Oi, o que você está procurando?

Varejo paulista inicia o ano com crescimento de 4,2% nas vendas

Segundo a FecomercioSP, faturamento real atingiu R$ 48,4 bilhões em janeiro, quase R$ 2 bilhões acima do valor apurado no mesmo mês de 2016

Após um 2016 difícil, no qual o comércio varejista do Estado de São Paulo basicamente não avançou, os dados do setor em janeiro mostram aumento expressivo das vendas no Estado e apontam claramente para o início de um ciclo de crescimento em 2017. No primeiro mês do ano, o varejo paulista registrou faturamento real de R$ 48,4 bilhões, alta de 4,2% na comparação com janeiro de 2016, cerca de R$ 2 bilhões acima do valor apurado no ano passado. Foi o quarto melhor resultado para o mês de janeiro desde o início da série histórica, em 2008. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor apresentou alta de 0,8%.

Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).

Entre as 16 regiões analisadas pela Federação, apenas Osasco (-10,3%), Bauru (-4%) e Guarulhos (-1,6%) registraram queda no faturamento em janeiro, na comparação com o mesmo mês de 2016. Os melhores desempenhos foram observados nas regiões de Marília (13,4%), Araraquara (12,8%) e Ribeirão Preto (11,4%).

Das nove atividades pesquisadas, seis mostraram aumento em seu faturamento real em janeiro: concessionárias de veículos (19,5%), farmácias e perfumarias (16,0%), autopeças e acessórios (15,4%), materiais de construção (9,1%), lojas de móveis e decoração (7,0%) e outras atividades (6,9%). Juntos, estes segmentos contribuíram com 5,7 pontos porcentuais (p.p.) para o resultado geral.

Já as retrações foram vistas nas atividades de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-9,2%), lojas de vestuário, tecidos e calçados (-5,2%) e supermercados (-0,8%), resultando em um impacto negativo de 1,5 p.p. para o comércio varejista paulista em janeiro.

Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, a melhora nas vendas do varejo paulista foi motivada por diversos fatores, como a criação de vagas formais, a queda da inflação e dos juros, elevação na renda agrícola por conta do forte aumento de exportações de commodities (setor no qual São Paulo tem forte presença), que acabam por ajudar também na melhoria nos indicadores de confiança dos consumidores e empresários.

Expectativa

De acordo com a FecomercioSP, o Estado, pela sua estrutura produtiva, se beneficia direta e mais intensamente da boa performance das exportações, além da conjunção dos demais fatores já alinhados, o que o credencia a mostrar mais rapidamente uma reação no desempenho do comércio. Diante dessas evidências, a Entidade aponta que está em curso um nítido processo de recuperação do mais profundo e longo ciclo recessivo das vendas do comércio paulista, iniciado no primeiro trimestre de 2014.

Levando em conta a trajetória recente do comércio varejista, ao lado do comportamento conjunto dos principais indicadores econômicos e suas perspectivas, a Federação reavalia as projeções para o desempenho do comércio paulista para este ano, apontando para uma taxa de crescimento das vendas de 2,8%, acima da projeção anterior de 2,5%.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!