Connect with us

ECONOMIA

Pecuaristas acreditam em estabilidade no preço da arroba do boi em 2019

No ano passado, valor passou por oscilações que somaram quase 8%

Publicado

em



Depois de um ano com grandes oscilações no preço da arroba do boi, os pecuaristas da região de Araçatuba começam 2019 com expectativas de melhora no cenário econômico. Em 2018, a arroba iniciou o ano a R$ 146, chegando a R$ 138 em junho, fechando em R$ 149, uma oscilação de quase 8%.

Situação que fez com que Carlos Mestriner, proprietário da Agropecuária Ônix, de Birigui, buscasse alternativas para garantir as vendas. Desde 2003, a fazenda trabalha com produção de Nelore para corte, fornecendo carne para frigoríficos do estado de São Paulo e do Mato Grosso do Sul. E também, com produção de matrizes e touros para uso próprio e venda de genética.

“Tivemos que administrar bem o preço das vendas em 2018. Vendemos em todos os meses, sendo que em alguns, pegamos em baixa, em outros, um pouco mais acima. Conseguimos ter, pelo menos, um equilíbrio nos preços para supera essa oscilação”, explica.

Além de procurar vender a um preço médio durante o ano, Mestriner destaca que teve que fazer algumas mudanças para diminuir custos. A troca de fornecedores para garantir melhores preços na compra de suplementação alimentar para o gado foi uma delas. Isso por que, a seca predominou no ano passado, prejudicando as pastagens e aumentando a necessidade de suplementar a alimentação dos animais.

“Foi um ano difícil. Pois além da oscilação da arroba, sobretudo com preços baixos, tivemos o agravante da falta de chuva, que afetou muito as pastagens e o aumento no preço dos insumos. Isso onerou muito a pecuária”, ressalta.
Para este ano, o pecuarista acredita que o cenário será melhor. “A safra que começou já está mais firme e não deverá cair. Acredito que 2019 venha com um cenário mais positivo que 2018”, finaliza.

A responsável pelo departamento administrativo da Nelore Zeus, em Birigui, Adriana Renata Rodrigues, acredita que 2019 promete ser promissor para o agronegócio. “Acreditando nessa melhoria do mercado, estaremos em 2019 disponibilizando um numero maior de touros melhoradores, touros mais jovens, apostando no aumento da produção de bezerros e na maior valorização da arroba”, afirma.
Ainda segundo ela, as exportações tendem a crescer atraindo assim uma maior procura pelos frigoríficos para compra de gado, dessa forma o pecuarista consegue negociar melhor sua venda, pois a pecuária trabalha com uma margem apertada.

ABERTURA DE MERCADO
Para o consultor de negócios, Fernando Fabris, a expectativa do mercado é de preços bons em 2019, com a melhora da economia e abertura de novos mercados para exportação de carne bovina. Fabris lembra que, dentre esses mercados, estão a Rússia, que após as eleições de 2018 voltou a comprar carne bovina do Brasil. O consultor afirma que, com o dólar alto, as exportações se tornam ainda mais vantajosas para os criadores.

O Cepea/Esalq USP, o Centro de Pesquisas Econômicas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, campus da Universidade de São Paulo em Piracicaba, informou, em dezembro, que, apesar da variação durante 2018, o preço da arroba se manteve firme em dezembro. Esse contexto está atrelado aos valores da carne negociada no mercado atacadista e à menor oferta de animais prontos para abate.

Outro fator para a elevação da arroba em alguns períodos do ano passado, segundo o Centro, foi o volume recorde das exportações no segundo semestre de 2018 e a necessidade de aquisição de lotes de animais com características diferenciadas. Conforme o Cepea, mais especificamente na segunda metade de 2018, a baixa disponibilidade de lotes de animais confinados nos primeiros giros – dado o custo aumentado de produção – também foi responsável por impulsionar os valores da arroba.

Deixe sua opinião

Fonte:
Anunciante

Crianças participam de oficina de mudas de árvores no quarto dia da semana da água

Publicado

em

Nesta quinta-feira (21/03), as crianças atendidas pelo Centro de Atenção Psicossocial Infantil do município realizaram uma visita muito divertida no Zoológico de Araçatuba. Elas participaram de uma roda de conversa sobre o ciclo da água e a importância das árvores e ainda puderam manipular as mudas de árvores durante uma oficina de plantio.

A SAMAR- Soluções Ambientais de Araçatuba, também foi a convidada para falar sobre a água na empresa Nestlé. Cerca de 500 colaboradores da empresa entenderam sobre o processo de tratamento da água e aproveitaram para tirar dúvidas sobre o abastecimento da cidade.

Nesta sexta-feira (22/03), dia em que é comemorado o Dia Mundial da Água, as atividades serão concentradas na sede da SAMAR. Será apresentada uma peça teatral sobre a importância do tratamento da água com muita música e interação. O evento será encerrado com o lançamento do 6º Concurso de Desenho Ambiental, que tem como tema: Lixo: não deixe cair pelos canos. Rede de esgoto não é lixeira”.

O concurso é destinado para crianças entre 06 a 11 anos de idade. Este ano, o concurso vai premiar os cinco melhores desenhos de cada série. Ou seja, será escolhido um desenho de cada série (1ª,2ª, 3ª, 4ª e 5ª e 6ª juntas séries). Cada vencedor será premiado com um notebook.

Os desenhos, junto com as fichas de inscrição, podem ser entregues até o dia 22 de maio, na sede da SAMAR- Avenida Baguaçu, 1.530.

A partir desta sexta-feira (22/03) o regulamento e a ficha de inscrição do concurso estarão disponíveis no site www.samar.eco.br. A SAMAR também está disponibilizando no site o material de apoio para escolas e interessados sobre a temática do concurso.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Ilha Solteira

Caminhoneiro fica ferido ao tombar carreta em rodovia

Veículo estava carregado com três toneladas de MDF. Carga ficou espalhada e trecho precisou ser interditado.

Publicado

em

Caminhão tomba em rodovia de Ilha Solteira — Foto: Arquivo Pessoal

Um caminhoneiro de 33 anos ficou ferido após a carreta que ele dirigia tombar na Rodovia Feliciano Salles Cunha, em Ilha Solteira (SP), na manhã desta quinta-feira (21).

Segundo informações da Polícia Rodoviária, a vítima trafegava sentido Pereira Barreto (SP) quando, ao passar pela rotatória de entroncamento com a Rodovia dos Barrageiros, o veículo tombou.

Ainda de acordo com a polícia, o caminhão estava carregado com três toneladas de MDF. A carga ficou espalhada pelo acostamento.

O motorista foi socorrido pelos bombeiros com suspeita de traumatismo craniano e levado ao hospital de Ilha Solteira (SP). O trânsito no trecho precisou ser interditado, mas já foi liberado e o tráfego flui normalmente.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

TEMPORAL

Mãe e filha morrem após carro ser arrastado pela enxurrada em Bauru

Publicado

em

Carro foi arrastado e duas mulheres morreram em Bauru — Foto: Reprodução/TV TEM

A forte chuva que castigou a região Centro-Oeste Paulista na madrugada desta quinta-feira (21) causou vários estragos. Em Bauru (SP), mãe e filha, de 43 anos e 14 anos, morreram depois que o carro em que estavam foi arrastado pela enxurrada na Avenida Daniel Pacífico.

O veículo foi arrastado quando elas tentavam passar pelo córrego da grama que transbordou.

Parte do asfalto da avenida cedeu com a enxurrada. Outro carro também foi arrastado, mas os moradores informaram que o carro estava vazio.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

fiscalização

Vigilância Sanitária de Araçatuba aperta cerco a venda de produtos tóxicos

Publicado

em

A Vigilância Sanitária Municipal de Araçatuba (VISAM) realizou uma ação envolvendo a equipe de fiscais sanitários com o propósito de coibir a comercialização dos produtos tóxicos Aldicarb e Monofluoracetato de Sódio (composto 1080), conhecidos por “chumbinho” e “mão branca”.

A ação foi iniciada no final de fevereiro e seguiu até a segunda quinzena de março. Foram realizadas vistorias em vários estabelecimentos comerciais, como casas de ração, petshops, agropecuárias, minimercados, mercearias e empresa de controle de pragas urbanas.

Ao todo foram vistoriados 58 estabelecimentos, gerando 17 autos de infração e interdição de 639 pacotes de “mão branca” com princípio ativo Bromadiolone, que não tinham registro no Ministério da Saúde e na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Os produtos apreendidos não tinham notas fiscais, o que, segundo a VISAM, dificulta o acesso e penalidade aos distribuidores do veneno (raticida). Não foi encontrada nenhuma quantidade do popular “chumbinho”.

Os estabelecimentos foram orientados, notificados e autuados em caso de irregularidades, quanto a proibição da comercialização do “chumbinho e mão branca”.

As equipes permanecerão fazendo orientação em suas vistorias de rotinas e atendendo às denúncias.

DENÚNCIA

A Vigilância Sanitária recomenda que sejam denunciados os locais que comercializam a venda destes produtos. A denúncia deve ser feita no Atende Fácil.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

©2018 Regional Press- Direitos Reservados | Vamos fazer um site? Logo RC Criativa