CONECTE CONOSCO

HISTÓRIA AMEAÇADA

Antiga estação ferroviária, na Avenida dos Araçás, será demolida

Publicado em



A antiga estação ferroviária de embarque de passageiros, localizada na Avenida dos Araçás, em Araçatuba, será demolida. A informação foi confirmada pela Prefeitura ao Regional Press e à Band FM 96,9, na manhã desta segunda-feira (25). O município informou que está em estudo o que será feito na área e ainda não definiu a data em que o prédio será derrubado.

A decisão divide opiniões. De um lado, o município argumenta que a demolição irá proporcionar melhor urbanização da área e integração da zona sul com a zona norte. De outro, historiadora e arquiteto defendem que, embora não seja tombada como patrimônio histórico, a construção é antiga e faz parte da história da cidade.

A demolição da estação é um pleito antigo da loja de departamentos Havan, na Avenida dos Araçás. A empresa chegou a solicitar, na gestão municipal anterior, a destruição do prédio daquela que funcionava como plataforma de embarque de passageiros de trens, para que a loja tivesse maior visibilidade na região central da cidade.

Na época, porém, o Conselho Municipal de Políticas Culturais se posicionou contra e a iniciativa não avançou.

OBRA

A antiga estação foi construída em 1963. O projeto é do arquiteto Luís Soares Villaça, com obra realizada pela empresa Valter Ishida Eng. E Const. Ltda.

De estilo moderno, a construção trouxe uma inovação tecnológica, segundo o arquiteto Mauro Rico. “Sob o ponto de vista técnico-construtiva, a obra marcou uma época com sua laje em balanço, sem colunas, e um sistema modular, com a mesma peça de concreto ao longo de toda a plataforma”, detalhou.

Ele é contrário à demolição, porque o prédio, embora não seja tombado, marca um período de pujança econômica do município. “Aquilo funcionava a todo vapor. Duas locomotivas de passageiros que saíam de Araçatuba, todos os dias”, relembra o arquiteto araçatubense.

HISTÓRICA

Para a historiadora Ângela Liberatti, a antiga estação ferroviária é, sim, considerada um prédio histórico. “Se Araçatuba tem 110 anos, uma construção que tem 56 anos é considerada antiga”, argumentou. O município tinha 55 anos de fundação quando a obra foi inaugurada. Ela também é contrária à demolição.

“As construções estão ligadas a uma época, a um modo de viver a cidade”, argumentou. “Elas acabam constituindo a memória da cidade, a ligação do cidadão com a cidade”, complementou.

Ela reconhece que o prédio é mal aproveitado, mas está na memória das pessoas e, se for demolido, uma característica importante da cidade irá desaparecer.

Outro argumento da historiadora é que a estação é um símbolo da história de Araçatuba, que começa com a ferrovia. “Ela é a última memória da nossa origem, da nossa emergência como cidade”, destacou.

Ela afirma, ainda, que o município já perdeu a referência da expansão cafeeira, que marcou a história da cidade, e agora não pode perder a referência da ferrovia. “A memória do patrimônio deveria ser melhor trabalhada”, defendeu.

Ângela diz, também, que o município precisa de espaços e a estação poderia ser melhor aproveitada, sendo utilizada como salas para quem espera o ônibus, já que é próxima do terminal urbano, ou mesmo como uma repartição municipal.

“É uma construção sólida, bem feita, o prédio é fresco, não precisa nem de ar-condicionado”, argumentou. Ela disse ainda considerar a demolição um desperdício, pois o espaço teve um custo para ser construído, o município vai gastar para demolir a obra e ainda terá de custear o projeto do que será feito no local.

Na antiga estação, funciona parte do Departamento Municipal de Trânsito (Demtra) e um guichê da Transportes Urbanos Araçatuba, para venda de passes e carregamento do cartão da empresa.

CONSELHO

A arquiteta Marina Colaferro, titular da Câmara do Patrimônio Histórico e Cultural do Conselho Municipal de Políticas Culturais, disse que ainda não havia sido informada oficialmente sobre a demolição e que não poderia comentar o assunto.

 

 

PLATAFORMA DE EMBARQUE FOI INAUGURADA EM 1963 E É

CONSIDERADA A QUARTA ESTAÇÃO DE ARAÇATUBA

 

A antiga plataforma de embarque de passageiros, localizada na Avenida dos Araçás, é considerada a quarta estação ferroviária de Araçatuba e foi desativada em 1992, após a retirada dos trilhos da área central da cidade.

A chegada dos trilhos a Araçatuba se deu em dois de dezembro de 1908, data que se tornou oficial como aniversário de fundação da cidade.

A primeira estação da cidade, pertencente à Companhia de Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, funcionava em um vagão de madeira, com uma plataforma também de madeira, localizada na ponta dos trilhos, perto de onde é a Secretaria Municipal de Cultura. O local servia como ponto de apoio aos ferroviários.

A primeira estação da cidade funcionava em um vagão de madeira

Na década de 1912, a cidade ganhou uma estação de alvenaria, no mesmo local. Um terceiro edifício substituiu esta estação, também em alvenaria e maior, em 1925, já no local onde foi erguida a última estação, em 1963.

As informações constam do relatório final do projeto de iniciação científica da bolsista Camila Teixeira Gonçalves, da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

A última estação, que a Prefeitura pretende demolir, foi inaugurada em 31 de dezembro de 1963.

Uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, de 13 de maio de 1962, informa que a estação teria um total de 1.600 metros quadrados e deveria ser entregue em fevereiro de 1963, mas só o foi em dezembro daquele ano.

Com a retirada dos trilhos do centro da cidade, em 1992, a estação foi desativada e transferida para uma nova, Ferdinando Laboriaux, que hoje está praticamente abandonada. O transporte ferroviário de passageiros foi extinto três anos depois, por causa do baixo interesse no modal como meio de transporte.

 

 

 

 

 

Deixe sua opinião

Fonte:
Anunciante

NA MÍDIA

Araçatubense participa de programa de TV para digital influencers

Publicado em

Mulher de Roberto Justus comemorou a participação de Mariah Bernardes Maia em seus stories no Instagram

A influencer araçatubense Mariah Bernardes Maia fez uma rápida participação no programa O Aprendiz na Band, atração de empreendedorismo apresentada por Roberto Justus, nesta segunda-feira (22).

A aparição de Mariah no programa tem uma explicação. É que, nesta edição, os competidores são influenciadores digitais e youtubers, exatamente a praia da araçatubense, que começou como blogueira e hoje é referência no mundo digital e também no da moda, área em que é formada pela Fundação Armando Alvares Penteado.

Mariah, aliás, tem sido inspiração para estilistas e donos de marcas, que lançam roupas e sapatos com a assinatura da influencer.

Em sua participação em O Aprendiz, Mariah citou a mulher e a filha de Justus, Ana Paula Siebert e Fabiana Justus, respectivamente. As duas são colegas de profissão da araçatubense e já se encontraram em viagens e eventos.

“Na próxima vez, quero estar aí no programa”, disse ela ao apresentador, em gravação exibida durante a atração.

Mariah e Ana Paula, por exemplo, se encontraram em janeiro em Aspen, no estado americano do Colorado, para onde foram nas férias para esquiar com suas famílias. Com Fabiana, ela se encontrou em um jantar em São Paulo, recentemente, para comemorar o lançamento de sua bota com uma famosa marca brasileira.

Em seu stories no Instagram, a esposa de Justus postou um pequeno vídeo com a participação de Mariah no programa e destacou: “Amei @mariah no @oaprendiznaband”.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

INFORME

Nota de esclarecimento da Samar sobre a qualidade da água distribuída em Araçatuba

Publicado em

1. A qualidade da água distribuída à população de Araçatuba obedece integralmente aos parâmetros exigidos pela legislação brasileira, definidos no Anexo XX da Portaria de Consolidação 5/2017, do Ministério da Saúde.

2. A legislação define os parâmetros e a frequência do monitoramento que devem ser realizados no controle de qualidade da água produzida e distribuída.

3. Em Araçatuba, a Samar realiza mensalmente uma média de mil análises, todas referendadas por um Eng. Químico responsável técnico, que avaliam características diversas, como turbidez da água, cor, cloro, coliformes totais, e, inclusive, análises que aferem parâmetros de metais e a presença de agrotóxicos.

4. As análises são realizadas também por laboratórios acreditados na ISO 17.025, que desde o início da concessão demonstram que os níveis atendem integralmente à legislação brasileira em vigor e estão dentro dos valores permitidos. Os Relatórios de Qualidade da água são enviados mensalmente ao Ministério da Saúde e disponibilizados no Sisagua para as vigilâncias sanitárias tanto do estado quanto do município.

5. Por isso, a Samar tem segurança em garantir que a água que abastece à população de Araçatuba obedece aos padrões de qualidade e potabilidade, pois está dentro dos limites de segurança estabelecidos pelas autoridades brasileiras de saúde.

6. Por fim, reafirmamos nosso compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população de Araçatuba.

CONTINUE LENDO

Jornalista Antônio Crispim será homenageado com título de Cidadão Araçatubense

Publicado em

O jornalista Antônio Crispim, 59 anos, editor chefe do jornal O Liberal Regional (Araçatuba), do grupo Sistema Regional de Comunicação, será homenageado nesta quarta-feira, às 19h30, sessão solene na Câmara dos Vereadores de Araçatuba, com a entrega do título de Cidadão Araçatubense. O autor da homenagem é o vereador Dr. Jaime José da Silva.

Crispim, como é conhecido, é um dos mais experientes jornalistas em atividade no interior paulista. Em quatro décadas de atividades, trabalhou em empresas de expressão internacional, como jornal Folha de São Paulo e revista Isto é. Também atuou nos mais importantes veículos de comunicação da região, como Rádio Andradina, Rádio Difusora Cacique (Nova Andradina), Jornal da Região (Andradina), Folha de Santa Fé, Folha de Ilha Solteira, Folha de Pereira Barreto, Jornal A Verdade (pereira Barreto e atualmente atua no jornal O Liberal Regional, com sede em Araçatuba e que abrange as regiões de Lins, Andradina e Pereira Barreto.

O jornalista também atuou em outros três estados em setores de comunicação como Camargo Correa, em Tucuruí (PA) e Rádio Clube de Santarém (PA). É casado com Rosimeire Aparecida Rufino e pai de três filhos, Maira Cristina de Souza Crispim, Higor Vinícius dos Santos Crispim e Antônio Crispim Júnior.

Ele tem um bom relacionamento com todos os colegas de profissão e conhecido por ter na memória, fatos, datas e nomes, com precisão, dos principais acontecimentos da região e do país. Em quase 40 anos de profissão já inspirou muitos aspirantes a jornalistas, entre eles Jean Oliveira, hoje assessor de imprensa da Prefeitura de Araçatuba. Também foi uma segunda fonte de ensinamento de vários estudantes de jornalismo que já passaram pelo jornal O Liberal como estagiários. Apesar de estar prestes a se aposentar, não pretende deixar o jornalismo tão cedo.

O autor da honraria, vereador Dr. Jaime José da Silva, explica que Crispim atua há 16 anos em Araçatuba e somado a todo o período como profissional apaixonado pelo jornalismo, tem relevantes serviços prestados à sociedade de forma plural e imparcial em relação a produção de conteúdo, contextualização e construção da cidadania, sempre atuando com muita ética que marca o seu profissionalismo.

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

Plenário aprova nova proposta para denominação de vias públicas

Publicado em

Foto: Angelo Cardoso/Câmara Municipal de Araçatuba

Com 14 votos favoráveis, o Plenário da Câmara Municipal de Araçatuba aprovou nesta segunda-feira (22), em discussão única, o projeto de lei complementar do vereador Gilberto Batata Mantovani (PR) que altera a lei municipal sobre a regulamentação de prédios, vias e logradouros públicos.

Na prática, a proposta prevê que antes dos nomes das pessoas poderá constar o título da categoria profissional ou graduação dos homenageados. Segundo o autor do projeto, a iniciativa permitiria uma breve divulgação da história da pessoa que dá nome a uma via ou logradouro público.

Este foi um dos oito itens apreciados durante a 12ª sessão ordinária do ano, que ainda teve outros três projetos de lei aprovados, dois rejeitados, um recurso acolhido e outro adiado.

O Plenário aprovou, com emenda do vereador Dr. Jaime (PTB), líder do governo municipal na Câmara, um projeto de lei da vereadora Cláudia Crepaldi (PCdoB) que dá nova redação à lei municipal que criou o Auxílio Atleta Amador.

Pela emenda apresentada, a ajuda financeira destinada às despesas com a concessão do benefício aos esportistas não poderá ultrapassar, por mês, o valor de R$ 52 mil.

Os integrantes da Mesa Diretora obtiveram o aval dos demais parlamentares para a aprovação do projeto de resolução que reduz de 11 para 7 o número de comissões permanentes, unificando assuntos de sua competência, sem, contudo, diminuir as atribuições de cada uma delas.

Pelo texto aprovado, as comissões, compostas por três membros cada, passam a ficar assim denominadas: Justiça e Redação; Finanças e Orçamento; Assuntos Econômicos; Meio Ambiente e Infraestrutura Urbana e Rural; Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia; Saúde; e Direitos Humanos e Cidadania.

REJEITADOS

Dois projetos de lei assinados pelo vereador Dr. Almir (PSDB) foram rejeitados na 12ª sessão. O primeiro deles, que buscava criar o Programa Especial de Controle de Escorpiões no município recebeu 13 votos contrários e apenas um favorável: o do próprio autor.

O outro projeto apresentado pelo vereador Dr. Almir buscava incluir a Semana da Arborização Voluntária no Calendário de Eventos da Cidade. A proposta recebeu 10 votos contrários e 4 favoráveis.

RECURSOS

Por maioria de votos, o Plenário aceitou o recurso do vereador Rivael Papinha (PSB) pelo não recebimento do projeto de lei busca proibir o uso de logotipos e cores de representação político-partidárias pelos órgãos da Prefeitura.

A pedido do próprio autor, vereador Dunga (DEM), os demais parlamentares concordaram com o adiamento por quatro sessões de um recurso que pedia reconsideração pelo não recebimento de um projeto de lei que visava a alterações de dispositivos na lei municipal de criação do Sistema Rotativo (Área Azul) na cidade.

 

Deixe sua opinião

CONTINUE LENDO

©2018 Regional Press- Direitos Reservados | Vamos fazer um site? Logo RC Criativa