Oi, o que você está procurando?

Vítimas de ataque de abelhas relatam agonia e desespero

Das quatro vítimas do ataque do enxame de abelhas do tipo Oropa, em uma estrada rural no final da tarde desta segunda-feira entre Guararapes e Araçatuba, apenas uma continua internada na santa casa de Araçatuba. As quatro pessoas atacadas deram entrada no pronto-socorro da Santa Casa em estado grave e permaneceram internadas a noite toda.

O aposentado Onésio Lemos, de Guararapes, contou que eles foram pescar no local, e o que era para ser diversão virou uma verdadeira história de terror. O relato na íntegra do da vítima Onésio.

“Fui pescar no local e deixei meu carro perto da ponte. De repente levei umas picadas e comecei a bater para matar as abelhas. Meu Deus, de repente tinhas umas quinhentas abelhas, corri para o carro do meu colega, entre e fechei os vidros e a porta. Mas elas estavam to das grudadas em mim, na roupa, no rosto no cabelo, e comecei a levar muitas ferroadas.

A mulher estava do outro lado da ponte e veio para o meu lado para prestar socorro. E eu dei sinal para ela voltar. Quando ela estava correndo, caiu por causa de um problema no joelho. E eu no carro estava me batendo, as abelhas entravam no ouvido, picavam os olhos…

Aí resolvi sair do carro do meu amigo para correr pro meu carro. Aí eu vi uma mulher de bicicleta sendo atacada e gritando por socorro. Quando consegui entrar no meu carro tinham mais abelhas. Foi quando meu telefone, graças a Deus tocou, e era o filho dela, e eu pedi pelo amor de Deus para ele chamar uma ambulância. Aí eu já estava vomitando e mal conseguia falar.

De tanto eu matar abelhas eu abri o vidro do carro e aos poucos elas foram saindo. Quando os bombeiros chegaram já havia diminuído bastante”.

Onésio contou à reportagem que até as 4h da manhã a equipe de enfermagem da Santa Casa de Araçatuba ainda tirava os ferrões de seu corpo. Na manhã desta quarta-feira ele ainda senti dores e tontura.

A outra vítima, Valderina da Silva cruz, de 71 anos, é a única que ainda permanece internada. Hoje pela manhã ela foi tomar seu primeiro banho e encontrou mais de 40 abelhas por dentro da roupa e no meio dos cabelos.

Ela está com o corpo todo marcado e disse que sua maior preocupação era com seu filho, que é especial, tem 40 anos, e estava junto no local no momento da pescaria.

A quarta vítima é Antônio Bueno, de 57 anos. Todos estavam com picadas em cerca de 80% do corpo, e apresentaram quadro de vômito. Eles foram socorridos por viaturas do Corpo de Bombeiros.

A assessoria de imprensa da Santa Casa informou que, de acordo com a supervisão de enfermagem da Unidade de Urgência Emergência, de imediato foram ministradas medicações para aliviar o impacto da dor, que todos relatavam como insuportáveis; e medicação para conter o vômito, reação de defesa imunológica característica em pacientes que sofrem picadas de abelhas.

Depois, toda a equipe de enfermagem e médicos retiraram os ferrões que estavam nas áreas atingidas. O procedimento foi longo, pois a quantidade de picadas nos pacientes é incontável.

Após estabilizados, os pacientes permaneceram em observação clínica.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!