Oi, o que você está procurando?

Amor platônico: por que acontece e como lidar com este sentimento

Contar os minutos para ver aquela pessoa especial; ficar feliz simplesmente por estar na companhia dela; se despedir e, minutos depois, já estar “morrendo de saudade”; compartilhar planos para o próximo fim de semana e também para o futuro… Há quem diga que amar e ser amado é mesmo uma das melhores sensações!

Porém, quando o amor não é correspondido, a situação costuma ser diferente… Muitas vezes causa sofrimento e pode diminuir a autoestima de uma pessoa.

E, embora não seja o único, o amor platônico é um tipo de amor não correspondido. Ele está associado à ideia de um amor inalcançável, distante, impossível…

A maioria das pessoas já ouviu falar sobre amor platônico, porém, poucas sabem de fato o que ele significa e ainda, grande parte acredita que ele seja um sentimento exclusivo da adolescência.

Ceci Akamatsu, formada em biologia e em diversas modalidades de terapias energéticas e holísticas, terapeuta acquântica, especialista do Personare e autora do livro “Para que o amor aconteça”, comenta que, quando o assunto é amor platônico, geralmente a pessoa se remete à adolescência, época das paixões pelos ídolos ou pela menina ou menino mais popular, pela pessoa mais velha, pelos professores etc.

Porém, ele também pode ocorrer em outras fases da vida.

“Geralmente o amor platônico está mais associado às mulheres, porque ainda existe, mesmo que apenas de forma inconsciente, a crença de que é o homem quem deve buscar a mulher. A mulher muitas vezes fica à espera de ser correspondida, enquanto o homem vai buscar de forma ativa a validação de seu amor. Com isso, a mulher acaba criando nesta espera um amor platônico”, explica Ceci. “Mas, sejamos homens ou mulheres, estamos sujeitos aos amores platônicos, em todas as idades. As pessoas com essa atitude mais retraída, menos proativas na vida afetiva, como no caso de timidez, acabam ficando mais sujeitas ao amor platônico”, acrescenta.

Afinal, o que significa amor platônico?

Ceci explica que o termo amor platônico tem origem na obra “O Banquete”, de Platão, que traz um diálogo filosófico acerca das definições do amor. “Diversas faces do amor são abordadas, porém, é Sócrates quem traz o amor como a busca pelo belo e bom. Essa seria uma busca pelo o que não se tem, por aquilo que falta”, diz.

“Uma vez que se conquista o amor, não se deseja mais, não se ama mais, porém, passa-se a se desejar o que vai vir a ser, ou seja, o amor que ainda não se tem no momento, o que falta. Com isso surge a ideia da busca pelo amor que está sempre além de nosso alcance”, acrescenta a especialista.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!