica que o número de crianças diabéticas menores de cinco anos pode dobrar até 2020, em comparação com 2005. Outros dados apontam que 4% de todas as crianças diagnosticadas com DM1 têm menos de dois anos de idade.

Como saber se o bebê apresenta sintomas?

Em lactentes ou crianças que ainda usam fraldas, os sintomas apresentados são: irritabilidade, muito choro e sede excessiva. Bebês que se alimentam exclusivamente do leite materno querem mamar toda hora – assim como os que fazem uso da mamadeira – para matar a sede.

A troca de fraldas fica mais frequente, e surge a dermatite de fralda, ocasionada pela maior incidência de fungos na região genital, causando assaduras que não se resolvem de maneira normal como nas crianças não diabéticas. “A falta de ganho de peso também é um dado importante”, afirma Marcio Krakauer, diretor da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo (SBEM-SP).

E como diagnosticar?

Durante consulta de rotina ou visita a um pronto socorro por causa de um quadro viral, por exemplo, que apresenta vômito e diarreia, basta o médico pedir um exame de glicemia capilar e unir o resultado ao histórico dos sintomas acima descritos para diagnosticar o diabetes.

Como deve ser feita a monitorização em crianças abaixo de 5 anos?

É feita da mesma forma como em crianças maiores, ou seja, com exame da glicemia capilar frequente e hemoglobina glicada a cada 3 meses. Além disso, com exames que avaliam risco de doença da tireoide e doença celíaca.

Um parâmetro importante é a curva de crescimento da criança, que deve estar compatível com a faixa etária. Monitorar a glicemia continuamente com os sensores de glicose intersticial é essencial.

A terapêutica ideal nas crianças com menos de quatro anos é a utilização da bomba de infusão, uma vez que elas precisam de doses muito pequenas de insulina, que as seringas comuns não conseguem prover.

A grande dificuldade é que essas crianças pequenas têm uma sensibilidade muito grande à insulina, ou seja, uma unidade de insulina é capaz de diminuir a glicemia capilar entre 200 a 350mg. Por isso que as quantidades aplicadas, normalmente em valores decimais, geralmente menores que 0,5U, só podem ser obtidas de maneira satisfatória com uso da bomba de infusão.

A bomba com sensor tem vantagem grande por aliar a facilidade de aplicar doses pequenas de insulina com a monitorização contínua da glicemia, o que pode ajudar quanto à grande queixa dos pais, que é sempre a preocupação com o risco de hipoglicemia durante a madrugada.

Muitas crianças utilizam o free style libre sensor de glicose intersticial que não necessita calibração, já liberado para crianças acima de quatro anos. “Nesta faixa etária, não há dúvidas de que bombas de insulina e monitorização contínua sejam o melhor tratamento”, completa Dr. Krakauer, endocrinologista especializado em tecnologias aplicadas ao diabetes.

Para quem não tem condições de fazer uso dessas bombas, as insulinas de eleição são as insulinas análogas basais (Glargina/Lantus, Detemir/Levemir e mais recentemente Degludeca/Tresiba) aplicando as insulinas rápidas (Lispro/Humalog, Aspart/Novorapid, Glulisina/Apidra), disponíveis também em alguns estados brasileiros no serviço público.

Quando isso não é possível, utiliza-se a insulina NPH, (que é uma insulina intermediária cujo controle glicêmico é mais difícil de ser feito), aplicando as insulinas análogas rápidas às refeições.

O ideal é o uso de canetas aplicadoras de 0,5 UI, porém nem todas as marcas estão disponíveis para venda no Brasil.

Endocrinologistas afirmam que a mãe de uma criança diabética tem a vida completamente transformada.

Fica muito difícil trabalhar fora sem montar uma equipe de cuidadores treinados, tanto na escola como em casa, gerando um impacto psicológico muito grande, já que a dedicação é redobrada. “O melhor amigo do diabetes é o conhecimento aliado à informação de qualidade”, finaliza o médico.

Deixe sua opinião

Fonte: SBEM-SP

Fora do Armário

Alexandre Frota abre o jogo e admite gostar de homens: “Sou resolvido”

Publicado

em

Embora muitos fãs não se surpreendam com uma confissão feita por Alexandre Frota durante o programa de Cátia Fonseca, na Band, o ex-ator tornou a admitir que já sentiu atração por pessoas do mesmo sexo. Na edição desta terça-feira (11/12) do programa, Frota ainda falou sobre seu relacionamento com os filhos.

Logo de início, ele confirmou seus desejos sexuais por homens. “Se eu falar que não, é mentira minha. Mas sou um cara bem resolvido com isso e tenho a cabeça muito aberta com essas questões todas. Mas sou apaixonado por minha mulher e sei exatamente como penso e como vivo”, declarou.

Durante das eleições deste ano, Frota recebeu várias acusações do filho biológico, Mayã Frota. Em meio às afirmações, o rapaz alegou que o pai chegou a planejar um aborto enquanto ele ainda estava no ventre de sua mãe. Diante disso, Frota negou as palavras do herdeiro.

“Sou completamente contra o aborto”, disparou Frota no programa. “A mãe dele ficou grávida e desde o primeiro momento eu falei que era contra o aborto. Só que deixei claro que não seria marido nem namorado. Assumi o filho na época que trabalhava em novela, fazia na Globo, tudo certinho”, relembrou.

Por fim, o político — filiado ao PSL, mesmo partido do presidente eleito, Jair Bolsonaro —, respondeu aos rumores de que prefere o filho adotivo que Mayã. “Sou muito apegado a meu filho adotivo e tive esse problema com o biológico. Fui obrigado a responder essa declaração e não guardo rancor”, concluiu.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

luto no Circo

Morre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino, aos 96 anos

Publicado

em

Um dos maiores nomes da arte circense brasileira, Roger Avanzi, o Palhaço Picolino, morreu na noite de segunda (10). Ele tinha 96 anos e sofreu uma falência múltipla dos órgãos.

Avanzi nasceu em São José do Rio Preto, no interior Paulista, e cresceu sob a lona do Circo Nerino, fundado por seu pai, Nerino Avanzi. No picadeiro, fez de tudo: foi acrobata, equilibrista, jóquei, músico, cantor e ator. Depois, transformou-se no segundo Palhaço Picolino, substituindo seu pai, que deu vida ao primeiro.

Depois do fim do Circo Nerino, em 1964, Avanzi dedicou-se ao Circo Garcia, com o qual percorreu o Brasil até os anos 1970. No fim dessa década, passou a ensinar a arte circense na Academia Piolin, em São Paulo.

Ainda foi professor do projeto Enturmando e da Escola Picadeiro, além de ter inspirado a criação da Escola Picolino de Artes do Circo, em Salvador.

Foi mentor de nomes de renome hoje, como o LaMínima, grupo fundado há 20 anos por Fernando Sampaio e Domingos Montagner.

Seu Palhaço Picolino participou do programa “Circo do Bambalalão”, da TV Cultura, na década de 1980, e nos anos seguintes trabalhou como ator na montagem de “O Jardim das Cerejeiras”, de Tchélhov, com direção de Élcio Nogueira e Tônica Carreiro e Renato Borghi no elenco; e também no filme “Narradores de Javé”, de Eliana Café.

Em 2004, parte para o memorialismo e lança com Veronica Tamaoki um livro sobre o Circo Nerino. Os dois também ajudaram a fundar, há nove anos, o Centro de Memória do Circo, no Centro Cultural Olido, em São Paulo.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

UTILIDADE

Pedidos de indenização do DPVAT já podem ser feitos por smartphone

Publicado

em

Beneficiários e vítimas de acidentes de trânsito poderão, a partir de agora, dar entrada nos pedidos de indenização diretamente ao Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Seguro DPVAT) pelo aplicativo para smartphone, lançado hoje (10) em todo o país, pela Seguradora Líder, administradora do DPVAT.

A plataforma está disponível gratuitamente para Android e IOS para os pedidos de indenização por morte, invalidez permanente ou reembolso de despesas médicas, diretamente à Seguradora Líder.

As seguradoras consorciadas e os corretores parceiros também poderão enviar os pedidos recebidos via aplicativo. A Seguradora Líder estima que nos primeiros meses após o lançamento do aplicativo, cerca de 20% das solicitações de indenização já serão realizadas por meio dessa plataforma digital.

O aplicativo está disponível para download na Apple Store e no Google Play, com o nome Seguro DPVAT. O acesso é gratuito.

O DPVAT oferece três tipos de coberturas: morte (R$ 13.500), invalidez permanente (até R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e hospitalares da rede privada de saúde (até R$ 2.700). A proteção é assegurada por um período de até 3 anos a partir da data do acidente. Com informações da Agência Brasil.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

DIPLOMADA

Angela Bismarchi comemora diploma de pastora: ‘Eu era uma pecadora’

Publicado

em

© Reprodução / Instagram

Após passar três anos estudando a Bíblia por, pelo menos, três horas durante o dia, Angela Bismarchi foi diplomada em Teologia e recebeu um certificado que garantiu seu direito de ser pastora e já até foi discipulada na Primeira Igreja Batista com outras 14 mulheres.

“O ano de 2018 foi o que mais me dediquei à igreja e ao estudo do evangelho. Chego em 2019 pronta para estar ainda mais perto do meu objetivo que é servir a Deus. Já posso ser pastora”, contou a ex-modelo, eufórica.

Angela, que já posou nua e fez ensaios sensuais, desfilou no carnaval usando apenas pintura corporal e teve seu nome envolto em muitas polêmicas, afirma ao EXTRA que tudo faz parte do passado. “Me arrependo do que fiz e o que fui. Eu era uma pecadora, mas não sabia”, relembra.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

MAIS LIDAS - 24 HRS