Oi, o que você está procurando?

Rafael Silva vence uzbeque Abdullo Tangriev e leva o bronze no judô

O brasileiro Rafael Silva, o “Baby”, ganhou o bronze no judô na categoria pesado (acima de 100 kg) – ele conquistou a mesma medalha em Londres, 2012. Baby aplicou um yoko no uzbeque Abdullo Tangriev e conquistou a quarta medalha do Brasil nos Jogos do Rio 2016.

Ele disputou o bronze após perder o duelo das quartas de final contra o favorito francês Teddy Riner, atual octacampeão mundial, bronze em Pequim 2008 e ouro em Londres 2012.

A parada diante do gigante Teddy Riner era duríssima. Depois de segurar o empate até a metade final da luta, o brasileiro levou um wasari do adversário, além de três punições, e não conseguiu virar o jogo, decretando sua derrota.

Lutas anteriores

Na segunda luta, diante do russo Ranet Saidov, Rafael Silva chegou a levar uma punição por um falso ataque, mas logo se recuperou. O número 12 do mundo ficou em vantagem no combate com os dois shidôs aplicados ao russo, o 14º da lista, ambas por falta de combatividade. Depois, com 3min31 de luta, conseguiu aplicar um golpe para definir a sua vitória com um ippon.

Pouco antes, Baby estreou com uma fácil vitória nos jogos Olímpicos do Rio. Ele abriu a sua participação entre os pesos pesados (mais de 100kg), na Arena Carioca 2, superando o hondurenho Ramon Pileta, o 75º colocado no ranking mundial, por ippon.

Rafael Silva ficou muito próximo da vitória com apenas 1min13 de luta, quando aplicou um wazari em Pileta. O hondurenho ainda recebeu uma punição (shidô) com 2min25 de combate. E com 3min22, o brasileiro conseguiu o ippon, assegurando a sua vitória na estreia nos Jogos do Rio.

Bronze nos Jogos de Londres, em 2012, Rafael Silva é a última esperança de medalha do judô brasileiro entre os homens no Rio 2016. Além disso, ele foi vice-campeão mundial em 2013 e medalhista de bronze em 2014.

Ainda assim, a sua presença na Olimpíada não chegou a ser uma certeza até a convocação, pois uma lesão o afastou por longo tempo dos tatames, inclusive forçando a sua ausência nos Jogos Pan-Americanos de Toronto em 2015.

Além disso, David Moura também possuía resultados expressivo recentes, tanto que está até melhor ranqueado do que Rafael Silva – é o nono melhor do mundo entre os pesos pesados, três posições à frente de “Baby”, que acabou sendo o escolhido para participar da Olimpíada.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!