Oi, o que você está procurando?

Polícia registra aumento de 17% nas apreensões de cigarros contrabandeados

O secretário da Segurança Púbica, Mágino Alves Barbosa Filho, exaltou o trabalho das polícias Civil e Militar, que aumentaram em cerca de 17% as apreensões de cigarros contrabandeados neste ano. O discurso ocorreu durante abertura do Fórum Estadão sobre Combate ao Contrabando, na manhã desta sexta-feira (1º), na zona norte da Capital.

“De janeiro a maio deste ano, foram realizadas 689 apreensões de cigarros contrabandeados. Ano passado, foram 589”, afirmou o secretário. “Nestas ações, chegamos ao cúmulo de encontrar pirataria de produtos contrabandeados. Ou seja, falsificações de um produto desviado”.

Barbosa Filho explicou que mais do que um crime contra a ordem fiscal, muitas vezes a produção dos maços não segue as normas mínimas exigidas pela lei brasileira – o que torna um problema de saúde ainda mais grave do que o cigarro original. Muitas das fábricas clandestinas fechadas pelas polícias estaduais não possuíam higiene e até misturavam diversos produtos junto ao tabaco para “render mais”.

O secretário lembrou algumas ações policiais, como a prisão de 15 pessoas em uma fábrica clandestina em Cotia, nesta quinta-feira (30). Em maio, outra fábrica havia sido fechada em Vargem Grande Paulista. Um mês antes, 500 mil maços contrabandeados foram apreendidos no centro da Capital.

Até maio, o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) já tinha apreendido 700 mil objetos falsificados – o que representa o recolhimento de cerca de R$ 9 milhões, se fossem originais. A Polícia Militar Rodoviária, até o mesmo mês, já havia encontrado 8.249.696 maços que entraram ilegalmente pelas fronteiras.

“Apesar de nem sempre de fácil percepção na sociedade, esta é uma infração penal que corrói a economia, gera corrupção, ataca a saúde pública e alimenta o crime organizado”, afirmou Barbosa Filho.

Outras ações

De outros objetos, o crescimento das apreensões foi de 36,36%, passando de 66 registros de ocorrências sobre “Contrabando e Descaminho” para 90 casos.

Barbosa Filho disse ainda que não apenas a Segurança Pública, mas outras pastas estão empenhadas no combate ao contrabando de produtos. “O governador Geraldo Alckmin tem cobrado a SSP, a Fazenda e outras secretarias para ações cada vez mais rigorosas, visando a eliminação dessa prática tão nociva à nossa sociedade”.

O secretário também disse, durante o fórum, que irá se reunir com outros órgãos para traçar ações de combate ao tráfico e contrabando de armas e drogas. Ainda nesta sexta-feira, Barbosa Filho se encontrará com o ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, e os secretários de Segurança Pública do Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul para a criação de núcleos permanentes operacionais e de inteligência.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!