Connect with us

MEDIDA

Ronaldinho Gaúcho se nega a cumprir sentença da Justiça

TJ determinou apreensão de passaporte do jogador

Publicado

em



A apreensão do passaporte de Ronaldinho Gaúcho e Assis, seu irmão e empresário, é uma decisão extrema em uma ação de crime ambiental. A medida, tomada na última quarta-feira, é característica de processos criminais. Mas o pedido do Ministério Público foi acatado mesmo se tratando de um processo cível porque a Justiça entendeu que houve descaso do ex-jogador.

Em 2015, Ronaldinho Gaúcho foi condenado a demolir as obras feitas em um terreno de Porto Alegre, localizado em área de preservação permanente. Ele também teria de pagar uma multa de R$ 800 mil. Já naquela época, a juíza Fernanda Carravetta Vilande apontava descaso por parte dos irmãos. Na sentença, ela escreveu que houve “desprezo à legislação e aos agentes públicos e, inclusive, ao comando judicial proferido (os réus, simplesmente, ignoraram a ordem antecipatória, sequer tendo apresentado contestação ou justificativa de qualquer espécie), fixo o valor de R$ 800 mil a título de indenização por danos ambientais”.

Esta condenação ocorreu três anos e oito meses atrás e, até agora, ele e Assis não cumpriram a sentença. “Os sujeitos responsáveis pela dilapidação do meio ambiente estão a se esquivar há longa data do cumprimento de suas obrigações legais”, escreveu o desembargador Newton Fabrício, integrante da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que tomou a decisão.

O fato de a apreensão dos passaportes ser determinada pelo Tribunal de Justiça significa que é uma decisão da segunda instância. O processo está em andamento desde 2012 e se baseou em uma investigação que começou em 2009. A apuração indicou a construção de um trapiche de 142 metros que começava nas margens do Lago Guaíba, Zona Sul de Porto Alegre, e invadia a água em 70 metros.

No final, havia uma plataforma para atracar barcos e uma de pesca. Ocorreu ainda a canalização de 110 metros de um riacho, a construção de duas pontes no local e pavimentação da margem esquerda do lago. O terreno onde tudo aconteceu pertencia ao Teresópolis Tênis Clube e foi comprado por Ronaldinho.

O UOL Esporte ligou para Assis diversas vezes durante a tarde e o começo da noite de sexta-feira e todas as chamadas foram encaminhadas para a caixa postal.

APREENSÃO DE PASSAPORTE

Esta não foi a primeira vez que o Ministério Público solicitou a apreensão do passaporte de Ronaldinho Gaúcho e Assis. Em 16 de janeiro deste ano, o juiz Ramiro Oliveira Cardoso avaliou a retenção deste documento ou da carteira de motorista dos réus. O argumento para não aceitar foi o fato de se tratar de uma medida característica de ações criminais.

“Indefiro o requerimento de depósito em juízo do passaporte e/ou carteira nacional de habilitação até o adimplemento da dívida por implicar o pleito em interdição temporária de direitos, espécie de medida restritiva, equiparável, portanto, a pena criminal”, escreveu o juiz da 3ª vara cível.

O processo em que Ronaldinho e o irmão foram condenados também determina o pagamento de indenização de R$ 8,5 milhões. O valor alto é uma atualização do montante estipulado na decisão de 2015. Na ocasião, a Justiça fixou indenização de R$ 800 mil, deu prazo de seis meses para as obras serem demolidas e multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento do prazo. Também consta da decisão da última quarta-feira não permitir a emissão de nenhum documento em nome dos réus.

Além dos dois irmãos, a empresa que construiu o trapiche e canalizou o riacho também foi condenada. Trata-se da Reno Construções e Incorporações Ltda. O UOL Esporte tentou contato em dois telefones e as ligações não foram atendidas.

FISCAIS BARRADOS

O descaso não é algo que ocorreu somente depois da sentença. Em todo o período, a Justiça apontou falta de colaboração de Ronaldinho e seu irmão. Em um trecho do despacho do juiz de primeira instância, Mauro Caum Gonçalves, foi mencionada a proibição de fiscais entrarem na propriedade onde ocorreu o crime ambiental.

“Também está comprovado, através dos documentos que os demandados (réus) efetuaram as obras referidas na inicial sem prévia licença ambiental e sem a realização de estudo de impacto ambiental, tendo sido, inclusive, impedida a entrada, em certa oportunidade, da equipe de fiscalização na área degradada”.

Mas ainda assim a investigação ocorreu porque vários vizinhos fizeram denúncias. O inquérito constatou que Ronaldinho e Assis foram avisados que a construção do trapiche e a canalização do rio caracterizavam crime ambiental.

“Todavia, ignoraram todas as advertências administrativas, tendo prosseguido na conclusão das obras, sem prévia licença ambiental e sem autorização dos órgãos responsáveis, conforme informação emitida pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente”, aponta um trecho da decisão do juiz de primeira instância.

As advertências foram repetidas durante dois anos e ainda assim Ronaldinho e o irmão prosseguiram com as obras. A apreensão do passaporte pode complicar os negócios de Ronaldinho, que constantemente está viajando por causa de ações de patrocinadores. Na quinta-feira, ele estava no Japão cumprindo compromissos.

Para se ter uma ideia da rotina do ex-jogador, o lançamento da camisa que a seleção brasileira usou na Copa da Rússia teve Ronaldinho Gaúcho como principal atração num palco montado na Avenida Paulista, em São Paulo. No backstage, repórteres de todo o país pediam entrevista a Assis.

Era março e o empresário de Ronaldinho Gaúcho abriu a agenda do celular mostrando que no mesmo dia o irmão viajaria com destino a Ásia, África e Europa para compromissos de patrocinadores. Eles voltariam somente depois da final da Copa. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Fonte: NOTÍCIAS AO MINUTO
Anunciante

Climão

Boxeador assedia repórter com beijo na boca à força

Publicado

em

Jenny Ravalo, repórter do jornal “Vegas Sports Daily”, foi assediada pelo boxeador Kubrat Pulev enquanto o entrevistava após a luta contra Bogdan Dinu, neste domingo (25).

O atleta búlgaro deu um beijo na boca da jornalista de forma forçada.

Segundo o UOL, a repórter ficou constrangida e tentou disfarçar o desconforto. Em sua conta oficial nas redes sociais, Jenny descreveu o momento como “embaraçoso” e “estranho”.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

TÉCNICO

Sampaoli admite erro ao dar poucas chances ao atacante Sasha no Santos

O jogador desempenhou bem o papel de centroavante, fazendo a função de um "camisa 9 móvel"

Publicado

em

© Ivan Storti/Santos FC

Com inúmeros desfalques por conta de lesões e convocações de jogadores para suas seleções nacionais, o técnico argentino Jorge Sampaoli está tendo de recorrer a atletas pouco utilizados no Santos nesta temporada para o confronto das quartas de final contra o Red Bull Brasil. Um deles é o atacante Eduardo Sasha, que aproveitou bem a sua chance na vitória por 2 a 0, no último sábado, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, na rodada de ida.

O jogador desempenhou bem o papel de centroavante, fazendo a função de um “camisa 9 móvel”, aparecendo na área e também recuando para criar jogadas no meio. Isso fez Sampaoli se render e admitir que errou ao não mais oportunidades a Sasha.

“O Sasha fez uma partida, posicionalmente, incrível. Nos deixa feliz que o Sasha tenha feito isso, nos faz pensar que erramos em não dar mais partidas para ele”, disse o treinador, que em janeiro chegou a “liberar” o atacante para procurar outro clube.

“Os jogadores estão todos liberados para negociar. Não tomamos decisão sobre Sasha, não encontramos um lugar. Não podemos mentir ao jogador. Não há uma definição, mas ele tem capacidade, e ele decide se continua lutando no clube ou se busca outro caminho”, afirmou o argentino à época.

Após a vitória que dá uma boa vantagem nas quartas de final do Paulistão, o Santos vai até Campinas (SP) nesta terça-feira. O duelo da volta está marcado para as 20 horas, no estádio Moisés Lucarelli. O time pode até perder por um gol de diferença e ainda assim se classifica para as semifinais. Se perder por dois (não importa o placar), a decisão será na disputa por pênaltis. Com informações do Estadão Conteúdo.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

#NUNCAMÁS

Clubes argentinos se unem em repúdio à ditadura

Publicado

em

© Agustin Marcarian/Reuters

Clubes de futebol argentinos se juntaram no domingo (24) para lembrar o Dia Nacional da Memória pela Verdade e Justiça e subiram a hashtag #NuncaMás em repúdio ao golpe de Estado que iniciou uma ditadura civil-militar no país em 1976.

A data foi instituída como homenagem aos 30 mil desaparecidos políticos do regime.

As maiores equipes argentinas– como River Plate, Boca Juniors, Independiente, Racing e Estudiantes– divulgaram mensagens de apoio ao movimento de repúdio ao golpe.

“O Racing tem claro que Nunca Mais é um símbolo intimamente ligado à vida”, escreveu o líder do campeonato argentino. “Por isso, como integrante das centenas de instituições esportivas e não esportivas que formam parte da sociedade argentina, se incorpora à comemoração do Dia Nacional da Memória pela Verdade e Justiça.”

Em 1976, militares, entidades civis e eclesiásticas destituíram e prenderam a presidente Maria Estela Martinez de Perón. Os anos seguintes foram marcados por violações de direitos humanos, como torturas e perseguição.

O Racing escreveu que o regime tinha um “plano genocida”, “sequestrou, torturou, assassinou e desapareceu com milhares de cidadãos e cidadãs” e “desenvolveu um plano sistemático de apropriação de menores que tirou o direito à identidade de centenas de meninos e meninas.”

O Banfield publicou entrevista com a irmã de uma torcedora do clube desaparecida. “Repudiamos energicamente a ditadura cívico-militar, um capítulo trágico da história de nosso país”, escreveu o Lanús.

Também no domingo, organizações de direitos humanos organizaram uma marcha no centro de Buenos Aires para relembrar o genocídio promovido pelo Estado no período. Com informações da Folhapress.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

Paulistão

Em Araraquara, Ferroviária e Corinthians iniciam disputa do mata-mata

Publicado

em

Em Araraquara, Ferroviária e Corinthians se enfrentam pela partida de ida das quartas de final do Paulistão, neste domingo (24).

Com ambas as equipes em ascensão, o confronto promete equilíbrio para definir quem avança à semifinal.

Pela primeira vez desde o seu retorno à elite, em 2016, a Ferroviária chegou ao mata-mata. O time de Araraquara terminou a primeira fase com 18 pontos, acumulados em uma campanha de quatro vitórias, seis empates e apenas duas derrotas.

O técnico Vinicius Munhoz falou sobre o confronto diante do Corinthians. “Estivemos atentos especialmente às últimas rodadas do Corinthians. É um adversário duro, difícil, sabemos da grandeza desse clube, mas a Ferroviária também vem de um bom momento na competição e vejo que o segredo é se preparar dentro do campo nos treinamentos e emocionalmente para esses confrontos. Vejo a Ferroviária forte, mas sabemos da dificuldade que é jogar contra o Corinthians”, disse o treinador afeano.

Líder do Grupo C, com 21 pontos, o Corinthians conta com o retorno do artilheiro Gustavo. Lesionado nas últimas rodadas, o centroavante deve iniciar a disputa como titular.

O presidente Andrés Sanchez apontou as dificuldades do mata-mata do Paulistão. “Do campeonato todo, o Red Bull é o favorito. Depois é o Palmeiras, até pelo investimento e pela grande quantidade de jogadores. Nós vamos tentar ganhar. Não pense que será fácil para alguém. É preciso ter cuidado”, apontou o mandatário corintiano.

Ficha técnica:
Ferroviária x Corinthians;
Horário:
 19h;
Local: Arena Fonte Luminosa, em Araraquara.

Deixe sua opinião

Continue Lendo

©2018 Regional Press- Direitos Reservados | Vamos fazer um site? Logo RC Criativa