Fique Conectado

Educação Ambiental

Ações são planejadas e acompanhadas por comissão especial

Comissão foi criada com a finalidade de promover ampla discussão, elaboração e implementação da Política Municipal de Educação Ambiental

A comissão prima para que os objetivos do programa sejam atingidos e os resultados alcançados com sucesso.
Anunciante

Em Penápolis as ações, eventos e projetos de Educação Ambiental, desenvolvidos junto à rede escolar e à comunidade são planejados e acompanhados de perto pela Comissão Municipal de Educação Ambiental. Os membros se reúnem mensalmente para discussão e avaliação.

Segundo explicou a presidente da comissão, a pedagoga Fernanda Marin Campachi, é atribuição do grupo supervisionar se, e como, estão sendo desenvolvidas as diretrizes do Programa de Educação Ambiental do município de Penápolis.  “A comissão prima para que os objetivos do programa sejam atingidos e os resultados alcançados com sucesso. É um trabalho de grande importância que agrega diversos setores, servindo inclusive para o exercício do diálogo entre sociedade e poder público”, destacou a presidente.

“Ela foi criada com a finalidade de promover ampla discussão, elaboração e implementação da Política Municipal de Educação Ambiental”, acrescentou. A Comissão Municipal de Educação Ambiental de Penápolis é composta pelos membros: Fernanda Marin Campachi (presidente), representando o Departamento de Água e Esgoto; Lucimari Domingues Oliveira (representante da Secretaria Municipal de Saúde); Maria Francisca Bonini Manzano (representante da Secretaria Municipal da Educação); Diego Agostini Cordeiro (representante do Conselho Municipal do Meio Ambiente); Sérgio Eduardo Rodrigues (representante do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável); e Neuman Pinheiro (representando a Diretoria Regional de Ensino).

Oque você acha disso?

Secretaria de Comunicação de Penápolis
Anunciante

Acidentes

Estado de SP apresenta queda nas fatalidades de trânsito em 2017

Infosiga SP mostra que redução foi influenciada pela diminuição de óbitos entre ocupantes de automóveis; motociclistas e pedestres lideram

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito  divulgou o número de óbitos causados por acidentes de trânsito em 2017. Segundo o Infosiga SP, 5.645 ocorrências fatais foram registradas nos 645 municípios. O número representa uma redução de -1,4% na comparação com 2016 e 82 mortes evitadas.

Em dezembro, foram registradas 523 fatalidades, alta de 2,1% na comparação com mesmo período do ano passado (512 óbitos).

“Nosso papel é continuar a mobilizar os municípios e demais envolvidos na gestão do trânsito para que as ações se concretizem. Os convênios firmados com mais de 100 cidades prevêem R$ 110,5 milhões em recursos para mais de 5.200 projetos de melhoria viária e educação. Essas ações certamente contribuirão para salvar mais vidas no trânsito”, explicou a coordenadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, Silvia Lisboa.

Desde o início dos registros do Infosiga SP, que contemplam dados a partir de 2015, a redução é de -6,9% nas fatalidades no trânsito. Na comparação dos dados de 2017 com a projeção de óbitos para este ano, a redução é de 25,4%.

A projeção para este ano, feita a partir dos números registrados desde 2010, ano referência para a Década de Ação pela Segurança no Trânsito estabelecida pela ONU, era de 7.571 óbitos.

A meta do programa é reduzir em pela metadeo número de óbitos na comparação com a projeçãopara 2020 (7.761 fatalidades).

Automóveis

As fatalidades envolvendo ocupantes de automóveis tiveram redução de -6,6% na comparação com 2016. Ao todo, foram registradas 1.335 fatalidades neste ano, contra 1.429 no período anterior.

Já as fatalidades envolvendo motociclistas lideraram as estatísticas. Em 2017, 1.900 usuários de moto foram vítimas de acidentes, o que representa 33,6% do total e aumento de 9,4% na comparação com 2016 (1.737 casos).

Em segundo lugar nas estatísticas, os pedestres correspondem a 28,3% das vítimas no trânsito. Foram 1.596 fatalidades no estado, aumento de 7,2% na comparação com o ano passado (1.489).

Idosos com mais de 60 anos são as principais vítimas (34,4%) e as ocorrências concentram-se nas vias municipais (54,8%).

Ainda que ciclistas representem apenas 6,3% das fatalidades de trânsito no estado (359 casos), houve aumento de ocorrências em 2,9% em 2017 (349 casos em 2016).

O perfil das vítimas ciclistas é masculino (95,3%), com idade entre 30 e 59 anos (39,3%) e que trafega pelas vias urbanas (54,9%).

Noite e fim de semana

A incidência de acidentes fatais está concentrada nos períodos da noite e nos fins de semana. Mais da metade das fatalidades (54,3%) ocorrem entre 18h e 06h e 48% após as 18h de sexta-feira e até as 06h de segunda-feira. Jovens com idade entre 18 e 29 anos representam 1 em cada 4 vítimas (26,4%) e 81,5% são do sexo masculino.

Oque você acha disso?

Continue Lendo

Acidente

Mulher perde controle de carro e bate em árvore na entrada de Guararapes

Motorista perdeu o controle e bateu em árvore (Fotos: Josiane Lorensetti)

Uma mulher perdeu o controle do carro que dirigia e bateu em uma árvore na estrada vicinal Tenente Rio Branco Antunes, na entrada de Guararapes. O acidente ocorreu na tarde desta sexta-feira (19).

O veículo, um Corsa Sedan, era ocupado pela motorista e três filhos. Os passageiros sofreram escoriações leves.

A mulher foi socorrida por uma unidade de resgate. A causa do acidente ainda é desconhecida. A batida ocorreu no sentido rodovia Marechal Rondon ao município de Guararapes, já na área urbana.

O Corsa ficou bastante danificado. O local do acidente foi isolado para perícia.

Veja vídeo do local do acidente:

* Josiane Lorensetti/ Colaboração

Oque você acha disso?

Continue Lendo

SUSPEITA

Processo seletivo para ESF em Birigui é alvo de denúncia no Ministério Público

Técnica de enfermagem teria sido convocada para contratação sem ter participado de processo seletivo

Uma técnica de enfermagem de Birigui, que preferiu manter a identidade em sigilo, registrou nesta quinta-feira uma denúncia no Ministério Público sobre possível irregularidade no processo seletivo para contratação de profissionais para integrar as equipes de saúde da família realizado pela Santa Casa de Birigui, que administra o serviço na cidade, mantido por meio de convênio entre prefeitura e Ministério da Saúde. Uma profissional cujo nome não constava nas fases do processo seletivo foi chamada para ocupar uma das vagas de técnico de enfermagem.

De acordo com a denunciante, a Santa Casa lançou edital no primeiro semestre do ano passado para realização do processo seletivo para a formação das equipes. No dia 17 de julho, após a primeira fase (uma prova), foi publicada, na própria página do facebook da Santa Casa de Birigui, uma lista com 60 nomes das pessoas que iriam para a etapa seguinte, que era a fase de avaliação psicológica.

Após essa avaliação, ainda em julho do ano passado, saiu uma nova lista com os 20 primeiros classificados. Na ocasião os responsáveis pelo processo seletivo recomendou que os demais candidatos ficassem atentos na página do facebook, porque poderiam surgir novas convocações, devido às desistências e até mesmo desligamentos após o período de experiência dos primeiros 20 aprovados.

A denunciante disse que, desde então, acompanha diariamente a página do hospital na esperança de ver seu nome publicado.

No entanto, ela ficou sabendo que seu nome havia sumido da lista de classificação sem um motivo específico. Ela também afirma não ter tido acesso a uma lista que mostra a ordem de classificação dos 60 candidatos que participaram da avaliação psicológica.

No último dia 15 ela viu na página do facebook do hospital uma nova convocação para o cargo de técnico de enfermagem. E para sua surpresa, ela foi verificar a lista com os 60 nomes de candidatos que foram convocados para a fase de avaliação psicológica e constatou que a profissional convocada para se apresentar no dia 15, não havia participado desta fase do processo seletivo.

Indignada, ela fez uma denúncia online no Ministério Público (imagem ao lado) de Birigui e foi pessoalmente levar os prints que comprovariam sua denúncia.

A reportagem do Regional Press entrou em contato com a assessoria de imprensa da Santa Casa de Birigui. Por telefone, a reportagem foi informada que a administração do hospital já tinha conhecimento da denúncia e estava apurando. A assessoria de imprensa também informou que iria emitir uma nota sobre o caso até o final da tarde desta quinta-feira, mas a reportagem não obteve mais retorno e não conseguiu manter contato com o assessor de imprensa na manhã desta sexta-feira.

Oque você acha disso?

Continue Lendo

Facebook

Anunciante

MAIS LIDAS - 24 HRS