Oi, o que você está procurando?

Por suspeita de abuso, Justiça proibiu atirador de Campinas de ver o filho

A advogada da ex-mulher do atirador que matou 12 pessoas em Campinas no réveillon, Luciana Helena de Castro, informou que o suspeito chegou a ficar proibido pela Justiça de visitar o filho temporariamente.

Segundo informações do G1, a decisão ocorreu em um processo, datado de 2013, que apurava uma denúncia de abusos cometidos pelo pai contra o filho. No entanto, os psicológos não atestaram o abuso, mas sim “comportamento inadequado”.

De acordo com a publicação, a advogada não afirmou quanto tempo o suspeito ficou sem ver a criança.

Com isso, a Justiça determinou que Sidnei Ramis de Araujo, de 46 anos, pudesse fazer visitas assistidas, com a presença da mãe, somente em domingos alternados de 9h às 12h.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!