Oi, o que você está procurando?

Supremo mantém com Moro casos sobre mulher e filha de Cunha

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta quarta-feira (22) pedido de Cláudia Cruz e Danielle Cunha, respectivamente mulher e filha do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para serem processadas junto com ele na Corte no caso relativo às contas secretas naSuíça.

Por maioria, foi confirmada decisão de março do ministro Teori Zavascki, que repassou ao juiz Sérgio Moro, da primeira instância, as suspeitas sobre as duas, pelo fato de não terem o chamado foro privilegiado, direito de parlamentares serem julgados na Corte.

Em nota, o advogado de Cruz, Pierpaolo Bottini disse que ela respeita a decisão do STF, mas informou que vai pedir que o caso seja remetido ao Rio de Janeiro, alegando que a Corte reconheceu não existir relação entre seus atos e aqueles imputados a Cunha.

“O juízo competente para julgar o fato de ela ter conta no exterior é o de seu domicílio fiscal, como disposto na lei em vigor”, diz a nota.

Segundo a acusação, a mulher do peemedebista teria recebido, numa conta na Suíça, parte do dinheiro supostamente oriundo de propina que Cunha teria levado num negócio da Petrobras na África.

A filha do deputado teria sido beneficiada com despesas pessoais num cartão de crédito ligado à conta. No último dia 9 de junho, Cláudia Cruz se tornou ré no caso, a partir da decisão de Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, de aceitar denúncia contra ela. Danielle, por sua vez, ainda é investigada no caso.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
90